Carreira

Copa do Mundo Feminina: 5 perfis de técnicas que podem inspirar líderes empresariais

Veja as principais características das treinadoras do Brasil, Canadá, Alemanha, Inglaterra e Itália

Letícia Valente, do PageGroup: Essas gestoras servem de inspiração e referência para que cada vez mais possamos ver cargos de liderança sendo ocupados por mulheres (Getty Images/Divulgação)

Letícia Valente, do PageGroup: Essas gestoras servem de inspiração e referência para que cada vez mais possamos ver cargos de liderança sendo ocupados por mulheres (Getty Images/Divulgação)

Publicado em 16 de julho de 2023 às 08h00.

Pode ser que você tenha uma líder ou gestora parecida com a Pia Sundhage: experiente, estrategista e que se adapta a diferentes cenários. Ou de características semelhantes a Bev Priestman, da seleção canadense: jovem, ousada e com espírito motivador. Já parou para pensar quais desses modelos de gestão já foram incorporados pela sua empresa?

Com a Copa do Mundo Feminina 2023, prevista para acontecer no dia 20 deste mês na Austrália e na Nova Zelândia, o PageGroup, consultoria de recrutamento executivo especializado, listou o perfil de liderança de cinco técnicas de seleções que participarão da Copa. O objetivo é avaliar como esses diferentes estilos de gestão podem se encaixar nas empresas e quais podem estar em falta.

“Por mais que cada uma tenha seu modelo de gestão, as líderes do futebol e das organizações têm papéis parecidos em suas rotinas, como motivar os colaboradores, encontrar soluções rápidas para gerar resultados e driblar o preconceito e a desconfiança. Essas gestoras servem de inspiração e referência para que cada vez mais possamos ver cargos de liderança sendo ocupados por mulheres”, diz Letícia Valente, diretora do PageGroup.

Veja abaixo os perfis das treinadoras que a sua empresa já tem ou ainda precisa, de acordo com o levantamento da PageGroup:

Pia Sundhage – Brasil

A treinadora principal Pia Sundhage, do Brasil, no amistoso internacional feminino entre Alemanha e Brasil no Max-Morlock-Stadion, em Nuremberg, Alemanha (Getty Images/Divulgação)

A técnica da seleção brasileira é considerada uma referência no mundo do futebol feminino como jogadora e treinadora. Além de participar de 3 copas do mundo e conquistar uma medalha de prata nas Olímpiadas de 1996, Pia garantiu no comando técnico duas medalhas de ouro olímpicas para os Estados Unidos (2008 e 2012). A comandante também é conhecida por se adaptar a diversos cenários e ter diferentes estratégias no mesmo jogo, segundo a PageGroup.

  • Perfil de Liderança: experiente, é uma líder com muitas conquistas na carreira e que sabe extrair o máximo de rendimento das atletas pelo seu conhecimento de jogo. Adota uma comunicação clara e bem-humorada, característica bem-vista por suas equipes.
  • Analogia com o mundo corporativo: gestora com muita experiência e que busca sempre o melhor desempenho. Tem boa gestão de grupo e sabe extrair o melhor dos colaboradores com conversas claras e tranquilas.

Bev Priestman – Canadá

A técnica Bev Priestman, do Canadá, durante o amistoso internacional feminino entre França e Canadá no MMArena, em Le Mans, França (Catherine Steenkeste/Getty Images/Divulgação)

Mesmo sendo jovem, Bev possui experiência como assistente técnica da Nova Zelândia, com participação na Copa do Mundo Feminina de 2015. Assumiu a equipe canadense em 2020 e desde então aplica seu conhecimento tático moderno e ofensivo.

  • Perfil de liderança: técnica com mentalidade ambiciosa e vencedora, motiva suas atletas para que mantenham o mais alto grau de determinação para alcançarem os objetivos.
  • Analogia com o mundo corporativo: líder jovem, motivada e que sabe como se comunicar com os colaboradores para criar um ambiente saudável e ambicioso.

Martina Voss – Alemanha

A treinadora Martina Voss-Tecklenburg, da Alemanha, no amistoso internacional feminino entre Alemanha e Zâmbia no Sportpark Ronhof Thomas Sommer, em Fuerth, Alemanha (Sebastian Widmann/Getty Images))

"Gestão de talentos. A frase é quase perfeita para definir a técnica da Alemanha Martina Voss", diz a diretora da PageGroup. Como atleta, foi campeã dos Jogos Olímpicos de 1984 e da Copa do Mundo Feminina em 2003.

  • Perfil de liderança: A treinadora preza pelo desenvolvimento e a motivação individual das atletas, criando um ambiente positivo e agradável para a equipe.
  • Analogia com o mundo corporativo: a líder que sabe selecionar e desenvolver talentos, tem empatia e entendimento para aplicar a estratégia correta em cada processo.

Sarina Wiegman - Inglaterra

Sarina Wiegman, técnica da Inglaterra, durante um treinamento no Sunshine Coast Stadium, em Sunshine Coast, Austrália (Naomi Baker - The FA/The FA via Getty Images/Divulgação)

Com início de trabalho nas categorias de base da Holanda, a técnica já recebeu o prêmio de Treinadora do Ano da FIFA em 2017, como reconhecimento do trabalho feito na seleção holandesa principal na Eurocopa do mesmo ano.

  • Perfil de liderança: líder pragmática, organizada e que trabalha a eficiência e os relacionamentos sólidos para criar um ambiente agradável.
  • Analogia com o mundo corporativo: acredita na organização dos processos e na união dos colaboradores para entregar resultados eficientes.

Milena Bertolini - Itália

Milena Bertolini, técnica da Itália durante a Sessão de Treinamento Feminino da Itália no Centro Tecnico Federale di Coverciano, em Florença, Itália (Emmanuele Ciancaglini/Getty Images/Divulgação)

"Uma das figuras mais importantes no desenvolvimento do futebol feminino na Itália", afirma Valente. Milena assumiu a seleção italiana em 2017 e logo alcançou resultados surpreendentes, como a classificação para a Copa do Mundo Feminina de 2019, algo que não ocorria no país há 20 anos.

  • Perfil de liderança: sabe trabalhar a mentalidade em longo prazo para o desenvolvimento das atletas de forma individual e coletiva. Mantém um estilo organizado e preza pela união do grupo.
  • Analogia com o mundo corporativo: mesmo com foco em processos de trabalho de médio e longo prazo, consegue se adaptar para extrair o melhor dos colaboradores para entrega de resultados em pouco tempo.

LEIA TAMBÉM: 

Copa do Mundo Feminina de 2023 pode ser a última desigual na premiação entre homens e mulheres

Copa do Mundo Feminina: dia de jogo do Brasil terá feriado ou ponto facultativo?

Veja quem são as maiores vencedoras da Copa do Mundo Feminina

Copa do Mundo Feminina: especialistas analisam motivos que distanciam o Brasil do favoritismo

Acompanhe tudo sobre:Copa do MundoFutebol femininoLiderançaBrasilCanadáInglaterraAlemanhaItália

Mais de Carreira

Após vender empresa, ex-CEO transforma funcionários em milionários

Gráfico da felicidade mostra pico aos 30 e aos 70 anos; entenda

7 profissões para quem gosta de vinho

Você se dá bem com seus amigos? Amizades são importantes para a longevidade, apontam estudos

Mais na Exame