Google adia retorno aos escritórios e planeja jornada flexível

Funcionários irão trabalhar presencialmente em ao menos três dias da semana

O Google se tornou conhecido não apenas pelo seu buscador, mas por mostrar ao mundo um novo modelo de escritório, prezando pelo bem-estar dos funcionários. Com a pandemia do novo coronavírus, a empresa adiou os planos de retorno ao trabalho presencial para setembro de 2021, quando testará um novo modelo, com jornada “flexível”.

Em comunicado distribuído aos funcionários na noite de domingo, o diretor executivo da Alphabet, dona do Google, Sundar Pichai, informou que a companhia irá testar um novo formato de trabalho, com ao menos três dias no escritório para “colaboração” e os outros em trabalho remoto.

“Nós estamos testando a hipótese de que o modelo de trabalho flexível vai aumentar a produtividade, a colaboração e o bem-estar”, escreveu Pichai no e-mail, obtido pelo New York Times. “Nenhuma companhia com a nossa escala já criou um modelo de trabalho totalmente híbrido — apesar de algumas estarem começando —, então será interessante testar”.

Mas não há um cronograma para implantação do novo modelo. Os funcionários só retornarão aos escritórios quando for seguro, e a pandemia está em diferentes estágios entre os países. E o formato flexível não deverá ser aplicado a toda a força de trabalho. Empregados que lidam diretamente com clientes ou que atuam em data centers e laboratórios deverão ficar de fora.

O Google foi uma das primeiras companhias americanas a transferir seus funcionários para o trabalho remoto por causa da pandemia. E, desde então, vem repetidamente adiando o retorno. A primeira previsão era janeiro de 2021, depois julho e, agora, setembro.

Após quase nove meses de trabalho remoto, as empresas enfrentam o desafio de como reabrir seus escritórios. A ViacomCBS, por exemplo, optou pelo modelo híbrido, vendo uma oportunidade de reduzir seus custos com imóveis. Já Reed Hastings, CEO do Netflix, não vê aspectos positivos no home office, classificando-o como “puramente negativo” por impedir a discussão de ideias pessoalmente.

O Google, que revolucionou o mundo corporativo com os escritórios casuais, oferecendo comida liberada, espaços de lazer e até tempo livre para os funcionários, planeja outras mudanças além da jornada flexível. Os espaços ao ar livre serão reservados para grandes reuniões, e funcionários poderão reservar estações de trabalho nos escritórios.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 1,90

Nos três primeiros meses,
após este período: R$ 15,90

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Atenção! A sua revista EXAME deixa de ser quinzenal a partir da próxima edição. Produziremos uma tiragem mensal. Clique aqui para saber mais detalhes.
Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.