Bússola
Acompanhe:
Um conteúdo Bússola

Bússola Cultural: Semana destaca festival internacional de música

Confira toda quinta–feira sugestões da Bússola com o melhor da programação cultural

O violinista Simon Bernardini que integra o Femusc em 2023 | Foto: arquivo pessoal (Simone Bernardini/Divulgação)

O violinista Simon Bernardini que integra o Femusc em 2023 | Foto: arquivo pessoal (Simone Bernardini/Divulgação)

F
Femusc com Bernardini

8 de dezembro de 2022, 15h15

Femusc com Bernardini

O violinista italiano Simon Bernardini, membro da Orquestra Sinfônica de Berlim, acaba de entrar para a lista de professores estrangeiros que fará parte do Festival Internacional de Música de Santa Catarina (Femusc) em janeiro próximo. O Femusc reúne 80 professores, metade estrangeiros,  para promover uma imersão de 20 dias dedicados ao aprendizado de músicos profissionais e iniciantes. Reconhecido como o principal evento-escola do país, o Femusc completa 18 edições em 2023. Durante todo o evento (de 8 a 28 de janeiro), o público é convidado a participar gratuitamente de apresentações de música erudita e popular nos auditórios do Centro Cultural SCAR da cidade catarinense.

Cena da peça “Oi, eu estou aqui”, baseada na vida da atriz Tathi Piancastelli (Bússola/Divulgação)

Thati aqui

A atriz Tathi Piancastelli apresenta a peça "Oi, eu estou aqui" no Teatro Sérgio Cardoso. O espetáculo solo é baseado nas experiências pessoais e aspirações artísticas de Tathi Piancastelli, atriz, dramaturga, ativista e digital influencer e a única pessoa com síndrome de Down, na história dos Estados Unidos a receber o visto O-1 de Habilidades Extraordinárias na Arte. "Oi, eu estou aqui" coloca a artista em primeiro plano. Tathi explora suas inquietações em relação ao seu futuro e sua busca por independência e autonomia, passando por uma jornada que materializa seus desejos de morar sozinha, obter um diploma universitário e se casar. Com comicidade e sensibilidade, a atriz desafia estereótipos e paradigmas relacionados a pessoas com deficiência e demonstra uma capacidade singular de expressar artisticamente seus anseios mais íntimos e complexos.

Peça traz cenas e poemas de soldados LGBTQIAP+ na 1ª Guerra Mundial (Bússola/Divulgação)

Poemas de guerra

Em “Réquiem de Guerra” peça em carta pela plataforma de streaming e vídeo por demanda #CulturaEmCasa, um jovem rapaz tem a delicadeza exorcizada de seu corpo; uma imitadora de homens do vaudeville é contratada para alistar novos soldados; um jovem combatente carrega seu próprio corpo pelos campos de batalha. A partir dessas cenas e de poemas escritos por soldados LGBTQIAP+ na I Guerra Mundial, a obra explora, através da poética drag king e da linguagem de cabaré, como o conflito alterou as subjetividades das masculinidades no século 20 — e como isso ecoa nos corpos dos jovens rapazes de hoje.

Filme canadense na Mostra Internacional de Cinema Virtual (Bússola/Divulgação)

 

O jovem Pasolini

A terceira Mostra Internacional de Cinema Virtual, uma realização das secretarias de Cultura e Relações Internacionais do governo de São Paulo,  apresenta a peça "O Jovem Corsário – Pasolini de Bolonha”. A produção conta, pela primeira vez, de forma documental, a juventude do cineasta, poeta e escritor Pier Paolo Pasolini. O filme faz com que os jovens descubram a força e a surpreendente atualidade das ideias do cineasta, além de um Pasolini ainda inédito. O dinamismo do estilo e a estrutura narrativa do filme, nada convencionais para um documentário, retratam o cineasta com uma linguagem que fala direto ao coração do espectador.

