Um conteúdo Bússola

Dom Cabral e Insead discutem desafios e oportunidades da floresta amazônica

O evento terá, na plateia, lideranças empresariais de diferentes países, como Alemanha, Dinamarca, Reino Unido, Kuwait e Japão
Encontro acontecerá na França, em setembro (Paulo Whitaker/Reuters)
Encontro acontecerá na França, em setembro (Paulo Whitaker/Reuters)
B
BússolaPublicado em 20/09/2022 às 11:28.

Por Bússola  

A Fundação Dom Cabral e o Insead levam a discussão sobre os desafios e oportunidades da Floresta Amazônica para um encontro na França em setembro. O evento terá, na plateia, lideranças empresariais de diferentes países, como Alemanha, Dinamarca, Reino Unido, Kuwait e Japão. A proposta do encontro é despertá-los para o potencial de uma economia amazônica sustentável, ajudando a acelerar as respostas empresariais para os grandes desafios globais, como a crise climática.

“Decidimos levar essa discussão para fora do Brasil em um fórum extremamente qualificado. A Amazônia é vital para o futuro do Brasil e do planeta como um todo”, destaca Virgílio Viana, professor da Fundação Dom Cabral (FDC), superintendente geral da Fundação Amazônia Sustentável e nomeado pelo Papa Francisco como membro da Pontifícia Academia de Ciências Sociais.

A Amazônia reúne mais de 2.000 espécies de peixes, 14.000 espécies de plantas e cerca de 1,5 milhão de espécies de fungos. A região é fundamental para a manutenção do regime de chuvas que alimenta a produção agrícola, a geração de energia hidrelétrica e o abastecimento urbano de água.

O desafio atual da região é superar uma economia baseada em desmatamento para uma adaptada para a realidade local e focada em pessoas e na conservação do capital natural.A proposta do encontro é aproveitar o perfil do público presente para mostrar que, por trás de todos os problemas, há um vasto potencial para a bioeconomia amazônica. O tema será tratado em uma palestra que, enquanto é um alerta, também representa um convite para fazer parte da solução! Ela vai apontar caminhos para promover a equidade, proporcionar prosperidade, fomentar a produção sustentável e proteger a natureza. 

A palestra será dada pelo professor Virgílio Viana, que é PhD em Biologia Evolutiva, por Harvard, professor da  Fundação Dom Cabral (FDC), Superintendente Geral da Fundação Amazônia Sustentável e nomeado pelo Papa Francisco como membro da Pontifícia Academia de Ciências Sociais. O encontro será mediado pelo professor Felipe Monteiro, professor de estratégia e diretor acadêmico, que lidera o Índice Global de Competitividade de Talentos no Insead.  

A parceira da FDC e o Insead já tem 30 anos. Ela foi pioneira na transformação executiva no Brasil. Juntas, as duas instituições criaram o Programa de Gestão Avançada (PGA). O foco do PGA é preparar líderes de organizações nacionais e multinacionais, tanto privadas como públicas. “O PGA inspira os líderes de negócios do Brasil a lidarem com os desafios globais e direcionar os negócios como uma força em benefício de toda a sociedade. Isto perpassa o compromisso de ambas as escolas em desenvolver líderes responsáveis que transformam os negócios e a sociedade", declara Felipe Monteiro. 

“Um dos grandes desafios globais é o fato de que o mundo caminha para uma crise climática e é urgente acelerar a resposta empresarial a ela. Por isso, decidimos levar esta discussão para fora do Brasil em um fórum extremamente qualificado. A Amazônia é vital para o futuro do Brasil e do planeta como um todo”, afirma Virgílio Viana. 

A Amazônia reúne mais de 2.000 espécies de peixes, 14.000 espécies de plantas e cerca de 1,5 milhão de espécies de fungos. A região é fundamental para a manutenção do regime de chuvas que alimenta a produção agrícola, a geração de energia hidrelétrica e o abastecimento urbano de água.  O desafio atual da região é superar uma economia baseada em desmatamento para uma adaptada para a realidade local e focada em pessoas e na conservação do capital natural. 

Siga a Bússola nas redes: Instagram | Linkedin | Twitter | Facebook | Youtube 

Veja também

Empresas se unem para impulsionar o mercado voluntário de carbono 

Governança corporativa vai além do cumprimento protocolar de regras 

Conheça a empresa que salva garrafas e se prepara para conquistar os EUA