A página inicial está de cara nova Experimentar close button
Conheça o beta do novo site da Exame clicando neste botão.

Nas eleições, São Pedro não perdoa; lembre-se de 2002

Com a seca, governo tenta assegurar energia para os brasileiros, mas preço deve subir

Por Márcio de Freitas*

São Pedro é a figura que guarda os portões do céu na mística cristã. No imaginário nacional é o responsável pelas chuvas. Em cerca de cem anos, as precipitações jamais foram tão raras quanto nestes últimos períodos.

Vestindo calças curtas (talvez tão apertadas quanto o modelito paulista), o governo Bolsonaro foi pego de surpresa. Corre agora para ligar térmicas alimentadas por combustível fóssil, caras, que assegurem a energia nos lares dos brasileiros.

A conta aumentará. E nos comércios, serviços, indústrias o preço maior dos boletos levará a repasses ao consumidor. Em que grau isso acontecerá, depende de São Pedro e das chuvas no segundo semestre.

E se a economia crescer? E se o setor industrial demandar mais? No campo do se, sempre cabe uma aventura teórica, mas na prática, se essa conta chegar, salgará a popularidade de Jair Bolsonaro. E isso torna infrutífero para ele o cenário político de 2022.

O "se" é lembrado com relativa propriedade neste caso pelo passado mais ou menos recente. Em 2000, o presidente do Banco Central Armínio Fraga reduzia juros e via setores produtivos reagirem, os consumidores demandarem mais, o país crescia após crises externas em sequência.

A seca matou a reação. Por falta d’água, morreu de fome o alazão de Fernando Henrique Cardoso. Em 2002, José Serra era um candidato preparado por toda a vida para ser presidente, mas levou junto a impopularidade do governo que não se preparou para o racionamento. Os tucanos vivem na estiagem desde o apagão.

*Márcio de Freitas é analista político da FSB Comunicação

Siga a Bússola nas redes: Instagram | LinkedinTwitter | Facebook | Youtube

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também