 

Performance “Gênero Sapatão” integrou o Festival Mix Brasil (Bússola/Divulgação)

Gênero Sapatão

Trabalho performativo com Sol Faganello, Camila Couto e Christelle Kuet, "Gênero Sapatão" propõe a intersecção entre três linguagens através do corpo de artistas lésbicas. Dirigido por Natalia Mallo e produzido por Lola Silva e Natasha Bueno, a obra busca desmistificar a sapatão, ampliar repertórios de percepção e falar sobre sua existência, dando visibilidade à multiplicidade de identidades e subjetividades, bem como construindo possibilidades de resistência. A performance, uma produção independente, dirigida por Natália Mallo, integrou o Festival Mix Brasil, o maior evento dedicado à diversidade  da América Latina, realizado no Teatro Sérgio Cardoso.

Exposição no Museu do Futebol conta a história de um dos símbolos brasileiros (Bússola/Divulgação)

 

História Canarinho

O Museu do Futebol apresenta a exposição “A história da camisa canarinho: como o amarelo-ouro passou a vestir o Brasil”. A mostra conta a história de como o  uniforme amarelo da Seleção Brasileira de futebol, conhecido como “camisa canarinho”, tornou-se um dos símbolos mais famosos do Brasil. Contudo, ela não nasceu com a Seleção. Sua criação é posterior à Copa de 1950, ano em que a fatídica derrota no Maracanã adiou o sonho brasileiro de conquistar sua primeira Copa do Mundo. A curadoria, pesquisa e textos são de Aira Bonfim e Fernando Breda.

Pelé é carregado na conquista do tricampeonato da Copa do Mundo (Bússola/Arquivo/Divulgação)

 

Memórias 70

A mostra “Memórias da Copa de 1970: Como o México Abraçou o Brasil“ conta a história da ligação imediata entre a torcida mexicana e a Seleção Brasileira, o que garantiu apoio massivo entre as torcidas nas arquibancadas do Estádio Jalisco, em Guadalajara, em toda a campanha que levou o Brasil à final contra a Itália, na Cidade do México. A exposição aconteceu em 2020, no Museu do Futebol, com curadoria e textos de Ademir Takara e Camila Aderaldo.

As aventuras de Peter Pan e Sininho” no Teatro Sérgio Cardoso (Bússola/Divulgação)

 

Fadas e aventuras

Sininho está muito ocupada com a comemoração do dia das fadas e deixa Peter Pan sozinho em busca de suas aventuras. Ele encontra sereias, pássaros poderosos, uma lagarta muito engraçada, e claro, o malvado capitão Gancho que trama acabar com a festa das fadas e destruir a flor que mantém Peter Pan criança na Terra do Nunca. Será que dessa vez Gancho conseguirá? Ou Peter Pan dará uma lição no malvado Capitão? A peça infantil  “As Aventuras de Peter Pan e Sininho”, da Evoé Cia de Teatro, está no Teatro Sérgio Cardoso em única apresentação.

Mais um episódio da série, desta vez com os MCs Neguinho do Kaxeta e Lanzinho (Bússola/Divulgação)

 

Raízes Black

Em mais um episódio, Raízes Black agora traz o funk. De origem afro-americana, o gênero musical  nasceu nos guetos dos Estados Unidos, na década de 1960, mas desde que chegou ao Brasil, o ritmo ganhou personalidade própria e se reinventa a cada ano. Os MCs Neguinho do Kaxeta e Lanzinho desta vez mostram o funk contagiante das quebradas brasileiras.

 

Projeto de O Mundo do Circo SP a ser inaugurado no Parque da Juventude (Bússola/Divulgação)

Respeitável público

O Mundo do Circo SP,  programa da Secretaria de Cultura e Economia Criativa com gestão da Amigos da Arte, será lançado no próximo dia 20 de dezembro, em um espaço de mais de 10 mil m2 no Parque da Juventude. Na parte da manhã, um cortejo de palhaços e religiosos fará uma ‘lavagem ecumênica’ em respeito aos 111 mortos na Casas de Detenção do Carandiru, local que abriga o parque desde 2003. A partir do meio-dia, o público está convidado a participar de oficinas e ações circenses que serão apresentadas de 20 a 23  e de 27 a 30 de dezembro. A programação artística e cultural com espetáculos de companhias tradicionais e contemporâneas, cabarés exclusivos com números circenses, palhaços, globo da morte, trapézio, aparelhos aéreos, e outras modalidades, além de oficinas, será totalmente gratuita neste mês de lançamento.

Siga a Bússola nas redes: Instagram | Linkedin | Twitter | Facebook | Youtube

VEJA TAMBÉM: