Bússola

Um conteúdo Bússola

Quer empreender em franquias? Entenda o que está incluso no chamado investimento inicial

Para responder à pergunta, convidamos fundador de franquia de baixo custo no segmento de alimentação e foodservice 

 (Djordje Krstic/Getty Images)

(Djordje Krstic/Getty Images)

Bússola
Bússola

Plataforma de conteúdo

Publicado em 3 de julho de 2024 às 13h00.

Para quem planeja mergulhar no empreendedorismo, o mercado de franquias apresenta boas opções para um primeiro empreendimento. 

No foodservice principalmente, as expectativas são positivas. O segmento cresceu  26,6% no primeiro trimestre de 2024, segundo a Associação Brasileira de Franchising (ABF).

  • Nos valores comparados ao mesmo período de 2023, o setor de franquias inteiro cresceu 19,1%, passando de um faturamento de R$ 50,8 bi para R$ 60,5 bi.

Mas a dúvida do empreendedor de primeira viagem pode ser grande. Afinal, o que exatamente está incluso no valor de investimento inicial?

Convidamos André Augusto, fundador e diretor executivo da Crepefy – franquia especializada no modelo europeu de crepe francês, para tirar a dúvida.

Utilizando sua franquia de baixo custo do setor de alimentação como exemplo, o executivo explica:

Taxa de franquia existe é igual para todas as franquias?

Um dos valores inclusos no investimento inicial é a famosa taxa de franquia. Ela  corresponde a um valor único estipulado pela franqueadora para que o franqueado possa aderir ao sistema e utilizar o nome da marca

“Com o pagamento da taxa de franquia, o empreendedor recebe todo o know-how da marca, através de treinamentos, manuais e consultorias para que o franqueado possa aplicar no dia a dia do negócio”, comenta Augusto.

No caso da Crepefy, são três modelos: Container, Quiosque e Store to go smart (loja física). Em todas as opções é cobrado do franqueado o mesmo valor da taxa de franquia: R$ 30 mil. 

Este valor é diferente para cada marca de franquia, mas no setor de alimentação e foodservice pode começar mais ou menos nesta faixa ou até mais baixo.

Para que serve o investimento de instalação?

Além da taxa de franquia, outro componente importante no investimento inicial de uma franquia é a taxa de instalação. 

É nela que está incluso todo aparato necessário para o negócio, como por exemplo a reforma do ponto comercial, os equipamentos, móveis e outros.

“Atualmente, o único valor que se difere entre os modelos de negócio da Crepefy é o de instalação, pelo fato de serem opções com tamanhos distintos e com ponto comercial diferente. O investimento de instalação do modelo Container é de R$ 35 mil a R$ 70 mil; o Quiosque é de R$ 40 mil a R$ 70 mil e a Loja é de R$ 40 mil a R$ 100 mil”, detalha o diretor executivo da Crepefy.

O capital de giro também está incluso no investimento inicial

Essa receita é crucial para que o franqueado mantenha o negócio financeiramente saudável e garanta que ele tenha recursos em casos nos quais a operação não esteja indo bem.

“Em resumo, capital de giro é uma receita reserva que a empresa possui para investir em suas atividades operacionais. Em todos os modelos de negócio da Crepefy solicitamos um capital de giro de R$ 10 mil”, explica André.

O que é preciso analisar antes de comprar uma franquias?

É preciso colocar no papel os seguintes itens:

  • Investimento inicial
  • Taxa de franquia
  • Taxa de royalties
  • Faturamento médio mensal da unidade
  • Lucro médio mensal
  • Prazo de retorno

Como exemplo, Augusto exibe os números da Crepefy, que tem custo relativamente baixo.

“O investimento inicial do Container, incluindo a taxa de franquia, instalação e capital de giro fica entre R$ 75 mil a R$ 110 mil. O faturamento é de R$ 40 mil mensais, com lucro líquido entre 18% e 25%, e retorno do investimento previsto entre 9 a 18 meses”, conclui.

Siga a Bússola nas redes: Instagram | Linkedin | Twitter | Facebook | Youtube

Acompanhe tudo sobre:Franquias

Mais de Bússola

ESG: como Parque Bondinho Pão de Açúcar alcançou certificação com Sistema B e o que isso representa

Como fidelizar clientes usando aplicativos? Conheça 4 empresas que são exemplos dessa prática

Isabela Basso: quando falamos de greenwashing, sua empresa é parte do problema ou da solução?

CEO da BAT defende que regulamentação de cigarros eletrônicos ajudará no combate à ilegalidade

Mais na Exame