Um conteúdo Bússola

Talentos do Futebol Maranhense mostra jovens ressocializados pelo esporte

Episódios que integram a série Improváveis, mostram a realidade de jovens que por meio do futebol estão jogando suas vidas para um outro caminho
Série idealizada por Edmilson Moraes mostra o esporte como chave para transformação social (Paul Ellis/Getty Images)
Série idealizada por Edmilson Moraes mostra o esporte como chave para transformação social (Paul Ellis/Getty Images)
Por BússolaPublicado em 12/08/2021 09:00 | Última atualização em 11/08/2021 17:44Tempo de Leitura: 3 min de leitura

Dois episódios Talentos do Futebol Maranhense, da série Improváveis, idealizada pelo pentacampeão Edmilson Moraes, mostram o esporte como fator importante para a ressocialização de jovens internados em centros socioeducativos. Apresenta as histórias de José Hiury Pereira e Rodrigo Araújo, ambos com 18 anos, que são atendidos pela Funac (Fundação da Criança e do Adolescente do Maranhão), e dos quilombolas Bento da Silva e José Paulo Santos, ambos com 17 anos, que protagonizam os episódios.

Os programas mostram apenas alguns dos vários projetos inovadores e educativos que são desenvolvidos por ONGs ou com apoio da iniciativa privada pensados para amparar pessoas em situação de vulnerabilidade social ou que necessitam conviver com a aplicação de medidas socioeducativas. Atualmente, mais de 20 mil jovens estão internados nos 461 centros socioeducativos do país e, alguns deles, já podem comemorar suas histórias de sucesso.

A série Improváveis, composta por oito episódios, é uma caça aos talentos. Os dois episódios gravados no Maranhão foram possíveis pela parceria entre o Instituto Gonçalves Dias, com o projeto MentesparaOFuturo, e a edtech Plataforma A+, junto à Inspira Rede de Educadores, que lançou recentemente o projeto InspirAção, com objetivo de impactar positivamente a sociedade.

Até novembro, a preparação física e técnica dos atletas será conduzida no Araioses Futebol Clube (AFC), time da segunda divisão do Maranhão que se sensibilizou com a causa. Os dois jovens quilombolas e o ex-sócio educando José Hiury Pereira já moram em regime de concentração no centro de treinamento (CT) do AFC. A partir desta semana, o jovem Rodrigo Araújo, que estava sendo conduzido para os treinos três vezes por semana, se juntará “ao time” para vivenciar, na íntegra, a experiência nos campos e o olhar para a ressocialização.

Por meio do projeto, o adolescente Ricardo ficará sob o regime de internação domiciliar, podendo passar a semana no CT do time, com possibilidade de visita à casa da família nos fins de semana, a depender do calendário de jogos.

“É uma vitória para todos os envolvidos e é gratificante ver projetos como este ganharem vida por meio do olhar sensível de empresas que reconhecem a importância da responsabilidade social e apoiam projetos de recuperação dos internos. A ressocialização só é possível, de forma expressiva, por meio da educação”, declara Rodrigo Gonçalves Dias, à frente do Instituto que leva seu nome.

Para que os jovens maranhenses chegassem até aqui, professores de educação física da Funac ajudaram a selecionar 19 meninos com aptidão para o futebol em uma primeira etapa. Eles receberam chuteiras e uniformes completos para exibir seus talentos na fase seguinte, que chegou aos quatro escolhidos.

Outros 16 jovens estão sendo selecionados ao redor do Brasil, e o próximo passo é levá-los para uma temporada no Futebol Clube SKA Brasil, time de Edmilson. Os melhores poderão assinar contratos com equipes do exterior.

Siga a Bússola nas redes: Instagram | LinkedInTwitter | Facebook | Youtube

Veja também