Um conteúdo Bússola

3 perguntas sobre 5G para Marcio Fabbris, VP de Marketing e Vendas da Vivo

Executivo participa amanhã do seminário 5G.br São Paulo, que marca a chegada da tecnologia no Brasil, promovido pelo Ministério das Comunicações
Marcio Fabbris: Evento será no hotel Grand Hyatt, em São Paulo (Bússola/Reprodução)
Marcio Fabbris: Evento será no hotel Grand Hyatt, em São Paulo (Bússola/Reprodução)
B
BússolaPublicado em 11/08/2022 às 10:27.

Por Bússola 

O 5G vai beneficiar do varejo à extração de petróleo, segundo o vice-presidente de Marketing e Venda da Vivo, Marcio Fabbris. Para o executivo, as características da rede, que suporta aplicações em ambientes que exigem altíssimas velocidades e latência ultrabaixa, vão revolucionar o conceito de indústria 4.0, abrindo um mundo de possibilidades em diversos setores.  

Em entrevista à Bússola, ele falou sobre parcerias da Vivo envolvendo a tecnologia e sobre expectativas para o futuro. 

Ele será um dos palestrantes, hoje, no seminário 5G.br São Paulo, promovido pelo Ministério das Comunicações (MCom). Fabbris participa do painel "5G no Brasil: avanços na conectividade em um país continental", juntamente com executivos da Claro, da TIM e da Ericsson. 

O evento, que acontece no hotel Grand Hyatt, em São Paulo (SP), discute o alcance da transformação na economia e nos setores produtivos da chegada do 5G no Brasil. Para se inscrever, basta preencher um formulário no site do evento.

 

Bússola: A Vivo anunciou que pretende atrelar seus planos à quantidade de dados e não mais à geração da tecnologia, 4G ou 5G. De onde partiu essa estratégia?  

Marcio Fabbris: Todos os planos da Vivo, pré e pós-pagos, são compatíveis com as diferentes gerações da tecnologia 3G, 4G e 5G. Para utilizar o 5G da Vivo, o cliente não precisa trocar de plano, basta possuir um aparelho compatível e estar dentro da área de cobertura que já terá uma experiência de conectividade na quinta geração. 

Recentemente, aumentamos as franquias de internet dos planos pós-pagos da Vivo para o cliente usar como quiser. A iniciativa também torna a experiência com o 5G ainda mais completa. Os clientes Vivo Pós Selfie e Família têm a possibilidade de receber até 60 GB a mais, como ,por exemplo, no plano Família de 140 GB que passou para 200 GB. Já nos planos Controle, o aumento pode chegar a até 4 GB, como no antigo Vivo Controle 8 GB que passa a ter 12 GB. 

Temos um portfólio com diferentes versões para os diferentes perfis de consumo. Se o cliente tiver necessidade, pode optar por adquirir um plano com mais internet. 

  

Bússola: A concorrência entre as operadoras, que já era acirrada, se tornou ainda maior com a chegada do 5G. Mas a tecnologia oferece pouco valor perceptível para o usuário final. O que a Vivo pretende fazer para se diferenciar neste momento? 

Marcio Fabbris: O 5G já é uma realidade. Quem possui um aparelho compatível e estiver dentro da área de cobertura já poderá ter uma experiência de conectividade de quinta geração. A Vivo começou ativação no início de dezembro do ano passado, após ser a empresa que mais arrematou frequências durante o leilão da Anatel – cujo investimento total foi de R$ 4,5 bi (incluindo cerca de R$ 3,5 bi em aportes financeiros à EAF e EACE para o cumprimento de obrigações) – utilizando a faixa de 2,3GHz em algumas capitais: São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília. 

Desde o início de julho, começamos a ativar nossa rede na frequência de 3,5 GHz, utilizando as tecnologias NSA e SA. Já ativamos Brasília, Belo Horizonte, João Pessoa, Porto Alegre e São Paulo. Nas próximas semanas, devemos anunciar outras capitais de acordo com o cronograma do Gaispi (grupo que coordena o processo). 

Nosso 5G está disponível para todos os nossos clientes. Para acessar, só é preciso possuir um aparelho compatível, temos em nosso portfólio 49 modelos homologados, e estar dentro da área de cobertura, sem tarifação extra pelo acesso. Atualmente, temos em nossa base mais de 3 milhões de clientes (B2C) com aparelhos compatíveis 5G.  

Com a nova rede, neste primeiro momento, os clientes terão uma navegação ainda mais veloz e melhor experiência no uso e consumo de conteúdos multimídia ou nos jogos online de alta resolução, por exemplo. A experiência de velocidade do usuário será até dez vezes mais rápida que o 4G. Espera-se que a nova tecnologia realize download de um arquivo de 1GB em aproximadamente dez segundos, dependendo do volume de tráfego no momento. 

