Um conteúdo Bússola

Pioneira em energia solar no Piauí, Cruze recebe investimento de R$ 1 milhão

Com soluções voltadas para o consumidor final e B2B, a empresa inaugurou modelo de financiamento próprio para facilitar adesão à energia solar
Startup poderá iniciar projetos ainda mais avançados (Aaron Foster/Getty Images)
Startup poderá iniciar projetos ainda mais avançados (Aaron Foster/Getty Images)
B
BússolaPublicado em 07/07/2022 às 09:04.

A Cruze, startup pioneira em energia solar no Piauí, recebeu o aporte de R$ 1 milhão de um grupo de investidores do Sudeste. Entre eles está Bruno Rebouças, ex-funcionário do Google e ex-executivo da Media.Monks, parte do Grupo S4 Capital. Fundada por Lucas Cruz, natural de Teresina, a startup piauiense planeja utilizar o aporte para investir no financiamento próprio de projetos de instalação de energia solar, com o objetivo de democratizar o acesso à essa matriz energética e expandir sua operação para todo o País.

"A Cruze é uma empresa que sempre focou em facilitar o acesso à energia limpa e renovável. A empresa tem um histórico sólido de mais de mil projetos realizados e diferenciais como o aluguel de usinas solares, o financiamento próprio de sistemas, além de ter histórico na implementação de grandes usinas e parques solares. O mundo precisa seguir na direção de uma matriz energética mais sustentável e a Cruze é uma parceira de ponta para auxiliar empresas e indivíduos nessa evolução", declara Bruno. "Agora, nosso foco é na estruturação de um conselho consultivo, com outros profissionais experientes e capital para a empresa. O capital do aporte vai financiar nossos projetos de financiamento próprio e a construção de usinas de maior porte", diz.

Com soluções voltadas para o consumidor final e B2B, a empresa inaugurou um modelo de financiamento próprio de projetos para facilitar adesão à energia solar, que viabiliza até 95% de redução de custos. "Muita gente tem interesse em mudar a modalidade de energia para a solar, mas essas pessoas costumam enfrentar desafios e burocracia para conseguir financiamento. Com base em nosso entendimento do setor e segurança nos benefícios gerados, queremos simplificar essa etapa, garantindo que seja possível reduzir o custo mensal com a conta de energia já a partir do primeiro mês do projeto", declara Lucas Cruz, CEO e fundador da Cruze.

O financiamento próprio para a elaboração de projetos de usinas de energia solar tem por objetivo contribuir para a popularização deste tipo de iniciativa, que se trata de uma alternativa mais sustentável e econômica. Com grande atuação em todo o Nordeste, especialmente nos estados do Piauí e Maranhão,  a empresa registrou um faturamento de R$ 21 milhões em 2021 e prevê ao menos dobrar esse número, alcançando R$ 45 milhões em 2022. Entre os projetos, destacam-se os setores de hotelaria, escolas, hospitais e indústrias.

Segundo uma projeção divulgada pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), em todo o ano de 2022 devemos experimentar o aumento de 21% no custo da energia, com destaque para a bandeira vermelha (utilizada em situações de crise energética), que já registra uma alta de 58% em relação ao ano passado. Por questões como a crise hídrica e demandas globais envolvendo a adoção de práticas ambientalmente sustentáveis, métodos alternativos de produção de energia, como a solar, têm atraído cada vez mais a atenção de empresas e investidores. “Já não podemos mais ser omissos em relação ao nosso papel na crise climática. Aproveitar recursos naturais e renováveis, como a luz do sol, é uma forma de gerar valor a partir de pilares como a sustentabilidade e fazer diferença no nosso modo de vida”.

Siga a Bússola nas redes: Instagram | Linkedin | Twitter | Facebook | Youtube

Veja também

Inteligência artificial pode revolucionar o sistema de crédito brasileiro

Programa busca startups que trabalhem em preparação para desastres na AL

Liquidez de sinal: o que é? Como usar? Por que é importante para o varejo