• AALR3 R$ 20,34 1.40
  • AAPL34 R$ 67,96 -2.78
  • ABCB4 R$ 17,36 4.52
  • ABEV3 R$ 14,11 -0.77
  • AERI3 R$ 3,72 -1.59
  • AESB3 R$ 10,75 0.66
  • AGRO3 R$ 30,95 1.08
  • ALPA4 R$ 20,84 -0.48
  • ALSO3 R$ 19,10 -1.29
  • ALUP11 R$ 26,71 1.17
  • AMAR3 R$ 2,45 4.26
  • AMBP3 R$ 30,53 -2.12
  • AMER3 R$ 23,10 0.65
  • AMZO34 R$ 67,45 -0.34
  • ANIM3 R$ 5,50 -0.72
  • ARZZ3 R$ 81,36 -0.60
  • ASAI3 R$ 15,39 -0.06
  • AZUL4 R$ 21,23 0.00
  • B3SA3 R$ 11,82 2.34
  • BBAS3 R$ 35,68 -0.64
  • AALR3 R$ 20,34 1.40
  • AAPL34 R$ 67,96 -2.78
  • ABCB4 R$ 17,36 4.52
  • ABEV3 R$ 14,11 -0.77
  • AERI3 R$ 3,72 -1.59
  • AESB3 R$ 10,75 0.66
  • AGRO3 R$ 30,95 1.08
  • ALPA4 R$ 20,84 -0.48
  • ALSO3 R$ 19,10 -1.29
  • ALUP11 R$ 26,71 1.17
  • AMAR3 R$ 2,45 4.26
  • AMBP3 R$ 30,53 -2.12
  • AMER3 R$ 23,10 0.65
  • AMZO34 R$ 67,45 -0.34
  • ANIM3 R$ 5,50 -0.72
  • ARZZ3 R$ 81,36 -0.60
  • ASAI3 R$ 15,39 -0.06
  • AZUL4 R$ 21,23 0.00
  • B3SA3 R$ 11,82 2.34
  • BBAS3 R$ 35,68 -0.64
Abra sua conta no BTG

Como usar a tecnologia para gerar impacto social

Programa da Fundação Estudar vai distribuir R$ 2,4 milhões em bolsas de estudo para graduação na área de tecnologia nas universidades do mundo
Programa da Fundação Estudar vai distribuir R$ 2,4 milhões em bolsas de estudo para graduação na área de tecnologia nas universidades do mundo (Getty Images/Banco de imagens)
Programa da Fundação Estudar vai distribuir R$ 2,4 milhões em bolsas de estudo para graduação na área de tecnologia nas universidades do mundo (Getty Images/Banco de imagens)
Por Danilo VicentePublicado em 07/05/2022 16:39 | Última atualização em 10/05/2022 10:46Tempo de Leitura: 3 min de leitura

Por Danilo Vicente*

Construir uma rede de talentos focada em tecnologia que vai conduzir à revolução tecnológica no Brasil nos próximos anos. Esse é o plano é da Fundação Estudar, organização que fomenta a formação de lideranças brasileiras há 30 anos. O chamado Tech Fellow Estudar vai distribuir R$ 2,4 milhões em bolsas de estudo para graduação na área de tecnologia nas melhores universidades do mundo.

Plano ambicioso... e necessário. A Associação das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação e de Tecnologias Digitais (Brasscom) estima que, até 2025, o Brasil tenha uma demanda de 800 mil novos talentos na área de desenvolvimento, programação e afins.

A média é de 160 mil empregos por ano, o que significa um horizonte de crise de mão de obra no setor, já que o ensino superior brasileiro forma por volta de 46 mil profissionais anualmente nesta área.

É inegável que a pandemia impactou o setor, intensificando a necessidade de criar soluções para atender às novas demandas de um dia a dia muito mais digital. É um mercado que só cresce e foi catalisado entre 2020 e 2022.

Mas além da quantidade, o Brasil precisa de qualidade. Cabeças que pensam “fora da curva” são as que podem trazer inovações que coloquem o país no caminho de nações como Israel, Estados Unidos e Austrália. O programa da Fundação Estudar banca de 5% a 95% da necessidade do estudante, mas tem como contrapartida que ele, depois, tenha comprometimento com o Brasil – e com futuros estudantes selecionados pelo programa.

Os jovens interessados podem se inscrever gratuitamente até 3 de junho, no site da instituição. O processo seletivo avalia habilidades técnicas e comportamentais dos candidatos que, para participar, precisam ser brasileiros, estar matriculados ou em processo para graduação (Major, Double Major e Minor) ou em intercâmbio no exterior em cursos como Ciência da Computação, Análise de Sistemas, Engenharia de Software e Jogos Digitais (ou outros relacionados).

Anamaíra Spaggiari, diretora-executiva da Fundação Estudar, diz que o programa busca jovens talentos que sonham em gerar impacto social por meio da tecnologia. “A ideia é construir uma comunidade de talentos que irá conduzir a revolução tecnológica no Brasil nos próximos anos'', destaca.

O programa mostra como é possível usar a tecnologia muito além de gerar recursos para grandes empresas, mas, com ela, mudar vidas – não só a de quem ganha a bolsa, mas de todos que podem usufruir dos resultados positivos que esses profissionais irão gerar em contrapartida para o país.

*Danilo Vicente é sócio-diretor da Loures Comunicação

Este é um conteúdo da Bússola, parceria entre a FSB Comunicação e a Exame. O texto não reflete necessariamente a opinião da Exame.

Siga a Bússola nas redes: Instagram | LinkedinTwitter | Facebook | Youtube

Veja também

Ser Educacional lança Peixe 30, plataforma de desenvolvimento profissional

Acate e Eniac firmam ponte de inovação aberta entre universidade e mercado

O que as empresas estão fazendo para conquistar e reter talentos