Veja fotos e vídeos da chuva que paralisa São Paulo nesta segunda

Os dois grandes rios que cortam a capital paulista, o Pinheiros e o Tietê, transbordaram na madrugada e deixaram a capital intransitável

São Paulo — A intensa chuva que atinge a cidade de São Paulo e a região metropolitana da capital nesta segunda-feira (10) causou alagamentos, desabamentos de terra, travou o trânsito e parou o transporte público.

Segundo o Centro de Gerenciamento de Emergências Climáticas da prefeitura, às 18h40, existiam 79 pontos de alagamento na cidade.

Os dois grandes rios que cortam a capital paulista, o Pinheiros e o Tietê, transbordaram na madrugada. 

De acordo com o Corpo de Bombeiros, há 978 solicitações referentes a enchentes, 169 a desabamentos e 195 sobre quedas de árvores.

No Morro do Socó, no município de Osasco, um deslizamento de terra deixou pelo menos três pessoas feridas. Um menino de 7 anos e um casal foram socorridos e levados para o Hospital Municipal de Barueri – que fica a cerca de 10 km do local. A prefeitura de Barueri não soube informar a idade das outras duas vítimas e o estado de saúde dos três.

Em Botucatu, a 238 km de São Paulo, três pessoas estão desaparecidas. De acordo com a prefeitura da cidade, duas delas estavam em um carro que foi arrastado pela enxurrada. A terceira vítima é o motorista de um caminhão que caiu em uma cratera. O corpo de bombeiros tenta localizar as vítimas. A prefeitura da cidade decretou estado de emergência e calamidade pública.

Nesta segunda-feira (10) o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), recomendou que moradores de áreas mais atingidas pelas forte chuvas no Estado evitem deslocamentos.

Em viagem oficial aos Emirados Árabes Unidos, ele ressaltou que o volume das chuvas tem aumentado nos últimos anos por causa de mudanças climáticas, e disse que não é possível “evitar por completo” os estragos.

“Evitar por completo não será, evidentemente, algo possível, já que a incidência de chuvas ao longo dos anos, a mudança climática, está impondo um volume de chuvas maior”, afirmou o governador.

Doria disse ainda que o planejamento para obras em infraestrutura foi revisto no ano passado e, por isso, não é necessário mudar o planejamento do governo após o temporal desta segunda.

“No ano passado, nós tivemos chuvas internas, tivemos mortes também na região metropolitana. Fizemos isso no ano passado, não é de agora.”

Entre as medidas emergenciais que foram tomadas, ele destacou que a Defesa Civil estadual tem trabalhado em conjunto com os órgãos municipais, e que áreas de risco tiveram o acesso restrito.

Segundo ele, moradores em áreas de risco de desmoronamento já estão sendo alertadas pela Defesa Civil, através de mensagens de SMS, de que devem deixar suas casas.

No twitter, a hashtag #chuvasp está entre as mais comentadas. Usuários compartilham imagens e vídeos dos estragos causados pela chuva. Veja:

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.