Um conteúdo Bússola

Oscar: na votação popular só 2 filmes afinam com escolhas de especialistas

Pela primeira vez os fãs são diretamente ouvidos, mas ainda não se sabe se haverá troféu ao escolhido
 (Mike Blake/Reuters)
(Mike Blake/Reuters)
B
Bússola

Publicado em 07/03/2022 às 14:55.

Última atualização em 07/03/2022 às 16:02.

Por Danilo Vicente*

O Oscar deste ano traz uma novidade tentando se aproximar do público: votação popular para melhor filme e para melhor momento em um filme. Pelo Twitter ou pelo site, era possível, até 3 de março, escolher sua obra preferida da última temporada e a cena mais marcante. Isso tudo com direito a premiação, via sorteio, a quem participasse da iniciativa: viagem e participação na cerimônia de entrega das estatuetas.

Ainda não se sabe se o escolhido do público receberá um troféu oficial ou se será apenas uma menção durante a noite de gala. Mas já é interessante notar como o gosto dos críticos pouco coincide com o do público em geral.

A lista dos dez mais queridos dos fãs foi divulgada pela Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood, que organiza o Oscar. E somente dois — Duna e Ataque dos Cães — estão entre os indicados ao prêmio oficial de melhor filme, que segue os votos de especialistas.

É natural que em uma votação na internet os longas que foquem no público jovem sejam os preferidos. Mas 80% de diferença entre as duas listas é bastante coisa e mostra como a Academia precisa realmente se modernizar. Ano após ano, a cerimônia do Oscar tem menos audiência — e a votação popular é a mais recente tentativa de interagir com um público que não liga para a transmissão via televisão.

É um caminho sem volta para a Academia. Ou ela vai ao encontro do gosto popular ou fica elitizada e caminha para o esquecimento. Em 94 anos de Oscar há dezenas de exemplos de filmes de sucesso ignorados que receberam no máximo troféus técnicos, como figurino e efeitos visuais. Porém, nos anos recentes, nota-se uma aproximação ao gosto popular, como quando Pantera Negra foi o primeiro filme de super-herói indicado a melhor filme.

Mérito da qualidade dos filmes populares, claro. Pantera Negra chegou à indicação por ser muito bom. Entretanto, antes, mesmo com filmes incríveis em roteiro e direção, havia uma certa soberba contra o popular.

Aliás, este é um ponto importante. Nem tudo que é popular é bom. E uma premiação aos melhores não precisa obrigatoriamente seguir o gosto de fãs. O que vale é ter uma avaliação sem preconceito.

Ainda é preciso lembrar que o Globo de Ouro está para lá de desvalorizado, após casos de corrupção e de críticas por falta de diversidade na organização. Um perigo também ao Oscar, se não perceber as mudanças na sociedade.

A seguir, listo os escolhidos dos fãs e da crítica e onde estão disponíveis. Na dúvida, quero assistir a todos.

Escolhidos dos fãs:

  • Cinderella: Camila Cabello protagoniza a história da famosa princesa da Disney. Em Amazon Prime Video, Google Play e iTunes;
  • Homem-Aranha: Sem Volta para Casa: com o trio Tom Holland, Andrew Garfield e Tobey Maguire contra uma legião de vilões. No HBO Max (expectativa para março);
  • Sing 2: animação com músicas que fazem todos cantar. Em Amazon Prime Video, Google Play e iTunes;
  • Army Of The Dead: Invasão em Las Vegas: um mega-assalto após um ataque zumbi. Na Netflix;
  • Maligno: um terror em meio a assassinatos em sonhos. Em Amazon Prime Video, HBO Max, Google Play e iTunes;
  • Minamata: Johnny Depp movimentando seus fãs como um fotógrafo em busca de ajuda a uma comunidade no Japão. No GloboPlay;
  • Tick Tick... BOOM: Andrew Garfield novamente, mas cantando, na pele de Jonathan Larson, criador de Rent. Na Netflix;
  • O Esquadrão Suicida: outro de super-heróis e vilões... mais vilões. Em Amazon Prime Video, HBO Max, Google Play e Itunes;
  • Duna: primeira parte de aventura com um toque de Star Wars, refilmagem do clássico da literatura de ficção. Em HBO Max, Amazon Prime Video, Now, Google Play e iTunes;
  • Ataque dos Cães: o mais sério deles, um drama no estilo faroeste. Na Netflix.

Os preferidos da crítica:

  • Não Olhe Para Cima: o mundo vai acabar e ninguém liga, mesmo com os avisos de Leonardo DiCaprio e Jennifer Lawrence. Na Netflix;
  • King Richard: Criando Campeãs: Will Smith como o pai das irmãs Venus e Serena Williams. Em HBO Max, Now, Oi Play, iTunes e Google Play;
  • Licorice Pizza: nos anos 1970, um estudante quer ser ator. No cinema;
  • O Beco do Pesadelo: Guillermo del Toro dirigindo elenco estelar. No cinema;
  • Amor, Sublime Amor: adaptação do musical de 1957. No Disney Plus;
  • Drive My Car: primeiro japonês a disputar a categoria. No HBO Max e no Amazon Prime Video;
  • No Ritmo do Coração: aclamado em Sundance, sobre família com deficiência auditiva em que somente uma filha escuta. Em Amazon Prime Video, iTunes, Google Play e Looke;
  • Belfast: menino em meio à disputa entre católicos e protestantes. No cinema.

*Danilo Vicente é sócio-diretor da Loures Comunicação

Este é um conteúdo da Bússola, parceria entre a FSB Comunicação e a EXAME. O texto não reflete necessariamente a opinião da EXAME.

Siga a Bússola nas redes: Instagram | LinkedInTwitter | Facebook | YouTube

Veja também