• AALR3 R$ 20,20 -0.49
  • AAPL34 R$ 66,78 -0.79
  • ABCB4 R$ 16,69 -3.75
  • ABEV3 R$ 13,98 -1.13
  • AERI3 R$ 3,67 -0.81
  • AESB3 R$ 10,70 0.00
  • AGRO3 R$ 30,74 -0.32
  • ALPA4 R$ 20,46 -1.35
  • ALSO3 R$ 18,92 -0.94
  • ALUP11 R$ 26,83 0.86
  • AMAR3 R$ 2,41 -1.23
  • AMBP3 R$ 29,84 -2.29
  • AMER3 R$ 23,45 1.56
  • AMZO34 R$ 66,86 -0.09
  • ANIM3 R$ 5,36 -2.72
  • ARZZ3 R$ 81,01 -0.23
  • ASAI3 R$ 15,95 3.24
  • AZUL4 R$ 20,93 -1.46
  • B3SA3 R$ 12,13 2.71
  • BBAS3 R$ 37,15 4.06
  • AALR3 R$ 20,20 -0.49
  • AAPL34 R$ 66,78 -0.79
  • ABCB4 R$ 16,69 -3.75
  • ABEV3 R$ 13,98 -1.13
  • AERI3 R$ 3,67 -0.81
  • AESB3 R$ 10,70 0.00
  • AGRO3 R$ 30,74 -0.32
  • ALPA4 R$ 20,46 -1.35
  • ALSO3 R$ 18,92 -0.94
  • ALUP11 R$ 26,83 0.86
  • AMAR3 R$ 2,41 -1.23
  • AMBP3 R$ 29,84 -2.29
  • AMER3 R$ 23,45 1.56
  • AMZO34 R$ 66,86 -0.09
  • ANIM3 R$ 5,36 -2.72
  • ARZZ3 R$ 81,01 -0.23
  • ASAI3 R$ 15,95 3.24
  • AZUL4 R$ 20,93 -1.46
  • B3SA3 R$ 12,13 2.71
  • BBAS3 R$ 37,15 4.06
Abra sua conta no BTG

Como teste rápido de covid pode ajudar à volta das atividades presenciais?

Especialista do Grupo Alliar fala sobre estratégia de triagem para a detecção da covid-19 com foco na retomada mais segura
Prevenção e controle de surtos dependem da frequência de testes e velocidade de notificação. (Reuters/Ricardo Moraes)
Prevenção e controle de surtos dependem da frequência de testes e velocidade de notificação. (Reuters/Ricardo Moraes)
Por BússolaPublicado em 07/09/2021 15:01 | Última atualização em 06/09/2021 21:27Tempo de Leitura: 4 min de leitura

Com o avanço da imunização e o retorno da população às atividades coletivas, como trabalho, estudos e até eventos culturais, os testes de triagem para covid-19 têm sido uma ferramenta importante para permitir a identificação e o isolamento precoce de pessoas que podem estar transmitindo vírus sem saber, principalmente em áreas com níveis elevados de transmissão comunitária e com baixa ou moderada cobertura vacinal. Novas variantes, como a Delta, também aumentam a necessidade de testagem, já que os sintomas semelhantes aos de um resfriado dificultam um diagnóstico preciso.

Segundo dados reunidos pelo consórcio de veículos de imprensa, mais de 26% dos brasileiros tomaram as duas doses da vacina contra a covid-19 e 58,65% receberam a primeira dose, mas especialistas alertam que cuidados como o uso de máscaras, distanciamento social, álcool em gel e testagem em massa, precisam ser reforçados e mantidos a longo prazo.

“O uso de testes rápidos — POC (Point of Care), como testes de antígeno em swab nasal, para triagem desempenha um papel importante como estratégia de prevenção, devido ao rápido resultado. Os testes de antígeno são mais sensíveis nos estágios iniciais da infecção, quando as cargas virais são altas e têm sensibilidade decrescente à medida que a doença progride e quando a transmissão pode ser menos provável”, declara Ricardo Dupin, vice-presidente de Operações e diretor de Medicina Laboratorial da Alliar.

“Acredita-se que a prevenção e o controle de surtos dependem em grande parte da frequência de testes e da velocidade de notificação, uma vantagem dos testes de antígeno oferecidos pela Alliar”, afirma o especialista.

Além de indivíduos imunizados, pessoas não vacinadas com infecção assintomática ou pré-sintomática também podem ser vetores na transmissão do coronavírus na comunidade.

O teste em série de pessoas não vacinadas, independentemente de sinais ou sintomas, é um componente-chave para prevenir o aumento da transmissão e infecção pela covid-19. Importante destacar também que, em comparação com adultos, crianças e adolescentes infectados são mais comumente assintomáticos ou apresentam sintomas leves e não específicos, o que aumenta a potencial utilidade do uso de exames de triagem.

“Mesmo com o avanço da vacinação e a retomada da rotina pré-pandemia, precisamos manter o distanciamento, usar máscara e monitorar a população com testes de covid-19 até o controle do vírus, principalmente com o surgimento de novas cepas, como a Delta, com alto índice de disseminação. Temos que estar atentos e manter os cuidados até o fim real da pandemia”, diz o médico.

Para conter a transmissão do novo coronavírus, o especialista fala sobre algumas estratégias de prevenção com testes de triagem.

Os testes de triagem podem melhorar a detecção do SARS-CoV-2:

- Testes em série com rápido isolamento de indivíduos infectados pode facilitar a reabertura de empresas, comunidades e escolas com menor risco de aumento nos casos locais;

- Testes frequentes (uma ou duas vezes por semana) combinados com outras estratégias de redução de risco, contribuíram para baixas taxas de

casos em ambientes universitários e empresas.

A frequência dos testes deve estar correlacionada a:

- Se a transmissão comunitária tiver o percentual de positividade dos testes de PCR nos últimos sete dias igual ou maior que 8%, pode ser necessária uma triagem mais frequente, independentemente de outros indicadores;

- Características (por exemplo, tamanho, proximidade das pessoas, duração da interação) da escola, local de trabalho, ambiente residencial. O período de incubação do vírus, dado que pode ser de até 14 dias, o Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos recomenda a realização de testes de triagem pelo menos semanalmente.

Grupos prioritários para testes de triagem

Qualquer grupo pode ser elencado para adição da testagem como estratégia de prevenção de surtos de covid-19, sendo principalmente as pessoas não vacinadas as de maior benefício, se levando em conta a disponibilidade dos testes. São grupos prioritários:

- Grupos e minorias étnicas e raciais, desproporcionalmente afetadas pelo covid-19;

- Professores e profissionais de apoio das escolas primárias e secundárias e creches;

- Estudantes, professores e profissionais de apoio em instituições de ensino superior e técnico;

- Trabalhadores em locais com alta concentração ou elevado contato com colegas (ex: restaurantes, trabalhadores do transporte, supermercados);

- Funcionários públicos com elevada interação (Exemplo carteiros, e atendentes de serviços públicos);

- Trabalhadores do front: policiais, bombeiros, profissionais de saúde;

- Residentes e staff de instituições de caridades, asilos, casas de repouso;

- Trabalhadores em acampamentos e plataformas offshore;

- Pessoas que viajaram recentemente.

Siga a Bússola nas redes: Instagram | LinkedinTwitter | Facebook | Youtube