Bússola

Um conteúdo Bússola

Empresa triplica criando 'startups' internas para gerar novos negócios

Ubistart vende alocação de times ágeis e desenvolve aplicações em cocriação com os clientes, com método próprio de planejamento

Ubistart prevê crescer 60% em faturamento em 2021 (oatawa/Thinkstock)

Ubistart prevê crescer 60% em faturamento em 2021 (oatawa/Thinkstock)

B

Bússola

Publicado em 12 de julho de 2021 às 12h47.

Última atualização em 15 de julho de 2021 às 19h54.

A Ubistart triplicou seu faturamento em 2020, em plena pandemia, criando "startups" dentro de grandes empresas para desenvolvimento de softwares sob medida para geração de novos negócios. Também multiplicou por três seu próprio tamanho. Para 2021, a meta é crescer 60% o faturamento e 30% sua operação. Tudo isso aconteceu a partir de uma estratégia de posicionamento junto ao mercado corporativo.

A Ubi – como é chamada pelos colaboradores – vende alocações de times ágeis de software e desenvolve aplicações web e mobile levando "startups" para atuar em grandes players. “Fazemos essa transformação digital por meio de automatização de processos internos, criação de canais de venda e, até mesmo, oferecendo um spin off, ou seja, uma startup dentro de uma grande corporação”, afirma Walter Sengik, diretor de relacionamento da empresa.

A Ubistart surgiu depois que seus sócios faliram após se dedicarem um ano e meio a uma startup do segmento de varejo – app que oferecia promoções e novidades para usuários das lojas físicas próximas por meio de localização. Com o fracasso do primeiro negócio e seu conhecimento sobre inovação, os dois resolveram agregar a experiência e fundar a nova companhia, em 2016, formada, então, por gestores com mais de dez anos de experiência no setor.

A empresa usa um método de planejamento de projetos eficaz que viabiliza a solução de softwares com uma equipe competente e auxilia os clientes em todo o processo. Oferece suporte e realiza ajustes para melhorias no sistema de web desenvolvido em cocriação com o cliente.

“O processo de desenvolvimento do software agrega muito valor, pois além da equipe entender de negócios, planejamentos estratégicos, gestão e design, realiza workshops para desenvolver brainstorms junto com os funcionários e stakeholders”, diz Sengik. Hoje, a empresa atende clientes como a OAB-RS, Shopper, La Moda, Andritz, Schattdecor, Wiser Educação (a holding da meusucesso.com e Wise Up), Senff e Daniel Law.

 

 

Siga a Bússola nas redes: Instagram | LinkedInTwitter | Facebook | Youtube

Acompanhe tudo sobre:empresas-de-tecnologiagestao-de-negociosInovaçãoSoftwareStartups

Mais de Bússola

Vinicius Hilkner: a IA Generativa é o integrante essencial que faltava no seu time? 

Melhor empreender no campo ou na cidade? Conheça jovens da Bahia que escolheram a primeira opção

A empresa centenária e familiar que se orgulha de ter 85% de presença feminina entre funcionários 

Como utilizar os meios digitais para atrair e reter pacientes em clínicas e consultórios?

Mais na Exame