Um conteúdo Bússola

Bússola Cultural: Semana tem homenagem ao bicentenário da independência

Confira toda semana sugestões da Bússola com o melhor da programação cultural de São Paulo
200 drones farão um espetáculo no céu do Novo Museu do Ipiranga | Foto divulgação  (Bússola Cultural/Divulgação)
200 drones farão um espetáculo no céu do Novo Museu do Ipiranga | Foto divulgação  (Bússola Cultural/Divulgação)
B
BússolaPublicado em 01/09/2022 às 10:00.

Por Bússola 

Um novo tempo 

O Parque da Independência, em São Paulo, recebe no dia 7 de setembro um grande espetáculo para celebrar o bicentenário da independência. O evento, realizado pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa do governo do estado de São Paulo com gestão da Amigos da Arte, acontecerá em um palco montado em frente ao Novo Museu do Ipiranga, com entrada aberta ao público. O espetáculo reunirá grandes estrelas da música brasileira.  Criolo se junta a Margareth Menezes e Larissa Luz para celebrar a negritude, cantando o emblemático “Tributo a Martin Luther King”. Vanessa da Mata exalta a força feminina com “Toda humanidade nasceu de uma mulher”, enquanto Daniel homenageia os imigrantes com o clássico “A vida do viajante”. Fafá de Belém recebe Gaby Amarantos para festejar os povos originários em “Aquarela da Amazônia”. Os bois Caprichoso e Garantido também estarão em cena, trazendo a força do Festival de Parintins para São Paulo. Johnny Hooker e Mateus Carrilho soltam a voz em “Toda forma de amor”, uma celebração do orgulho LGBTQIAP+. Além dos especiais com os artistas, está programado ainda um balé de 200 drones (foto) e uma projeção mapeada na fachada do Museu. 

para quem não estiver em São Paulo, a programação será exibida ao vivo pela plataforma #CulturaEmCasa 

Peça inspirada no cotidiano de São Paulo (Bússola Cultural/Divulgação)

Mire Veja 

Inspirada no cotidiano da cidade de São Paulo, o espetáculo “Mire Veja” é uma adaptação do livro “Eles Eram Muitos Cavalos”, de Luiz Ruffato. Com direção de Pedro Pires, a trama reúne 24 histórias curtas, fragmentadas e entrelaçadas, vividas por personagens anônimos, de diversas origens e classes sociais, na metrópole paulistana. 

acesse pela plataforma de streaming e vídeo por demanda gratuita #CulturaEmCasa, já disponível aqui 

(Bússola Cultural/Divulgação)

Desvairar 

O Sesc Pinheiros apresenta a exposição Desvairar 22.  Com curadoria de Marta Mestre, Veronica Stigger e Eduardo Sterzi, a mostra parte da Semana de Arte Moderna de 22 para rememorar alguns dos acontecimentos que marcaram aquele ano, como o centenário da Declaração da Independência do Brasil, a Exposição Internacional do Centenário, a primeira transmissão de rádio no país e a descoberta da tumba do faraó Tutancâmon. Transitando entre fatos e imaginação, Desvairar 22 se propõe a explorar caminhos ainda não percorridos e reúne mais de 270 itens de artes visuais, música, literatura e arquitetura. 

de 27 de agosto de 2022 a 15 de janeiro de 2023; para mais informações acesse a Agenda Bonifácio, plataforma gerida pela Amigos da Arte, que concentra a programação cultural, história, entrevistas com foco no bicentenário da independência 

Foto é parte da exposição que conta histórias de amor nas ruas de São Paulo (Bússola Cultural/Divulgação)

Ah! O amor 

A exposição “Amor nas Ruas” retrata histórias vividas por prostitutas, travestis, gays, trans e lésbicas, que, mesmo diante da miséria, e em meio ao caos e à luta pela dignidade nas ruas da cidade de São Paulo, se apaixonam e constroem relações de afeto. A série cria espaço para que essa população compartilhe suas existências. “Amor nas Ruas” é resultado de uma parceria entre o Museu da Diversidade Sexual e o produtor cultural e ativista social Heitor Werneck. A exposição mescla fotografia, vídeo, texto e é lançada pela plataforma digital Google Arts and Culture. Werneck divide a direção e produção com Lucas Mendes e Sandra Tiemi Yokota. 

acesse a plataforma #CulturaEmCasa ou baixe o aplicativo disponível no Google Play e Apple Store para conhecer a exposição; já disponível aqui 

Angeli é um dos entrevistados no documentário "Não Estávamos Ali Para Fazer Amigos" (Bússola Cultural/Divulgação)

Ditadura e cultura 

A plataforma de streaming e vídeo por demanda #CulturaEmCasa apresenta o documentário “Não Estávamos ali para Fazer Amigos”. Escrito e dirigido por Miguel de Almeida e Luiz R. Cabral, o documentário lança um olhar sobre os anos finais da ditadura militar brasileira, mesclada à explosão da cultura urbana manifestada por um inovador jornalismo cultural. O surgimento dessa imprensa permite ao mundo testemunhar o embate entre a produção cultural de resistência e o totalitarismo militar e sua política de censura e opressão. O documentário conta com depoimentos de  artistas, filósofos e jornalistas, como Olgária Matos, Arnaldo Antunes, Fernando Gabeira, Angeli, Tunga e muitos outros. 

