Governo da Austrália paga bônus de até 1 mil dólares para quem quer estudar lá; entenda

Recursos serão destinados a projetos tanto em nível estadual quanto nacional
Área central de Perth, capital da Austrália Ocidental: governo local lançou vários projetos no valor total combinado de 16,8 milhões de dólares australianos (cerca de R$ 58 milhões) destinados a revigorar o setor de educação internacional do estado (wikimedia commons/Wikimedia Commons)
Área central de Perth, capital da Austrália Ocidental: governo local lançou vários projetos no valor total combinado de 16,8 milhões de dólares australianos (cerca de R$ 58 milhões) destinados a revigorar o setor de educação internacional do estado (wikimedia commons/Wikimedia Commons)
L
Lucas Almeida, da Universidade do IntercâmbioPublicado em 16/09/2022 às 13:29.

O governo da Austrália Ocidental (WA, na sigla em inglês) lançou vários projetos no valor total combinado de 16,8 milhões de dólares australianos (cerca de R$ 58 milhões) destinados a revigorar o setor de educação internacional do estado.

Em anúncio nesta quarta-feira (14), o ministro da Educação Internacional, David Templeman, disse que 10 milhões de dólares australianos (R$ 35 milhões) iriam para um esquema de incentivo a agentes de educação para “promover a WA como um destino de estudo de escolha para futuros estudantes internacionais”.

Templeman pontuou também que é vital que o governo da Austrália Ocidental "incentive os agentes estudantis internacionais, assim como os estudantes, para incentivá-los a considerar e, finalmente, fazer a escolha certa para estudar no estado".

Está na hora de sair do emprego ou vale a pena continuar? Descubra ao assinar a EXAME e ter acesso aos melhores conteúdos sobre Carreira!

O esquema pagará aos agentes um bônus entre A$ 500 e A$ 1.000, dependendo de o aluno se matricular em um instituto de treinamento vocacional ou em uma universidade.

Os A$ 6,8 milhões restantes irão para dois auxílios separados: um para acomodação e outro para taxas de educação em tempo integral para estudantes internacionais qualificados. Esses subsídios únicos valerão cada um A$ 1.500 (por volta de R$ 5.200).

Templeman disse que os programas apoiam o compromisso do governo da WA com a educação internacional e fazem parte dos A$ 41,2 milhões adicionais em iniciativas para esse setor anunciadas no orçamento estadual de 2022-23.

Governo federal também disponibilizará recursos

Em março desse ano, o governo australiano também anunciou um investimento de A$ 10 milhões em um Fundo de Educação Internacional, que deve apoiar iniciativas no âmbito da implementação da Strategy for International Education 2021-2030, divulgada em novembro de 2021.

“Além dos A$ 45,2 milhões em medidas de apoio anunciadas juntamente com a nova estratégia, o governo australiano agora entregará A$ 10 milhões em iniciativas a serem financiadas pelo Fundo Internacional de Inovação em Educação”, informou o ministro interino da Educação e Juventude da Austrália, Stuart Robert.

“Essas iniciativas apoiarão o setor de educação internacional para alcançar novos mercados, testar novos produtos inovadores e alinhar oportunidades educacionais com a escassez de habilidades identificadas na Austrália”, disse.

Robert enfatizou ainda que “a estratégia foi o resultado de uma ampla consulta pública sobre o futuro da educação internacional australiana”. O International Education Innovation Fund, segundo ele, fornece “um próximo passo importante para recuperar e desenvolver o maior setor de serviços da Austrália”.

O fundo de A$ 10 milhões dará impulso para criar e distribuir vagas de pós-doutorado para os melhores estudantes internacionais, identificar oportunidades de diversificação em todo o setor de educação internacional e desenvolver produtos educacionais transnacionais inovadores.

Outro objetivo será iniciar o desenvolvimento de um conjunto de microcredenciais de instituições de ensino superior e formação profissional (EFP) direcionadas a estudantes internacionais. A intenção é atender a lacunas de habilidades na Austrália, além de oferecer cursos de “habilidades críticas” em países parceiros e desenvolver um guia de melhores práticas para o setor sobre envolvimento de estudantes internacionais.

VEJA TAMBÉM:

São Paulo recebe feira de intercâmbio com entrada gratuita durante esse final de semana ; confira

Universidade canadense congela tarifas para alunos internacionais

Universidade em Michigan oferece bolsa de estudos para alunos internacionais