Bússola

Um conteúdo Bússola

IMC planeja expandir KFC, Pizza Hut e Frango Assado no Brasil

Novo CEO Global falou à Bússola sobre a agenda de transformação da companhia para enfrentar os desafios da indústria e voltar a crescer

Com time forte, IMC busca aumento da rentabilidade e retomada do crescimento. (Divulgação/Divulgação)

Com time forte, IMC busca aumento da rentabilidade e retomada do crescimento. (Divulgação/Divulgação)

B

Bússola

Publicado em 15 de outubro de 2021 às 19h04.

Após o impacto da pandemia no setor de varejo de alimentação no Brasil e no mundo, as redes de restaurantes iniciaram neste ano a trajetória de retomada dos negócios. Sob nova gestão, a International Meal Company (IMC), companhia que detém marcas como Frango Assado, KFC e Pizza Hut no Brasil, Margaritaville nos Estados unidos, com operações também na Colômbia e Panamá, vem implementando um consistente processo de transformação que tem como principais ingredientes o aumento da eficiência operacional, a expansão das suas principais marcas, a aceleração da transformação digital, e com foco na disciplina financeira.

Alexandre Santoro, CEO Global da IMC, contou para a Bússola como a companhia está se estruturando para melhorar a experiência do consumidor e voltar a crescer com rentabilidade.

Bússola: Você chegou à IMC em abril deste ano com a missão de revisar a estratégia do negócio e entregar as melhorias de eficiência operacional que o mercado espera da companhia. Como está essa virada da empresa?

Alexandre Santoro: Fizemos uma intensa imersão nos negócios nesses primeiros meses, visitando operações para mapear as prioridades de curto prazo e identificar oportunidades de longo prazo. A partir daí, definimos uma agenda de transformação, que tem como foco modernizar a empresa, elevar a experiência dos nossos consumidores e, por consequência, aumentar a rentabilidade tanto das nossas lojas próprias como a dos nossos franqueados.

Essa agenda tem como base termos as melhores pessoas, que pensam e agem como donos, alinhados com nossos objetivos de longo prazo de transformar a IMC numa empresa moderna e ágil para liderar a transformação que o nosso setor está passando. Nos baseamos em quatro ingredientes para fazer dessa estratégia uma receita de sucesso: o aumento da eficiência operacional, a expansão das nossas principais marcas, a aceleração da transformação digital, sempre com foco na disciplina financeira.

O segundo trimestre já apontou para uma trajetória de recuperação. Revertemos o resultado líquido para um lucro de R$ 21,1 milhões e atingimos o melhor Ebitda desde o terceiro trimestre de 2019. Tivemos um crescimento de vendas nas mesmas lojas chegando a cerca de 90% do realizado em 2019, com destaque para Margaritaville, que já superou as vendas daquele ano.

Uma das iniciativas implementadas para acelerar nossas vendas foi a migração para os canais digitais. Nossas vendas totais de delivery cresceram mais de 22% em relação ao primeiro trimestre deste ano e representaram 41% do total no KFC e 46% no Pizza Hut. Com a melhor gestão do mix e inovação de produtos nas nossas principais marcas, buscamos melhorar a experiência dos nossos clientes, entregando a melhor equação custo benefício possível.

Bússola: Como estes ingredientes da agenda de transformação estão sendo desdobrados dentro da companhia e para as marcas?

Alexandre Santoro: Primeiro começamos pela disciplina financeira. Com a dívida líquida administrada, estamos alocando capital nas operações que trazem maior potencial de retorno para a companhia. Retomamos nosso plano de expansão, com foco no crescimento de Frango Assado, KFC e Pizza Hut, aqui no Brasil, assim como seguimos com a bem sucedida expansão do Margaritaville nos Estados Unidos. O segundo ingrediente é a melhoria na eficiência operacional, onde vemos também oportunidades de maior otimização dos custos via centralização de processos e produção, por exemplo, aproveitando melhor a Cozinha Central.

Já a jornada digital, a vemos como o impulsionador dos nossos negócios e um pilar fundamental para o desenvolvimento das marcas e preparação para o futuro. Com os canais digitais, conseguimos acelerar vendas por meio do delivery e take away, além de caminhar rumo ao omnichannel, com a experiência única dos nossos consumidores em todos os pontos de contato com as nossas marcas.

Bússola: É uma grande mudança para a companhia, como vocês reestruturaram as equipes para implementar esta agenda de transformação?

Alexandre Santoro: Desde o início do ano, complementamos o nosso time com executivos experientes e com profundo conhecimento do mercado de varejo. A chegada desses profissionais, em conjunto com o time talentoso que já tínhamos na IMC, resulta em uma equipe forte e com todos os ingredientes que precisamos para crescer. Neste mês, chega para completar nosso time Rafael Bossolani, assumindo como novo CFO da companhia para agregar todo o seu conhecimento do setor do varejo combinado com ampla experiência na área financeira. Tenho certeza que com a força do nosso time chegaremos ainda mais rápido aos nossos objetivos, gerando mais oportunidades de crescimento e desenvolvimento para a nossa gente e abrindo novas oportunidades de carreira na IMC. Nosso objetivo de crescimento é bastante desafiador, e uma transformação dessa magnitude você só consegue fazer tendo um time excelente. Esse tem sido o nosso foco.

Bússola: O foco da IMC é nas principais marcas da companhia, sendo Frango Assado, KFC e Pizza Hut para o Brasil e Margaritaville para os Estados Unidos? Quais os planos para as outras marcas?

Alexandre Santoro: Nós iremos mudar a companhia de patamar, focando na melhoria de eficiência operacional e entrando numa fase de expansão acelerada nos próximos anos. Para isso acontecer, é necessário foco e disciplina. Todas as marcas em nosso portfólio possuem potencial de crescimento, mas não é possível expandir todos os negócios ao mesmo tempo – dadas naturais restrições na alocação dos nossos capitais financeiros e intelectuais.

Daí a decisão de priorizar os investimentos nessas quatro marcas: KFC, Frango Assado, Margaritaville e Pizza Hut. Simultaneamente, estamos em processo de avaliação e definição de quais são as melhores alternativas estratégicas para maximizar o valor das demais operações e aproveitar a recuperação de vendas com o aumento do fluxo de pessoas nos shoppings e aeroportos.

Bússola: O que o mercado pode esperar da IMC para 2022?

Alexandre Santoro: Nosso plano é acelerar a nossa agenda de transformação, que tem como base o bem-estar da nossa gente, a qualidade dos nossos produtos e prover a melhor experiência aos nossos consumidores. Esta agenda nos acompanhará pelos próximos anos, evoluindo de acordo com as necessidades do negócio, mercado, consumidores, acionistas, franqueados e parceiros. Nosso objetivo final é termos as marcas mais admiradas pelos nossos consumidores e expandir o número de restaurantes e a rentabilidade do nosso sistema.

Siga a Bússola nas redes: Instagram | LinkedinTwitter | Facebook | Youtube

Acompanhe tudo sobre:AlimentosConsumoKFCPizza Hut

Mais de Bússola

Pesquisa revela quais são as melhores empresas para pessoas LGBTQIA+

Rafael Albuquerque: como as empresas familiares crescem e inovam com governança?

Pedro Signorelli: por que o feedback contínuo pode ser melhor para sua empresa do que o anual?

ESG: pesquisa aponta projetos para 60+ como oportunidade para o investimentos privados 

Mais na Exame