• AALR3 R$ 19,70 -0.25
  • AAPL34 R$ 73,76 0.27
  • ABCB4 R$ 17,02 3.28
  • ABEV3 R$ 14,74 0.34
  • AERI3 R$ 3,94 -10.05
  • AESB3 R$ 10,82 0.84
  • AGRO3 R$ 31,64 0.09
  • ALPA4 R$ 21,47 -1.01
  • ALSO3 R$ 20,22 1.76
  • ALUP11 R$ 26,38 0.73
  • AMAR3 R$ 2,48 4.20
  • AMBP3 R$ 30,37 2.50
  • AMER3 R$ 23,07 -2.49
  • AMZO34 R$ 72,52 1.38
  • ANIM3 R$ 5,71 2.88
  • ARZZ3 R$ 82,44 -0.40
  • ASAI3 R$ 15,89 3.38
  • AZUL4 R$ 22,11 4.00
  • B3SA3 R$ 11,92 2.32
  • BBAS3 R$ 36,41 2.80
  • AALR3 R$ 19,70 -0.25
  • AAPL34 R$ 73,76 0.27
  • ABCB4 R$ 17,02 3.28
  • ABEV3 R$ 14,74 0.34
  • AERI3 R$ 3,94 -10.05
  • AESB3 R$ 10,82 0.84
  • AGRO3 R$ 31,64 0.09
  • ALPA4 R$ 21,47 -1.01
  • ALSO3 R$ 20,22 1.76
  • ALUP11 R$ 26,38 0.73
  • AMAR3 R$ 2,48 4.20
  • AMBP3 R$ 30,37 2.50
  • AMER3 R$ 23,07 -2.49
  • AMZO34 R$ 72,52 1.38
  • ANIM3 R$ 5,71 2.88
  • ARZZ3 R$ 82,44 -0.40
  • ASAI3 R$ 15,89 3.38
  • AZUL4 R$ 22,11 4.00
  • B3SA3 R$ 11,92 2.32
  • BBAS3 R$ 36,41 2.80
Abra sua conta no BTG

Como o Metaverso pode revolucionar a sua relação com o esporte

Entenda como a indústria do esporte está ampliando as experiências esportivas através do metaverso
Metaverso revela um campo infinito de possibilidades dos chamados VR fitness (Getty Images/MR.Cole_Photographer)
Metaverso revela um campo infinito de possibilidades dos chamados VR fitness (Getty Images/MR.Cole_Photographer)
Por BússolaPublicado em 12/12/2021 16:30 | Última atualização em 12/12/2021 16:30Tempo de Leitura: 5 min de leitura

Por Mia Lopes*

Edilene é uma mulher negra, gorda, periférica e acabou de receber do médico um aconselhamento de que precisa praticar atividade física. Ele sugeriu que ela entrasse em uma academia.

Ela volta pra casa triste com a ideia de ter que encarar uma academia. Tempos depois Edilene vai fazer sua inscrição e é recebida por uma recepcionista magra, branca que explica preços, planos e horários de funcionamento. Enquanto a recepcionista fala, Edilene observa silenciosamente aquele lugar e não consegue imaginar-se a li.

Após fazer a sua matrícula, Edileide compra uma legging e encara o desafio com profundo desprazer. Já na academia entre “tá pago” e “no pain no gain” o corpo gordo acompanhado da pele escura de Edilene a torna literalmente um “corpo estranho”.

O instrutor sem empatia, deduz que ela quer emagrecer colocando Edilene para fazer 40 minutos de esteira, tempo suficiente para que ele fique livre do “estorvo” e possa verdadeiramente dar atenção às gatinhas saradas da academia. Edilene existe, eu já fui uma e em todo Brasil existem várias mulheres que sofrem só com a ideia de ter que ir para uma academia.

E o que faz a academia ser tão hostil assim?

Eugen Sandow, era apelidado de aristocrata dos músculos, conhecido como o pai da força, ele inventou aparelhos para a prática e aperfeiçoou outros já existentes. Sandow formulou cursos de ginástica seguindo os princípios da musculação.

 Esse homem branco ajudou a forjar um padrão que mais a frente foi utilizado para perpetrar uma eugenia do pseudo corpo saudável (branco e sarado). As academias foram feitas para Eugenes e não para Edilenes.

E onde entra o Metaverso?

O primeiro contato com a atividade física do ser humano surge através da ludicidade. Queimada, pega pega, amarelinha, bate lata, pular elástico, fura pé… Na infância mexer o corpo é brincadeira. São atividades lúdicas que nos conectam com a consciência corporal e com o movimento.

E se Edlene pudesse brincar de queimada na sala de casa? No Brasil, a empresa Hado conseguiu unir esportes com a cultura geek/gamer e utilizando a realidade aumentada dinamizou um velho conhecido dos esportes de quadra: a queimada/baleado. Basta colocar um óculos de realidade virtual aumentada e qualquer pessoa poderia ser transportada para uma quadra e mergulhar no mar de ludicidade.

O metaverso é uma espécie de mundo virtual 3D, mas o que parece brincadeira revela um campo infinito de possibilidades dos chamados VR fitness — Realidade Virtual Fitness. Com essa tecnologia, dança, mountain bike, tênis, boxe, vôlei e uma série de esportes podem ser praticados em casa, sem que Edilene tenha que enfrentar o ambiente hostil, superficial e competitivo de uma academia. Tudo isso atrelado ao grupo do trabalho ou a um grupo de amigos.

 A interação entre o virtual e o real é a grande característica do metaverso. Você deixa de ver o conteúdo para estar dentro do conteúdo. O jogo Fortnite da Epic Games é um bom exemplo de interatividade, nele é possível que shows virtuais aconteçam dentro da plataforma,com venda de ingressos e interação entre os playes. Já pensou? Eu, você e Edilene pedalando na orla de Copacabana, enquanto isso Veveta faz um show à beira mar? Não rir, porque isso é bem possível.

A diferença é que ao invés de comprar uma legging na loja física, Edilene poderia comprar sua skin dentro do mundo virtual. A Nike, por exemplo, criou o seu próprio mundo virtual na plataforma de games online Roblox. O nome é “Nikeland”, e permite que os players possam equipar seus avatares com produtos da marca em sua versão digital e interagir com jogos esportivos gratuitos, entre eles natação e atletismo.

Agora vamos despertar do sonho e encarar uma dura realidade? Existe um longo caminho para que tudo isso chegue até Edilenes. Antes é preciso combater a desigualdade digital e promover a democratização do acesso à banda larga e a tecnologia.

Enquanto estamos aqui falando de metaverso, skin, realidade virtual existem pessoas que não sabem o que é Pix, que não tem um aparelho de celular ou internet para fazer uma operação dessas.

Qualquer empresa que tiver surgindo agora e quiser mergulhar de cabeça nesse universo precisa pensar em como promover diversidade e inclusão. É comprovado que a periferia consome, dita tendência e movimenta a economia.

Democratizar o acesso ao esporte através do metaverso é ajudar a desconstruir a visão deturpada de que a academia é o único ambiente para prática de uma vida saudável, atrelado a dor e sacrifício.

Quem quiser vender para Edilenes vai ter que ensinar o BÊ+a=Bá ou vai continuar criando brinquedos incríveis para os amiguinhos do playground.

*Mia Lopes é jornalista, fundadora do Afro Esporte

Siga a Bússola nas redes: Instagram | LinkedIn | Twitter | Facebook | Youtube

Veja também