Um conteúdo Bússola

Bússola LIVE – Diversidade nas empresas: a busca por ambientes de trabalho mais inclusivos

Webinar na 4ª, às 12h, debate estratégias para promover mais equidade no mundo corporativo e analisa o papel da agenda ESG nesse processo
Diversidade: indicadores deixam claro que é preciso combater o preconceito estrutural e avançar na busca por mais equidade de gênero e étnico-racial. (Angelina Bambina/Getty Images)
Diversidade: indicadores deixam claro que é preciso combater o preconceito estrutural e avançar na busca por mais equidade de gênero e étnico-racial. (Angelina Bambina/Getty Images)
P
Por Rafael LisbôaPublicado em 27/06/2022 às 07:00.

Se o mundo corporativo felizmente começou a discutir de forma mais intensa nos últimos anos os temas da diversidade e da inclusão, as empresas ainda estão longe de ter representada nas suas equipes a pluralidade da nossa sociedade. Mulheres e negros são maioria no Brasil, mas estão em minoria nos postos mais altos do mercado de trabalho.

Números do IBGE mostram que a população brasileira é composta por 52% de mulheres e 56% de pessoas pretas e pardas, mas ocupam respectivamente apenas 37,4% e 29,5% dos cargos gerencias nas companhias. Além da desvantagem nas posições de liderança, também ganham menos. As mulheres negras, por exemplo, recebem em média uma remuneração 55% inferior à dos homens brancos.

Os indicadores deixam claro que é preciso combater o preconceito estrutural e avançar na busca por mais equidade de gênero e étnico-racial. E essa jornada rumo a ambientes de trabalho mais diversos deve incluir ainda ações voltadas para outros grupos que também enfrentam discriminação tanto no mercado quanto na sociedade, como pessoas LGBTQIA+, com deficiência (PcD) e 50+.

A comunidade LGBTQIA+ quer das empresas mais do que as cores do arco-íris em ações de marketing no mês do orgulho e se sentir verdadeiramente representada e acolhida em todos os dias do ano. As pessoas com deficiência esperam que seja cumprida a lei que determina a reserva de 2% a 5% das vagas para a contratação de PcD. E a população com mais de 50 anos deseja que a sua experiência profissional seja reconhecida e valorizada na troca com as gerações mais jovens.

Mais diversidade no ambiente corporativo significa também mais vantagem competitiva. Negócios com um quadro plural de funcionários – que têm diferentes origens, experiências e histórias de vida – são mais inovadores e mais capazes de atrair talentos e conquistar novos mercados. E, para a inclusão ser efetiva e verdadeira, não basta garantir que gente de todos os perfis entre nas companhias. É preciso assegurar essa proporcionalidade em todos os níveis hierárquicos, principalmente nas posições de comando.

Webinar promovido pela Bússola, na próxima quarta-feira, 29 de junho, às 12h, vai debater a estratégia de empresas na busca por ambientes mais inclusivos e menos desiguais e como a agenda ESG pode contribuir para essa jornada rumo à diversidade. Participarão da live: Cibelle Linero, sócia da área trabalhista do BMA Advogados; Cintia Drehmer, diretora de Recursos Humanos e Sustentabilidade da Viveo; Daniela Dall’Acqua, diretora de Recursos Humanos da MetLife Brasil; e Márcia Silveira, head de Diversidade, Equidade & Inclusão da L’Oréal Brasil. A moderação será feita por Rafael Lisbôa, diretor da Bússola.

Para assistir à live e enviar suas perguntas, inscreva-se aqui!

Siga Bússola nas redes:  InstagramLinkedIn  | Twitter  |   Facebook   |  Youtube 

Últimas lives: