Um conteúdo Bússola

3 tendências de dados acionáveis que transformam a experiência do cliente

Estreitar laços com os consumidores é a melhor forma de conquistá-los, mas, para isso, é preciso uma base de dados para planejar ações e campanhas
Dados trabalham para a empresa e não o contrário (InterSystems/Divulgação)
Dados trabalham para a empresa e não o contrário (InterSystems/Divulgação)
B
BússolaPublicado em 30/07/2022 às 18:45.

De acordo com pesquisa realizada pela IDC (International Data Corporation), cerca de U$ 2,9 bilhões serão destinados a Big Data & Analytics no Brasil este ano. Isso representa um aumento de 10,8% em relação a 2021. O estudo também aponta que é esperado um aumento de 28% em soluções de inteligência artificial e machine learning e deixa claro que, mais do que nunca, hoje é fundamental estar atento, saber ler e utilizar os dados.

"Dados são fundamentais para a tomada de decisão e entendimento sobre o comportamento dos clientes de uma organização. Porém, eles devem ser utilizados da forma correta. É preciso investir em dados acionáveis, ou seja, em uma inteligência de dados que dispare ações proativas baseadas em determinados comportamentos do cliente, como por exemplo queda de engajamento ou aumento de consumo. Dados não podem servir somente para montar relatórios”, afirma Mateus Pestana, CEO da SenseData, plataforma de customer success e dados acionáveis, que desenvolve projetos para empresas como Unilever, Neoway, Ambev e Mercado Livre.

A pedido da Bússola, Pestana listou as melhores práticas para coletar e analisar informações, transformando-os em insights e ações relevantes que podem transformar o negócio.

1 - Clientes sem amarras

Hoje, os clientes buscam agilidade, simplicidade, personalização, uma boa experiência e não estão mais presos a um produto ou serviço. Investir no empoderamento dos clientes é um fator decisivo na sua retenção. É fundamental utilizar dados para entender as necessidades do seu cliente, para assim criar produtos e serviços cada vez mais eficazes e ajustados com o perfil do seu público.

Um exemplo desse método é a relação da Netflix com os seus usuários, incentivando a liberdade dos clientes através do cancelamento a qualquer momento e facilitando o acesso a plataforma de qualquer lugar e dispositivo, isso transforma a visão do consumidor, visto que ele enxerga benefícios na assinatura do streaming.

2 - Dados trabalham por você, não o contrário

Conhecemos a importância dos dados, mas é essencial saber usá-los a favor dos negócios. Antes usávamos dados para contar histórias: meu volume de vendas foi tanto, meu churn foi tanto, a aquisição de clientes foi tanto, e isso continua válido, obviamente. Para construir o futuro não precisamos apagar o passado, mas precisamos ir além.

Dados acionáveis é sobre conseguir tomar a ação certa, no cliente correto e no momento mais adequado. É preciso ter os dados orquestrando ações. São eles que podem melhorar ainda mais a experiência do cliente com a empresa, resultando em um aumento do engajamento, aumento de vendas e crescimento da companhia.

3 - Automatização de processos

O digital é o meio mais fácil de gerar insights dos seus clientes, ampliar a base de dados do comportamento do seu público com informações e automatizar diversas ações para melhorar a experiência de quem consome o seu produto ou serviço.

Netflix, Spotify e LinkedIn não precisam ter um humano atrás de uma tela, visitando perfil por perfil, avaliando competências para recomendarem um filme, uma música ou uma vaga de emprego. O manual impossibilita o processo em alta escala. Por isso, é preciso de dados orquestrando o negócio.

Siga a Bússola nas redes: Instagram | Linkedin | Twitter | Facebook | Youtube

Veja também

Pesquisa de comportamento precisa ser humanizada para traduzir realidade

Brasil lidera unicórnios na América Latina e agora abriga decacórnios

Lalamove lança campanha para alavancar aplicativo no Brasil