Bússola

Um conteúdo Bússola

Bússola ESG: 3 perguntas de ESG para Giampaolo Buso, da PariPassu

Em entrevista exclusiva, o diretor executivo da empresa líder em rastreabilidade agroalimentar fala sobre soluções tecnológicas que reduzem o desperdício e aumentam a qualidade dos produtos

Giampaolo Buso: diretor executivo da PariPassu (Giampaolo Buso/Divulgação)

Giampaolo Buso: diretor executivo da PariPassu (Giampaolo Buso/Divulgação)

Renato Krausz
Renato Krausz

Sócio-diretor da Loures Consultoria - Colunista Bússola

Publicado em 3 de agosto de 2023 às 15h00.

Última atualização em 6 de novembro de 2023 às 17h40.

1. De que forma a rastreabilidade de alimentos pode evitar o desperdício do campo ao consumidor final?

As cadeias de abastecimento precisam manter uma coordenação organizada, do campo à mesa do consumidor, para que tenham eficiência na sua operação. Eficiência se traduz em segurança e saudabilidade do alimento, redução de perdas e maior disponibilidade (acessibilidade) para o consumidor.

Somente com rastreabilidade e visibilidade dos processos é que podemos avançar de forma consistente na eficiência da cadeia de abastecimento.

Rastreabilidade exige disciplina, registro e controle das operações, que por consequência impactam de forma positiva no domínio da atividade, identificando oportunidades de se fazer melhor.

Neste momento pós-pandemia, se não houver uma organização das relações entre os elos da cadeia de abastecimento, ou seja, um fluxo de comunicação compartilhado com evidência, não conseguiremos implementar e entregar gestão eficiente.

Nossa solução de rastreabilidade, o Sistema Rastreador, permite o registro das informações de cada elo da cadeia de abastecimento, mantendo um vínculo entre origem, produto, data e destino. O produto passa a ter um identificador, como um CPF, único e exclusivo, que permite vincular os controles e informações desejadas: Identificação; Controle; e Indicadores de Eficiência (redução de perda e melhoria da qualidade de entrega).

2. Em que outras frentes a empresa contribui para uma produção mais sustentável?

As soluções de tecnologia da PariPassu – Rastreador, Controle de Qualidade, Monitoramento de Resíduos em Alimentos e Plataforma para a Consultoria do processo de Certificação – estão sempre baseadas em treinamentos, capacitações e visitas de campo para orientação da correta utilização.

Equilibramos um processo híbrido de automatização dos controles com software, mas mantendo um processo de onboarding para treinamento remoto e presencial nas plataformas da empresa. 

E, ainda, os controles automatizados, como a Inspeção de Qualidade a partir da identificação do QR Code do produto associado ao seu padrão técnico, nos permitem consultar a informação da origem nas listas sujas disponibilizadas pelo governo brasileiro. Passamos a controlar pontos críticos específicos para reduzir o risco ecológico-social, apoiando o caminho da governança das relações.

3. Vocês possuem um Index com dados de milhares de empresas do setor. Que informações ele traz e qual a finalidade do ranking entre produtores?

O Index é uma plataforma de informação estratégica, referência no mercado agroalimentar, reunindo mais 2,6 mil empresas do setor, produtores, distribuidores, indústria e varejo alimentar. Ele foi idealizado ao longo dos quase 20 anos de existência da PariPassu. Construímos e aprimoramos os pontos de controle que direcionam a qualidade dos agentes da cadeia de abastecimento.  Rastreabilidade é premissa para termos uma identificação/ identidade exclusiva de cada etapa do processo. A Qualidade, indica a característica física que o produto chegou em cada elo da cadeia de abastecimento baseado em um padrão indicado.

A Segurança do Alimento, nos mostra qual a sanidade do alimento sob a perspectiva das análises químicas e microbiológicas. A Auditoria e Certificação permitem acompanhar as empresas que têm alguma certificação ou auditoria de segunda parte, sua validade, nota (quando houver) e tipo de protocolo.

Estas quatro variáveis têm suas respectivas notas de avaliação e geram uma média simples do posicionamento qualitativo do fornecedor. Este conceito traz, de forma objetiva, simples e quantitativa, a possibilidade de comparar desempenho sem usar o critério preço. O resultado tem sido muito positivo, pois direciona as atividades de melhoria de forma assertiva, definindo ações e prazos para evoluir em cada pilar.

Siga a Bússola nas redes: Instagram | Linkedin | Twitter | Facebook | Youtube

Veja também

O potencial do modelo Sustainability-as-a-Service

Danilo Maeda: Os avanços e desafios da moda sustentável

Transição energética no Brasil: potencial e desafios

Acompanhe tudo sobre:Bússola ESGSustentabilidadeAlimentos

Mais de Bússola

Bruno Almeida: qual o efeito da febre dos vídeos curtos nas estratégias de marketing digital? 

Conheça o segmento de IA que projeta gerar US$ 17 bilhões até 2032

Análise do cenário político e econômico após desistência de Joe Biden à corrida presidencial nos EUA 

A semana de 4 dias de trabalho pode dar certo nas empresas brasileiras?

Mais na Exame