Visita ao Brasil mostra prioridade, diz chanceler chileno

Heraldo Muñoz assegurou que visita constitui um "sinal importante" da prioridade que governo de Bachelet dará à relação com América do Sul

Santiago do Chile - O chanceler chileno, Heraldo Muñoz, assegurou que a visita que realizou nesta quinta-feira a Brasília constitui um "sinal importante" da prioridade que o governo da socialista Michelle Bachelet dará à relação com os países sul-americanos.

"É a primeira visita que faço como chanceler (...) e me pareceu que este é um sinal importante da política externa que a presidente Bachelet deseja para a América Latina, com um eixo que é a América do Sul", disse Muñoz em declarações divulgadas pelo Ministério das Relações Exteriores chileno.

O chanceler, que em Brasília se reuniu com o ministro das Relações Exteriores, Luiz Alberto Figueiredo, declarou que o novo governo de seu país quer ampliar os laços com os vizinhos e especialmente com o Brasil, um "aliado tradicional" do Chile.

"O Brasil é um país que foi um aliado tradicional nosso e queremos recuperar a intensidade que deveriam ter estas relações no plano econômico ,comercial, político, social e cultural", afirmou o chefe da diplomacia chilena.

Muñoz ressaltou que os investimentos chilenos no Brasil superam os US$ 24 bilhões e considerou que, se os vínculos comerciais seguirem crescendo, isto pode traduzir-se em um aumento das oportunidades de emprego para cidadãos chilenos no país.

A Administração de Bachelet, que assumiu o poder no mês passado, fixou sua prioridade em matéria de política externa em reforçar a relação com os países como Brasil e Argentina.

Esse enfoque contrasta com o do anterior governo do presidente conservador Sebastián Piñera, que pôs ênfase na Aliança do Pacífico, que o Chile integra junto com Colômbia, México e Peru.

De fato, está previsto que a primeira viagem ao exterior de Bachelet seja à Argentina, enquanto no final deste mês visitará também o Brasil.

"(Bachelet) virá no final de abril a Brasília e acho que será um momento muito importante para sinalizar o caminho que queremos seguir com o Brasil", comentou Muñoz.

O chanceler antecipou que nessa visita será assinado um acordo para constituir um conselho empresarial entre os países.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 3,90/mês
  • R$ 9,90 após o terceiro mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 99,00/ano
  • R$ 99,00 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 8,25 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.