Estamos de cara nova! E continuamos com o conteúdo de qualidade.
Nova Exame

Bússola Trends: Seu próximo currículo vai ser no TikTok

Currículo de papel e LinkedIn estão próximos de entrar na lista cringe da geração Z

Por Alexandre Loures e Flávio Castro*

Engana-se quem pensa que o TikTok está limitado apenas à geração Z e às famosas dancinhas que viraram febre na rede. Durante a pandemia, pudemos ver um crescimento de outros conteúdos, inclusive do fortalecimento do empreendedorismo e conteúdo sobre conhecimentos gerais, diferentes temas e áreas profissionais.

Agora a plataforma anuncia o TikTok Resumes, um programa piloto, que funcionará como um canal de recrutamento e descobertas de empregos.

Aproximadamente 30 empresas estão participando do projeto, onde os candidatos se oferecem às vagas, mostrando suas habilidades e experiências em vídeo, usando a #TikTokResumes em suas legendas.

Mesmo em fase beta – 7 a 31 de julho –, fica evidente que a ferramenta quer ampliar seu ecossistema de criadores de conteúdo para aumentar a sua influência.

A geração Z tem dificuldade em montar um currículo, limitado a uma ou duas páginas e, em contrapartida, é hiperconectada com o meio digital. Essa facilidade pode ser útil para a geração, nativa digital, que incorpora uma economia criativa ao mundo corporativo.

Isso, provavelmente, causará preocupação ao LinkedIn.

Vídeos curtos são a “bola da vez” não só nas redes sociais como também em empresas e startups que surgem para aproveitar essa onda de conteúdo mais dinâmico.

No Brasil, uma startup anunciou uma plataforma de entrevistas para concorrer com o TikTok Resumes. A proposta é uma nova maneira de recrutar, que valoriza as pessoas, para além de suas experiências profissionais.

A plataforma Match.br, desenvolvida em colaboração com o Cambridge Psychometric Centre, incentiva empresas a usarem o Spotify para atrair candidatos, treinar e receber novos funcionários e até melhorar o posicionamento da marca.

O currículo tradicional não mudou muito ao longo dos anos. Inovações como essa são inevitáveis. Mesmo que algumas pessoas optem por continuar a enviar seus currículos em textos, indicamos colocar cor e “tempero” nas palavras.

O modelo é controverso. Cada vez mais soma-se, à carga mental de quem busca um emprego, esse peso de ser um produtor de conteúdo, independente de sua área.

Até que ponto isso não é criar mais uma barreira para que profissionais capacitados ocupem as vagas? Pessoas com mais recursos e determinadas características, nem sempre associadas à necessidade da vaga em questão, podem "sair na frente" mesmo quando são menos capacitadas.

Já é alvo de críticas os extensos processos seletivos digitais repletos de testes e informações que levam horas para serem preenchidos. E no fim, não há qualquer retorno.

Até que ponto isso é uma inovação e não mais um peso?

Se o vídeo vai ser a única forma de apresentar um currículo, ainda não sabemos, mas que é fundamental uma adaptação a essa demanda criativa, isso sim!

Se não, é muito provável que um potencial empregador não chegue nem ao segundo parágrafo de seu CV.

Leia mais:

Para solucionar paradoxo na contratação de jovens, startup brasileira anuncia plataforma de entrevista que vai concorrer com TikTok Resumes

TikTok lança recurso de currículo em formato de vídeo Como usar 'currículos TikTok' para conseguir um emprego de nível básico

Se cuida, LinkedIn! TikTok agora mostra vagas de emprego e vídeo-currículos

Como atrair candidatos com Spotify

Job-Hunters, vocês postaram seu currículo no TikTok?

*Alexandre Loures e Flávio Castro são sócios da FSB Comunicação

Este é um conteúdo da Bússola, parceria entre a FSB Comunicação e a Exame. O texto não reflete necessariamente a opinião da Exame.

Siga a Bússola nas redes: Instagram | LinkedInTwitter | Facebook | Youtube

Veja também

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também