Além do ministro, 75% dos brasileiros contam mentiras no currículo

Do inglês "fluente" ao curso de pós-doutorado não concluído, mentir no currículo é uma prática comum -- e arriscada

Mentiras têm mesmo perna curta: pouco após sua nomeação como ministro da Educação, duas instituições onde Carlos Alberto Decotelli disse ter concluído seu doutorado e pós-doutorado questionaram as informações do seu currículo.

Segundo a Universidade de Wuppertal, na Alemanha, Decotelli esteve na universidade para uma pesquisa de três meses em 2016. Enquanto a Universidade de Rosário, na Argentina, afirmou que ele não teve sua tese de doutorado aprovada.

As revelações chocam, mas não são raridade para quem trabalha com recrutamento. Na verdade, 75% dos currículos enviados às empresas em 2018 no Brasil continham informações falsas, segundo levantamento da DNA Outplacement com base em 6 mil documentos.

Não é todo brasileiro que mente e nem sempre é sobre seu diploma. No entanto, a pesquisa descobriu que até 12% aumentam o grau de escolaridade e 10% adicionam cursos falsos ao documento.

A prática mais comum é inflar o salário anterior ou atual (48%). Depois, mentir sobre o domínio de inglês acontece em 41% dos CVs.

E as falsidades não são reservadas para quem está entrando no mercado de trabalho e quer enfeitar o documento para torná-lo mais atrativo. Até mesmo CEOs já foram pegos: Ronald Zerrella, ex-CEO da Bausch & Lomb, adicionou no CV um MBA pela New York University que nunca terminou, e Jeffrey Papows, presidente da Lotus, uma empresa de software que não mais existe, mentiu sobre seu cargo na marinha americana.

Vai escrever seu currículo? Confira 17 modelos de CV para baixar e preencher

Espera! Tem um presente especial para você.

Uma oferta exclusiva válida apenas nesta Black Friday.

Libere o acesso completo agora mesmo com desconto:

exame digital

R$ 15,90/mês

R$ 6,36/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 44,90/mês

R$ 40,41/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa quinzenal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.