disponível aqui 

Nova exposição na Pinacoteca reúne obras de famosos da arte norte-americana (Bússola Cultural/Divulgação)

Pelas ruas na Pina 

A Pinacoteca de São Paulo inaugurou a exposição “Pelas ruas: vida moderna e experiências urbanas na arte dos Estados Unidos 1893-1976”, em colaboração com a organização Terra Foundation for American Art, no edifício Pina Luz. A mostra reúne 150 obras, de 78 artistas, dentre eles, reconhecidos nomes da arte norte-americana, como Andy Warhol, Edward Hopper, além de trabalhos de Charles White, Emma Amos, George Nelson Preston, Jacob Lawrence e Vivian Browne. A exposição explora os modos como a modernidade se manifesta na produção artística norte-americana a partir das transformações das cidades e da observação dos ritmos e dinâmicas da vida nos grandes centros urbanos. 

mais informações, acesse o site da Pinacoteca  

MC Tha lança Meu Santo é Forte (Rodrigo de Carvalho/Divulgação)

Santo forte 

Três anos depois do lançamento de Rito de Passá (2019), MC Tha leva aos palcos seu novo EP, Meu Santo É Forte. Como um fechamento do Rito de Passá, que rendeu à artista indicações ao Prêmio Multishow 2019, em “Revelação do Ano”, e no Women's Music Events Awards (WME), o novo show traz novas leituras das músicas do primeiro álbum e as músicas do EP Meu Santo É Forte, em um encontro mais festivo. Neste novo show, MC Tha celebra a música afro religiosa através da releitura de  músicas gravadas originalmente por Alcione em momentos diferentes de sua carreira e a presença forte das batidas de terreiro. 

Casa Natura Musical; 3 de setembro às 22h30. 

ingressos à venda pelo site do local 

Ballet Stagium faz curta temporada no Teatro Sérgio Cardoso (Bússola Cultural/Divulgação)

50 anos

O Ballet Stagium apresenta curta temporada do espetáculo  Ballet Stagium 50 Anos no Teatro Sérgio Cardoso,  gerido pela Amigos da Arte.  A obra, uma nova celebração aos 50 anos do grupo,  tem concepção coreográfica de Décio Otero e direção teatral de Marika Gidali, fundadores da companhia, reconhecida por seu projeto de engajamento político.  Três momentos do Ballet Stagium serão apresentados: Choros,  com trilha sonora tipicamente brasileira que une composições de Pixinguinha, Cartola, Zequinha de Abreu e outros;  O Canto da Minha Terra, que apresenta a poesia das composições de Ary Barroso;  e Coisas do Brasil, que traça um percurso histórico, poético e cultural da formação da sociedade brasileira. Coisas do Brasil recebeu o prêmio da APCA de Melhor Espetáculo em 1979. 

Teatro Sérgio Cardoso, de 20 a 22 de setembro, mais informações, acesse aqui 

A atriz Nicole Puzzi faz parte da série “Transversal do Tempo” (Bússola Cultural/Divulgação)

Depois dos 60 

Nicole Puzzi encara a velhice como algo físico, não mental. Aos 61 anos, ela conta sua trajetória para a série “Transversal do Tempo”, um original da plataforma de streaming e vídeo por demanda #CulturaEmCasa. A artista fala  desde a infância no sítio da família, no Paraná, até o momento em que se torna atriz em São Paulo, estrela da pornochanchada e apresentadora. Nicole continua a fazer o que ama e acredita que desprezar a idade é desprezar a própria maturidade.  “Transversal do Tempo”, com gestão da Amigos da Arte,  mostra histórias de brasileiros contemporâneos que reinventaram suas funções na sociedade depois dos 60 anos de idade. Participam da série 13 personagens, entre famosos e anônimos, como o ex-ministro José Gregori, a escritora Nélida Piñon e  a yogoterapeuta Dinah Rodrigues. 

acesse aqui 

Caparaó 

Caparaó é um filme documentário que retrata a primeira tentativa de luta armada contra o regime militar no Brasil pós-1964. No alto da Serra do Caparaó, em agosto de 1966, um grupo formado na sua maioria por ex-militares expurgados pelo regime, se instalou em condições precárias, na tentativa de preparar o que seria o início de uma grande reação nacional contra o novo regime. O filme pretende repensar o acontecimento, revelando passo a passo, a tentativa de se fazer uma “Sierra Maestra” em terras brasileiras. 

7 de setembro às 20h, acesse pela plataforma #CulturaEmCasa 

 

Siga a Bússola nas redes: Instagram | Linkedin | Twitter | Facebook | Youtube  

Veja também 

 

Play: Netflix processa fãs de Bridgerton: e a empresa está certa 

Bússola Cultural: semana tem jazz de Tamara Peterson na Virada SP e mais 

Bússola Trends: redes sociais estão cada vez menos sociais