Um conteúdo Bússola

Veja por que o hidrogênio se tornou solução para matriz de baixo carbono

Entenda a diferença entre os diferentes tipos de hidrogênio e saiba como são produzidos

Por Bússola
Publicado em 29/09/2022 15:00
Última atualização em 29/09/2022 14:04

Tempo de Leitura: 3 min de leitura

O hidrogênio tem se mostrado uma das principais soluções para a adoção de uma matriz energética de baixo carbono em diversas indústrias, pela flexibilidade de aplicações, seja, como matéria-prima na siderurgia, nos fertilizantes e no refino de petróleo, como combustível, para veículos de passageiros, para frete ferroviário e para navios graneleiros ou como fonte de energia para aquecimento e uso em turbinas, entre outros.

Além disso, o insumo coloca o Brasil em evidência no cenário internacional já que o país tem abundância na geração de energia eólica e solar, e, por isso, é um dos líderes mundiais na produção de hidrogênio verde. O que poucos sabem é que existem diferentes fontes de hidrogênio e que, para cada fonte, o hidrogênio é conhecido por uma cor diferente.

A pedido da Bússola, Luiz Felipe Fustaino, diretor executivo da Unigel, responsável pela primeira fábrica de hidrogênio verde do país e uma das maiores empresas químicas da América Latina e maior fabricante de fertilizantes nitrogenados do Brasil, explica cada tipo de hidrogênio de baixo carbono. Veja abaixo.

Hidrogênio cinza

É o mais comum, produzido a partir do gás natural. No momento de separação das moléculas, o hidrogênio é capturado, e o gás carbônico é lançado na atmosfera. Em geral, são emitidos 10 kg de gás carbônico para cada 1kg de H2 produzido. Quando esse gás carbônico é capturado e armazenado (normalmente reinjetado no solo), o hidrogênio é chamado de azul, com emissão entre 1 e 3 kg de CO2 para cada 1kg de H2;

Hidrogênio musgo

Produzido a partir de biomassa ou biocombustíveis, com substituição do metano (CH4) de origem fóssil por biometano ou por etanol (C2H5OH), com menor emissão de CO2 quando comparado ao hidrogênio cinza.

Hidrogênio verde

É gerado a partir da eletrólise da água. Nesse processo, o hidrogênio e o oxigênio são separados por meio do uso de fonte de energia renovável, seja eólica ou solar. Trata-se de um hidrogênio carbono zero, do início ao fim.

Siga a Bússola nas redes: Instagram | Linkedin | Twitter | Facebook | Youtube

Veja também

Três perguntas de ESG para Feliciano Almeida, da Michelin

As empresas mais sustentáveis e mais rentáveis são as mais diversas

Flex Brasil se torna referência global com certificação Zero Waste


Veja Também