Esta empresa paga salários maiores a funcionários que praticam esportes

A ideia partiu do próprio CEO e hoje 80% da equipe adere à campanha. Para quem gostou, a startup tem vagas abertas
 (Buser/Divulgação)
(Buser/Divulgação)
A
Allan Gavioli

Publicado em 31/03/2022 às 16:04.

Última atualização em 31/03/2022 às 16:08.

Deixar posições de emprego mais atrativas para os candidatos é fundamental para qualquer empresa que esteja buscando contratar. E oferecer benefícios diferenciados e exclusivos para melhorar o bem estar e a vida dos funcionários é um bom caminho para fisgar a atenção de novos talentos.

Pensando nisso, a Buser, startup de mobilidade focada no setor de viagens de ônibus, oferece aos seus funcionários um acréscimo de 5% a 10% no salário base para aqueles que se comprometem a uma vida mais saudável, chamado de “Bônus Esportivo”.

Garanta o seu lugar entre as melhores do Brasil, entre no Ranking Negócios em Expansão 2022

A ideia, que partiu do próprio CEO da companhia, Marcelo Abritta, funciona desde 2018 e, hoje, cerca de 80% dos 500 colaboradores da startup aderem à campanha.

Segundo explicou Cesar Barboza, diretor de recursos humanos da Buser, a iniciativa literalmente dá um salário maior aos funcionários que cumpram uma carga mínima de atividade física ao longo de um mês e a adesão ao programa mais do que dobrou nos últimos dois meses.

“Se o colaborador se exercitar pelo menos quatro horas por semana durante um mês, ele tem o benefício máximo, 10% do salário dele. E aí entende-se qualquer atividade esportiva, desde uma caminhada até um futebol com amigos, por exemplo”, explica Barboza em conversa com a EXAME.

Embora a adesão seja voluntária a qualquer funcionário, do CEO ao estagiário, Barboza explica que o engajamento dos próprios funcionários em torno do benefício é o maior impulsionador de novas adesões.

“Temos um grupo no Slack [aplicativo de mensagem instantânea muito utilizado no meio corporativo] em que os colaboradores postam fotos e relatos de como uma rotina esportiva tem um impacto positivo em suas vidas. Uma forma espontânea de aumentar o alto astral e o bem estar dos times como um todo”, complementa.

O executivo reforça ainda que outra forma de incentivar os colaboradores a conseguirem bater a meta é a parceria com o Gympass, um aplicativo que oferece aos usuários o acesso a uma série de academias. A empresa também fomenta a adesão ao programa de forma direta, com a organização regular de competições esportivas entre os funcionários, por exemplo.

Para Barboza, a ideia de melhorar a qualidade de vida do funcionário com a atividade física constante - ainda que com um custo maior para a empresa no caso da Buser - acaba gerando impactos indiretos em outros custos, já que o funcionário tende a adoecer menos e, consequentemente, utilizar menos o plano de saúde e evitar gastos com remédios e tratamentos.

“Aqui na Buser seguimos o lema do 'corpo são, mente sã'.  Queremos criar um espírito de bem-estar e alto astral entre o time. O esporte nos conecta de certa forma. Não oferecemos o benefício só pensando no incentivo financeiro ou para as pessoas trabalharem melhor, mas para elas viverem melhor”, finaliza Barboza.

Reforçando o lema da mente sã, Barboza lembra que a Buser também oferta aos seus colaboradores planos especiais no Zenklub, uma plataforma de terapia online. Cada colaborador tem direito a quatro sessões por mês e pode escolher entre coach, psicanalista, psicólogo e terapeuta.

E esses 10% cabem na folha de pagamento?

De imediato, Barboza afirma que sim. “Toda empresa precisa fornecer o pacote de benefícios que caiba na folha de pagamento. Isso é regra geral. Claro que gera um impacto [financeiro], mas sem ele talvez não reteríamos o colaborador ou estaríamos sendo menos competitivo para o candidato”, pondera o diretor.

Para que não haja rusgas entre o time de Recursos Humanos e o Financeiro, Barboza esclarece que a Buser, no próprio planejamento operacional da folha para contratações, já trabalha com estimativas altas de adesão, ou seja, esses 10% já estão contabilizados.

“Claro que o custo do colaborador é maior, mas não se compara com os ganhos que a Buser colhe como empresa, mudando a vida dos nossos funcionários. Eu não vejo um ponto negativo”, reforça Barboza, destacando que essa política do benefício continua para os planos futuros de expansão da companhia.

Na base da confiança

Para que o colaborador tenha direito ao acréscimo de salário, tudo que ele precisa fazer é preencher um formulário mensal detalhando o esporte realizado e as horas gastas no mês com a prática esportiva. E nada mais. O time de recursos humanos confia no que seus funcionários relatam e não há uma política de aferição por parte do RH.

“Um dos nossos principais valores é o comprometimento com a transparência e a verdade. Tentamos fechar todo esse ciclo de ajudar o colaborador a ser mais saudável, tanto no corpo quanto na mente. Um verdadeiro ecossistema de bem estar”, finaliza Barboza.

Vagas abertas na Buser

Para aqueles que ficaram interessados na política da Buser, vale destacar que a companhia possui atualmente uma gama de posições abertas para contratação.

A empresa possui atualmente vagas abertas, em modelo presencial e remoto, em diversas cidades do país. Para conferir todas as vagas, basta acessar a página da empresa na plataforma da Gupy.

Dicas de carreira, vagas e muito mais

Você já conhece a newsletter da Exame Academy? Você assina e recebe na sua caixa de entrada as principais notícias da semana sobre carreira e educação, assim como dicas dos nossos jornalistas e especialistas.

Toda terça-feira, leia as notícias mais quentes sobre o mercado de trabalho e fique por dentro das oportunidades em destaque de vagas, estágio, trainee e cursos. Já às quintas-feiras, você ainda pode acompanhar análises aprofundadas e receber conteúdos gratuitos como vídeos, cursos e e-books para ficar por dentro das tendências em carreira no Brasil e no mundo.

Inscreva-se e receba por e-mail dicas e conteúdos gratuitos sobre carreira, vagas, cursos, bolsas de estudos e mercado de trabalho.