Covid-19 avança em Michigan e Ford adia volta ao escritório

O estado onde a montadora tem sede, Michigan, se tornou um dos principais locais de avanço da doença no país
 (Paulo Whitaker/Reuters)
(Paulo Whitaker/Reuters)
B
Bloomberg

Publicado em 07/12/2021 às 12:27.

Última atualização em 07/12/2021 às 13:32.

Por Keith Naughton, da Bloomberg

A Ford Motor adiou novamente a volta dos colaboradores aos escritórios nos EUA, citando a disseminação da covid-19. O estado onde a montadora tem sede, Michigan, se tornou um dos principais locais de avanço da doença no país.

O retorno foi transferido de janeiro para março, conforme anúncio nesta segunda-feira. O plano inicial da montadora era que os funcionários voltassem em julho de 2021 e depois ela adiou a data para janeiro de 2022 devido à propagação do coronavírus.

A Ford agora planeja trazer de volta um número limitado de colaboradores em fevereiro para testar um sistema “híbrido flexível” no qual eles só se encontram na empresa para o trabalho colaborativo. O retorno completo está programado para o mês seguinte. A montadora se junta a outras empresas americanas, incluindo a Apple, que estão adiando a volta ao escritório por causa da disparada de casos da doença em todo o país.

“O status da covid-19 continua fluido e, apesar do sucesso de nossos protocolos de segurança contínuos e do aumento da vacinação, estamos mudando o início do modelo de trabalho híbrido para março”, afirmou a companhia por e-mail.

A montadora sediada em Dearborn, Michigan, está exigindo que a maior parte dos 32.000 funcionários assalariados dos EUA se vacine até 8 de dezembro. Em caso de recusa, eles podem ser colocados em licença não remunerada.

Michigan tem a maior média móvel de sete dias de novos casos de coronavírus nos EUA. Os hospitais do estado estão lotados e o Departamento de Defesa do governo federal está enviando médicos e enfermeiras para ajudar.