A partir de uma internet móvel de ultravelocidade, abre-se um espaço para as empresas criarem serviços e experiências imersivas, com o uso mais frequente e eficiente de tecnologias de realidade virtual e inteligência artificial. Com a infraestrutura 5G em sua máxima potência, abrimos um mundo de possibilidades para clientes e sociedade em geral. 

 

Bússola: As grandes vantagens do 5G ficam evidentes no setor produtivo, e o lançamento da tecnologia tem estimulado parcerias entre as operadoras e empresas de vários setores. Quais são os setores em que a Vivo tem apostado? 

Marcio Fabbris: Com a massificação da tecnologia e redução dos custos com dispositivos, praticamente todos os setores irão se beneficiar da tecnologia. Desde o varejo, com inúmeras soluções para melhoria da eficiência da cadeia e experiência dos clientes, até grandes empresas de mineração e extração de petróleo. 

A rede 5G suportará aplicações em ambientes que exigem altíssimas velocidades e latência ultrabaixa, revolucionando o conceito de indústria 4.0. Por ter essas características, a rede 5G se abre para um mundo de possibilidades para a indústria. Vou dar alguns exemplos:  

  • Varejo: aplicações em realidade aumentada (AR), realidade virtual (VR), smart tags, controle de estoque, automação da cadeia fria etc. 
  • Mobilidade: viabilidade de carros inteligentes e autônomos; na Saúde, imagens diagnósticas renderizadas, terapias à distância (AR e VR), cirurgias realizadas de forma remota, hospitais inteligentes com soluções sincronizadas para se tornarem interativas e preditivas para os pacientes etc.  
  • Financeiro: atendimentos remotos e robotizados, maior proteção aos meios de pagamentos.  
  • Cidades inteligentes: aplicações focadas na redução do consumo de energia, gestão de mobilidade, segurança, saúde, gestão das cidades a partir de visão integrada.  
  • Mineração: caminhões e perfuratrizes autônomas. 
  • Portos e aeroportos: supervisão de áreas críticas de segurança com controle de acesso, câmeras de segurança, empilhadeiras e veículos semiautônomos. 
  • Manufatura avançada: linhas de produção com AGVs (Autonomous Guided Vehicles), braços mecânicos automatizados e supervisão de partes e peças que se movimentam ao longo dos galpões.  
  • Logística avançada: com AGVs realizando a coleta, a seleção e o despacho de grandes volumes de mercadorias. 

A Vivo tem casos com uso experimental das redes 5G em diferentes setores. Conectamos a primeira agência bancária com redes 5G, em parceria com o Itaú Unibanco; criamos um centro de soluções 5G, em parceria com a FEI e a Ericsson, com foco em pesquisa e desenvolvimento de soluções de Internet das Coisas (IoT) para indústria; e conectamos a Huawei Local EMS Factory – a primeira fábrica inteligente de manufatura do Brasil que utiliza 5G em suas aplicações no processo produtivo 

A Huawei Local EMS Factory foi inaugurada em março de 2022, em Jundiaí, no interior de São Paulo. O espaço foi equipado com tecnologias de inteligência artificial, nuvem e IoT, o que tornou a produção mais eficiente e aumentou a produtividade. Foram instaladas 14 antenas de 5G para conectar uma área de 30 mil m², onde são produzidos equipamentos eletrônicos como rádios-base, placas processadoras, placas controladoras, entre outros itens.  

Toda a linha de produção está conectada à rede e funciona com aplicações baseadas na tecnologia 5G, como câmeras com inteligência artificial embarcada e óculos de realidade aumentada. Entre as principais novidades graças ao 5G estão as câmeras com inteligência artificial utilizadas para monitorar a produção e garantir a segurança dos colaboradores e do ambiente de trabalho.  

Elas detectam, por exemplo, erros na linha de montagem e a presença de pessoas não autorizadas, ou sem os EPIs (equipamentos de proteção) adequados. Todos os dados de produção são coletados e analisados na nuvem, o que reduz o tempo das análises de qualidade e aumenta a eficiência e a confiabilidade dos testes de produtos.   

O uso de realidade aumentada é outra vantagem tecnológica. Óculos de realidade aumentada são utilizados pelas equipes para fazer a manutenção das máquinas. Eles possibilitam fazer um checklist completo dos equipamentos e enviar as informações em tempo real para a central de operações.  

A implementação da rede 5G também gerou economia de espaço. Esse modelo de operação deve servir de exemplo para outras fábricas no Brasil e ajudar a impulsionar a indústria 4.0. 

Siga a Bússola nas redes: Instagram | Linkedin | Twitter | Facebook | Youtube

Veja também

Todos devem usufruir do poder da internet, diz Vint Cerf, pioneiro da rede 

Três perguntas sobre 5G para Igor Calvet, presidente da ABDI 

3 perguntas sobre 5G para Alberto Griselli, CEO da TIM Brasil