Bússola

Um conteúdo Bússola

Programa de desenvolvimento territorial impacta 1,2 mil pessoas em dois anos

O Projeto Horizonte foi executado pela Semente Negócios, em parceria com a mineradora Vale

Programa gerou quase R$ 6 milhões em negócios (Getty Images/Getty Images)

Programa gerou quase R$ 6 milhões em negócios (Getty Images/Getty Images)

Bússola
Bússola

Plataforma de conteúdo

Publicado em 12 de julho de 2023 às 17h00.

Última atualização em 12 de julho de 2023 às 17h14.

Com o intuito de apoiar o desenvolvimento territorial e econômico de nove territórios mineiros, surgiu o Projeto Horizonte, executado pela Semente Negócios, empresa que desenha soluções de inovação que valorizam a vida, em parceria com a mineradora Vale. Ocorrido entre setembro de 2020 e dezembro de 2022, o programa impactou mais de 1,2 mil empreendedores e empreendedoras locais que, com os seus negócios, faturaram mais de R$ 5,8 milhões. Fizeram parte do programa localidades dos territórios de Itabirito, Macacos, Barão de Cocais e Ouro Preto.

Ações

Entre as ações do programa foram realizadas videoaulas, lives, workshops e rodas de conversa, totalizando 7,9 mil horas de consultoria e 300 horas de conteúdos personalizados. Outra iniciativa do Projeto Horizonte consistiu na abertura de quatro espaços de coworking para o trabalho das equipes. Além disso, cerca de R$ 1,95 milhão foram investidos diretamente no desenvolvimento dos negócios participantes. Negócios estes que, com o desenvolvimento das trilhas, puderam se fortalecer e passaram a impactar o ecossistema do qual faziam parte. Como resultado disso, cerca de 400 pessoas receberam algum tipo de remuneração direta ou indiretamente. Ou seja, uma geração de emprego e renda que extrapolam as pessoas diretamente envolvidas com o projeto.

De acordo com  Marcio Jappe, CEO da Semente Negócios, apesar do impacto perceptível nos números, esse não é o único indicador de sucesso. “Trabalhamos para promover uma inovação centrada em valorizar e melhorar a vida das pessoas. Para isso, partimos de ações inovadoras centradas no humano, sempre pensando de forma justa e sustentável, a fim de gerar prosperidade”, explica. 

Digitalização

Dentre os principais desafios encontrados pela Semente, estão a inclusão digital ainda em processo de evolução por parte da população brasileira mais interiorana; a existência de negócios em diferentes graus de maturidade e a pouca cultura empreendedora em alguns territórios. Também, houve o desafio de adaptar as trilhas de aprendizagem diante das especificidades de cada território, que apresentavam perfis distintos tanto de necessidades quanto de público. “Apesar disso, há mais visões de futuro, ou seja, do como transformá-los em oportunidades. É o caso da possibilidade de gerar mais atrativos e mais valor para toda a comunidade, trabalhando a educação empreendedora com a população no geral”, afirma o executivo.

E esse é o caso da Ana Maria Pereira Marques, secretária da Arte Mãos e Flores, do distrito de Antônio Pereira. Por meio das oficinas realizadas no coworking local, a empreendedora conseguiu fazer oficinas e repassar o conhecimento adquirido com a Semente para a comunidade e formar 22 mulheres, ensinando bordado e costura. “Sabemos que o que fizemos ainda foi apenas uma parte e que em breve iremos dar continuidade. Hoje, entendemos que o Projeto Horizonte nos proporcionou apenas uma semente e que depende de nós para dar frutos”, finaliza a moradora.

Siga a Bússola nas redes: Instagram | Linkedin | Twitter | Facebook | Youtube

Veja também

Feiras Fispal e TecnoCarne reuniram mais de 44 mil interessados na indústria de alimentos e bebidas

EGM: acelerando o processo de procurement

Águas do Rio conquista licenças que destravam investimento de R$ 2,7 bilhões

Acompanhe tudo sobre:EmpreendedorismoProjetosplanos-de-negociosVale

Mais de Bússola

Pesquisa revela quais são as melhores empresas para pessoas LGBTQIA+

Rafael Albuquerque: como as empresas familiares crescem e inovam com governança?

Pedro Signorelli: por que o feedback contínuo pode ser melhor para sua empresa do que o anual?

ESG: pesquisa aponta projetos para 60+ como oportunidade para o investimentos privados 

Mais na Exame