• AALR3 R$ 20,06 1.88
  • AAPL34 R$ 70,18 -4.39
  • ABCB4 R$ 16,60 -1.95
  • ABEV3 R$ 14,20 -3.60
  • AERI3 R$ 3,78 -2.83
  • AESB3 R$ 10,66 -1.39
  • AGRO3 R$ 30,75 -2.81
  • ALPA4 R$ 20,98 -2.37
  • ALSO3 R$ 19,47 -3.23
  • ALUP11 R$ 26,41 0.19
  • AMAR3 R$ 2,38 -2.46
  • AMBP3 R$ 30,90 1.95
  • AMER3 R$ 22,96 -0.26
  • AMZO34 R$ 67,68 -6.44
  • ANIM3 R$ 5,52 -3.33
  • ARZZ3 R$ 82,09 -0.82
  • ASAI3 R$ 15,48 -2.21
  • AZUL4 R$ 21,30 -4.01
  • B3SA3 R$ 11,54 -3.03
  • BBAS3 R$ 35,85 -1.59
  • AALR3 R$ 20,06 1.88
  • AAPL34 R$ 70,18 -4.39
  • ABCB4 R$ 16,60 -1.95
  • ABEV3 R$ 14,20 -3.60
  • AERI3 R$ 3,78 -2.83
  • AESB3 R$ 10,66 -1.39
  • AGRO3 R$ 30,75 -2.81
  • ALPA4 R$ 20,98 -2.37
  • ALSO3 R$ 19,47 -3.23
  • ALUP11 R$ 26,41 0.19
  • AMAR3 R$ 2,38 -2.46
  • AMBP3 R$ 30,90 1.95
  • AMER3 R$ 22,96 -0.26
  • AMZO34 R$ 67,68 -6.44
  • ANIM3 R$ 5,52 -3.33
  • ARZZ3 R$ 82,09 -0.82
  • ASAI3 R$ 15,48 -2.21
  • AZUL4 R$ 21,30 -4.01
  • B3SA3 R$ 11,54 -3.03
  • BBAS3 R$ 35,85 -1.59
Abra sua conta no BTG

E-sports deve crescer mais do que a economia mundial em 2021

Com evolução das mídias sociais e tecnologias de streamings, o setor deve faturar US$ 1,1 bilhão, um aumento de 14,5% em relação ao ano passado
Brasil tem quase 28 milhões de praticantes de e-sports. (Getty Images/Riot Games)
Brasil tem quase 28 milhões de praticantes de e-sports. (Getty Images/Riot Games)
Por BússolaPublicado em 26/06/2021 11:00 | Última atualização em 25/06/2021 20:24Tempo de Leitura: 3 min de leitura

O mercado de e-sports vem crescendo cada vez mais e se posicionando como um dos principais players do mundo esportivo. Dados levantados pela consultoria Alvarez & Marsal apontam que o setor deve faturar US$ 1,1 bilhão em 2021, um aumento de 14,5% na receita global, ultrapassando a economia mundial (5,5%). O segmento foi um dos que menos sofreu com a pandemia, registrando uma queda de apenas 1,09% em 2020 em relação ao ano anterior, passando de US$ 957,5 milhões para US$ 947,1 milhões. E, com a modalidade ganhando cada vez mais notoriedade, a previsão é que as receitas alcancem US$ 1,6 bi até 2024.

A China é o principal mercado do e-sports, gerando US$ 385 milhões em receitas, seguido dos Estados Unidos com US$ 253 milhões. Patrocínio e receitas de TV são as principais fontes de arrecadação do e-sports, representando 59% e 18% do faturamento total, respectivamente. Mas outros elementos contribuem para o faturamento, como explica o diretor da Alvarez & Marsal Leonardo Coelho, líder da área de esporte e entretenimento da consultoria.

Bilheteria e merchandising, assim como eventos, compõem uma boa parcela do faturamento do e-sports. Um diferencial da modalidade é a receita por venda de itens in-game, em que parte da receita é destinada às equipes, sendo uma característica exclusiva dos esportes eletrônicos”, diz Coelho.

E não é só em faturamento que o e-sports ganha. O número de praticantes e entusiastas também deve subir, passando dos atuais 474 milhões para 577 milhões em 2024. O Brasil deve fechar 2021 com 27,9 milhões de adeptos da modalidade, apresentando um crescimento de 52,5% nos últimos três anos. A audiência também aumenta cerca de 16% ao ano. No Brasil, o principal fator que impulsiona é a transmissão dos campeonatos por canais esportivos tradicionais como Sportv e ESPN.

“A audiência do e-sports vem crescendo mundialmente ano após ano, e deve chegar a 646 milhões de espectadores em 2023, com maioria chinesa. A pandemia acelerou esse crescimento. Com mais pessoas em casa por conta do lockdown, o e-sports se mostrou uma das poucas opções de esporte e entretenimento que poderiam ser realizadas em segurança”, afirma.

Siga a Bússola nas redes: Instagram | LinkedInTwitter | Facebook | Youtube