Um conteúdo Bússola

3 perguntas de 5G para Marcelo Entreconti, head da Nokia Enterprise Latam

Executivo participa na próxima quinta do seminário 5G.br São Paulo, que marca a chegada da tecnologia no Brasil, promovido pelo Ministério das Comunicações
Marcelo Entreconti: Evento será no hotel Grand Hyatt, em São Paulo (Divulgação/Divulgação)
Marcelo Entreconti: Evento será no hotel Grand Hyatt, em São Paulo (Divulgação/Divulgação)
A
Ana BuschPublicado em 10/08/2022 às 20:28.

O 5G vai gerar um grande impacto tanto na produção quanto no consumo de streaming e de conteúdos imersivos. Também deve dar agilidade a toda indústria da comunicação reduzindo a necessidade de soluções complexas e de alto custo para captação de imagem de grandes eventos. Isso é o que prevê Marcelo Entreconti, head da Nokia Enterprise Latam.

A Nokia participou, no ano passado, do primeiro teste de transmissão com o uso de 5G standalone (de rede exclusiva) na América Latina, em parceria com a TV Azteca, no México. O objetivo era demonstrar o potencial da tecnologia na cobertura de eventos em estádios inteligentes, explorando a redução da latência no 5G na transferência de vídeos.

Em entrevista à Bússola, ele fala sobre a experiência da Nokia em testes de transmissão de TV com o uso de 5G e como isso pode impactar o futuro da comunicação.

Amanhã, 11 de agosto, Entreconti participa do seminário 5G.br São Paulo, promovido pelo Ministério das Comunicações (MCom). Ele participa do painel “Revolução na indústria e na economia: como o 5G deve alavancar o setor produtivo brasileiro”.

O evento, que acontece no hotel Grand Hyatt, em São Paulo (SP), discute o alcance da transformação na economia e nos setores produtivos da chegada do 5G no Brasil. Para se inscrever, basta preencher um formulário no site do evento.

Bússola: A Nokia participou de um dos primeiros testes de transmissão de TV com uso de 5G. Você acredita que a tecnologia vai fortalecer ainda mais o mercado de streaming?

Marcelo Entreconti: Sem sombra de dúvidas. O 5G potencializará tanto a geração de conteúdo quanto seu consumo. Na geração de conteúdo permitirá que produtores de conteúdo e broadcasters possam de forma dinâmica gerar streamings de vídeo em 4k ou 8K, ou mesmo conteúdo imersivo (realidade virtual) ao vivo e em tempo real, sem a necessidade de estruturas complexas para transmissão de dados. No consumo do conteúdo, as pessoas poderão acessar plataformas de streaming de conteúdo em tempo real e imersivo de qualquer lugar, acessando shows, eventos esportivos, experiências sensoriais, revolucionando o consumo de streaming.

Bússola: Que outros impactos a tecnologia pode trazer para a indústria de comunicação, pensando em termos de conectividade, mas também de aplicações relacionadas a IoT?

Marcelo Entreconti: Hoje a indústria de comunicação necessita implantar soluções complexas e custosas para captação de imagem em eventos esportivos, recreativos, manifestações etc. Desde caminhões para transmissão de vídeo até o cabeamento dentro do evento para conexão das câmeras de televisão. Essa implantação toma muito tempo e custa muito dinheiro. O 5G permitirá a conexão de câmeras sem fio, permitindo mobilidade ao cinegrafista e agilidade às equipes de produção.

Além disso, o uso de robôs e drones telecomandados para tomadas complementares e imersivas devem incrementar a experiência dos espectadores com maior interação entre o espectador, os streamings de vídeo disponíveis e até mesmo a disponibilização de imagens exclusivas para participantes do evento, substituindo o velho radinho em jogos de futebol por replays e câmeras exclusivas nos lances mais importantes do jogo.

Bússola: De que forma, esses avanços impactam outros setores produtivos?

Marcelo Entreconti: O segmento corporativo deve ser o primeiro a adotar, de forma ampla, os benefícios da tecnologia 5G: baixa latência, alta capacidade e segurança. Os setores portuário, manufatureiro, mineração e de óleo e gás devem ser os primeiros setores a adotarem a tecnologia.

O 5G será a plataforma de IoT que assegurará a implantação da indústria 4.0, aportando ganhos de eficiência, produtividade e sustentabilidade, com previsão feita pelo Nokia Bell-labs de aumento em até 11 vezes na lucratividade das empresas que adotarem essa transformação digital. Casos de uso como eliminação de cabos, AR/VR para treinamentos e suporte remoto, AGVs, vídeo analytics, monitoramento de pessoas e ativos são algumas das aplicações mais relevantes no curto prazo. Além de automatização, controle e gerenciamento remoto de maquinários e robôs.

Siga a Bússola nas redes: Instagram | Linkedin | Twitter | Facebook | Youtube

Veja também

Todos devem usufruir do poder da internet, diz Vint Cerf, pioneiro da rede

3 perguntas sobre 5G para Alberto Griselli, CEO da TIM Brasil

Três perguntas sobre 5G para Igor Calvet, presidente da ABDI