Faça isto se quiser melhorar seu raciocínio antes de falar em público

Improvisar pode prejudicar muito uma negociação, apresentação, diálogo, segundo explica o professor Diogo Arrais
 (foto/Thinkstock)
(foto/Thinkstock)
Por Diogo Arrais, professor de português (@diogoarrais)Publicado em 23/04/2019 13:42 | Última atualização em 23/04/2019 13:42Tempo de Leitura: 2 min de leitura

Quando pensamos antes de proferir, ficamos muito mais seguros em uma apresentação. O impensado, improvisado em excesso, pode prejudicar muito uma negociação, apresentação, diálogo.

Dentro do possível, tentemos roteirizar o que será exposto, incluindo nessa ação o aumento do vocabulário.

Antes de uma palestra sobre Dor e Lamentação, por exemplo, um psicólogo pode aperfeiçoar o vocabulário, consultando ideias análogas. Uma competentíssima ferramenta para isso é o Dicionário Analógico da Língua Portuguesa. Vejamos como o raciocínio fica bem mais amplo e criativo, ao pesquisarmos sobre o tema:

(Dor) Lamentação, lamento, querela, canto plangente, questa, queixa, queixume, querima, lástima, deploração, piedade, queixa entrecortada de lágrimas, brado lamentoso, imprecação dolorosa, lamúria.

Vale - nesse exercício - consultar também verbos correlatos:

(Doer) Lamentar, deplorar, prantear, clamar, vagir, lacerar as faces, jeremiar, depenar-se.

Adjetivos trarão boas ideias para a criação de sentenças, frases, orações, eslaides, explicações:

(Doloroso) Lamentoso, quérulo, prantivo, plangente, lúgubre, dolente, tristonho, merencório, desafortunado, desalentado, repassado de mágoa, lastimoso, lutuoso, triste, enlutado, carpido, funéreo.

Alguns desses termos - apesar de não usuais no dia a dia - levam-nos à pesquisa do significado e mais conhecimento. Curiosidade é outra estratégia de quem escreve e expõe bem uma ideia.

Precisamos tomar cuidado na escolha de palavras, uma vez que o objetivo de uma apresentação é criar a conexão com quem se fala. O preciosismo (requinte, sofisticação, perfeccionismo excessivos) é um vício de muitos intelectuais, oradores, profissionais; sensatez e equilíbrio são sempre bem-vindos.

O investimento no aumento do vocabulário dá ao orador e ao escritor novas ferramentas expositivas, gerando à palestra e ao texto maior alcance. Nova palavra, novo pensamento, evolução.

Um grande abraço, até a próxima e inscreva-se no meu canal!

DIOGO ARRAIS
YouTube: MesmaLíngua
Autor Gramatical pela Editora Saraiva
Professor de Língua Portuguesa
Fundador do ARRAIS CURSOS