Bússola

Um conteúdo Bússola

De desenhos a youtubers: como estratégias de marketing estão reinventando a volta às aulas

Cada vez mais omnichannel, setor de material escolar conta com o apoio de influenciadores digitais para impulsionar as vendas

O youtuber e criador de conteúdo infantil Luccas Neto (Luccas Neto / Instagram /Reprodução)

O youtuber e criador de conteúdo infantil Luccas Neto (Luccas Neto / Instagram /Reprodução)

Bússola
Bússola

Plataforma de conteúdo

Publicado em 1 de fevereiro de 2024 às 13h00.

Por Kelly Pinheiro e Denis Zanini Lima*

Quem tem criança em casa sabe que a temporada de volta às aulas é quase como um segundo Natal, só que com cheiro de caderno novo e mochilas coloridas. 

É aquele momento em que a lista de materiais escolares se torna uma espécie de tesouro a ser desbravado nas prateleiras. 

Mas, para além da nostalgia das compras de lápis e borrachas, nos bastidores desse frenesi escolar, o setor de educação e as papelarias se transformam em um campo de batalha estratégico para os varejistas, representando não apenas a retomada das atividades escolares, mas também um cenário propício para estratégias publicitárias e aumento das vendas. 

Com a tradicional papelaria agora adotando estratégias omnichannel para atender às demandas diversificadas dos consumidores modernos, vemos uma transformação profunda na dinâmica do setor. 

Nesse cenário, o marketing entra em ação, e as redes sociais se tornam o palco para cativar não só os estudantes, mas também os pais em busca dos melhores negócios, criando assim uma interconexão vital entre a evolução do modelo de negócios e as estratégias de promoção voltadas para uma audiência mais ampla.

  • As expectativas variam de região para região, mas o mercado acredita em um crescimento de aproximadamente 10% no faturamento, especialmente no âmbito online.

Um exemplo concreto desse protagonismo digital é a performance notável dos pequenos e médios lojistas online (PMEs). 

Segundo levantamento da Nuvemshop, com a volta às aulas, os empreendedores que usam a plataforma já conseguiram faturar R$ 1,4 milhão nos primeiros dias de 2024 com a venda de materiais escolares e itens relacionados, representando um crescimento de 8% em relação ao mesmo período de 2023

Já o Grupo Leonora, que buscou parcerias no varejo para expandir suas ofertas de produtos de papelaria e eletrônicos, apostou em uma abordagem abrangente para potencializar suas vendas. 

  • Além de estabelecer colaborações estratégicas, a empresa investiu em comunicações personalizadas nas gôndolas das lojas. 

A estratégia também contemplou a presença de promotores de vendas, visando assegurar uma exposição organizada dos produtos, especialmente durante esta época em que o volume de clientes se multiplica. 

  • Assim, a marca já garantiu 40% de crescimento e projeta um faturamento de cerca de R$ 300 milhões somente com esse período sazonal.

Marketing de Influência cada vez mais presente

Já não é mais segredo que o advento das redes sociais trouxe consigo uma mudança significativa na dinâmica de divulgação e promoção. 

  • Plataformas como Instagram, Facebook e Youtube se tornaram vitrines virtuais para as lojas, permitindo uma interação direta e imediata com o público-alvo. 
  • As campanhas publicitárias são agora moldadas de maneira a cativar os usuários dessas redes, explorando recursos visuais atrativos e conteúdo envolvente.

Assim, a utilização de influenciadores digitais tem se destacado como uma estratégia eficaz para impulsionar as vendas durante esse período. 

Youtubers direcionados ao público infantil, que muitas vezes possuem suas próprias linhas de materiais escolares, têm se tornado parceiros valiosos para as lojas. 

A exposição dos produtos por meio desses influenciadores cria uma conexão direta com as crianças e, consequentemente, influencia suas decisões de compra, uma vez que os pequenos consumidores buscam replicar os gostos de seus ídolos digitais.

Desenhos vs. Influenciadores: a evolução nas escolhas infantis

Ah, como é curioso para nós, os adultos de hoje que na época de crianças eram super fãs de animações, observar como as preferências das crianças evoluíram ao longo do tempo. 

Se antes os produtos temáticos de desenhos animados dominavam as prateleiras, agora são os influenciadores digitais que dominam o cenário infanto-juvenil. É uma nova era, e as preferências mudaram mais rápido do que a gente imaginava.

  • Logo, nos últimos anos, os desenhos animados enfrentam uma concorrência inesperada: pessoas reais. 

Diversos influenciadores focados no público infanto-juvenil têm criado suas próprias linhas de materiais escolares, agendas, mochilas, lancheiras e outros produtos. 

Nomes como Luccas Neto, Família Arqueira, Brancoala, Enaldinho e Gato Galáctico, conhecidos por cativar as crianças com conteúdo divertido e educativo, agora expandem sua influência para além das telas.

Em suma, à medida que navegamos essa temporada de volta às aulas, fica claro que o crescimento desses setores é muito mais do que uma simples lista de materiais. 

É uma experiência dinâmica onde a tradição se encontra com a inovação, e o marketing desempenha um papel vital na construção dessa narrativa que, embora sazonal, segue aquecida e em ascensão.

*Kelly Pinheiro é jornalista e fundadora e sócio-diretora da Mclair Comunicação e Denis Zanini Lima é CEO da Ynusitado Marketing Digital Intelligence.

Siga a Bússola nas redes: Instagram | Linkedin | Twitter | Facebook | Youtube

Veja também

Parabéns, Oprah: como a apresentadora mais famosa do mundo foi da pobreza ao império de R$ 17 bi

Quem são os bilionários que levarão o Brasil ao primeiro campeonato mundial de lanchas elétricas?

Bússola Vozes: quem cuida dos filhos dos políticos?

Acompanhe tudo sobre:InfluenciadoresCriançasmarketing-digital

Mais de Bússola

Bússola Poder: o tribunal eleitoral do capitão

Open Finance é confiável? Cresce 33% número de brasileiros que aceitam compartilhar dados bancários

Saiba qual é o gasto de energia da geladeira mais econômica do mercado que acaba de ser lançada

Saiba em quais cidades é melhor contar com um carro alugado

Mais na Exame