Um conteúdo Bússola

Como seguro de vida pode cobrir doenças graves e diagnóstico de câncer

A pedido da Bússola, diretor da Bradesco Vida e Previdência diz como utilizar o seguro para auxiliar no custeio aos tratamentos
Seguro de vida pode ser alternativa auxiliar no custeio do tratamento de uma doença grave, evitando impactos financeiros sobre a estrutura familiar (Benoit Tessier/Reuters)
Seguro de vida pode ser alternativa auxiliar no custeio do tratamento de uma doença grave, evitando impactos financeiros sobre a estrutura familiar (Benoit Tessier/Reuters)
Por BússolaPublicado em 07/02/2022 17:29 | Última atualização em 07/02/2022 17:29Tempo de Leitura: 3 min de leitura

Por Bússola

O tratamento da doença grave de um ente querido pode ter custos altos. A incidência da pandemia evidenciou a importância de se estabelecer uma cultura de proteção, levando a uma reavaliação de necessidades. A pedido da Bússola, Bernardo Castello, diretor da Bradesco Vida e Previdência, destaca que o seguro de vida pode ser uma alternativa para auxiliar no custeio do tratamento de uma doença grave, evitando impactos financeiros sobre a estrutura familiar.

“Não se trata apenas de reembolso de despesas ou adiantamento do capital de morte, mas sim de uma indenização que o segurado recebe em vida”, afirma Bernardo Castello.

A proteção do seguro de vida traz conforto financeiro e agrega valor e estabilidade individualmente e no âmbito familiar, podendo até mesmo ajudar a salvar ou prolongar uma vida.

De acordo com Instituto Nacional de Câncer (INCA), a projeção para cada ano do triênio 2020-2022 é de que ocorrerão 625 mil novos casos de câncer. O Seguro de Vida cobre as principais doenças de maior incidência sobre a população brasileira.

No público feminino, as maiores ocorrências estimadas da doença são de Câncer de Mama (29,7%), Cólon e Reto (9,2%), Colo do Útero (7,5%), Traqueia, Brônquio e Pulmão (5,6%) e Glândula Tireoide (5,4%). No grupo dos homens, Câncer de Próstata (29,2); Cólon e Reto (9,1%); Traqueia, Brônquio e Pulmão (7,9%); Estômago (5,9%) e Cavidade Oral (5,0%).

Benefícios

Com os recentes avanços da medicina em casos de diagnóstico precoce, a cobertura contratada pode auxiliar este tratamento, ao prover indenização capaz de custear as despesas envolvidas.

Segundo Castello, dependendo da cobertura, o segurado conta com diversos serviços de assistência, além de apoio nas despesas, deslocamento para o tratamento em outra cidade e até mesmo hospedagem no caso de pacientes em estado grave.

Além disso, o diretor fala que os trabalhadores autônomos, informais e prestadores de serviços também devem se planejar para incluir o seguro de vida no planejamento familiar. “Todos nós estamos sujeitos a imprevistos, e é nesses momentos que geralmente nos damos conta da necessidade de termos uma rede de segurança”, declara.

Custo-benefício

Na Bradesco Vida e Previdência, por exemplo, a partir de R$ 7,30 por mês, um jovem de 18 anos tem a opção de adquirir uma cobertura para doenças graves de até R$ 50 mil. “Uma relação de custo-benefício extremamente pertinente, especialmente tendo em vista que estamos falando da proteção do nosso bem mais valioso, que é a vida”, afirma Bernardo.

Indenização

Após o diagnóstico constatado da doença, o segurado deve realizar o aviso de sinistro. É importante verificar se a cobertura está prevista em contrato e se já transcorreu o período de carência. Feita essa confirmação, é dado início ao processo de regulação do sinistro.

“Normalmente, o capital segurado é pago em até 30 dias após o diagnóstico, para que o segurado receba, em vida, o valor da cobertura”, diz Castello.

Siga a Bússola nas redes: Instagram | LinkedInTwitter | Facebook | Youtube