Anhembi Morumbi decide retomar aulas presenciais e preocupa alunos

Um comunicado enviado aos docentes diz que as aulas práticas obrigatórias dos cursos de graduação voltarão no dia 13 de julho
 (Rede Laureate/Divulgação)
(Rede Laureate/Divulgação)
M
Matheus Doliveira

Publicado em 24/06/2020 às 16:09.

Última atualização em 24/06/2020 às 16:43.

Mesmo frente ao crescente número de contaminados pelo novo coronavírus no Brasil, que na última sexta-feira ultrapassou 1 milhão de casos, a Anhembi Morumbi, faculdade privada da rede Laureate, uma das cinco maiores do país, decidiu retomar suas aulas presenciais a partir do próximo dia 13 de julho. 

A partir desta data, em um primeiro momento, os alunos deverão repor aulas de disciplinas práticas que não puderam ser finalizadas remotamente no primeiro semestre, que se encerrará no próximo dia 30 de junho.

Em comunicado enviado por e-mail aos docentes da instituição, a Anhembi Morumbi diz que “em razão das últimas recomendações governamentais e dos órgãos competentes de saúde, tem previsão de retomar gradualmente as atividades presenciais, começando pelas práticas obrigatórias dos cursos de graduação, a partir de 13 de julho.” Até o momento, no entanto, não há recomendação clara por parte das autoridades sobre a volta às aulas para o ensino superior. 

A carta enviada aos alunos, que também acompanha um “manual de retorno seguro”, diz que docentes que fazem parte dos grupos de risco, como idosos e gestantes, deverão protocolar um pedido para manter o regime de ensino domiciliar. A faculdade também afirma que tomará todas as medidas de segurança recomendadas para o retorno, como medir a temperatura de alunos e colaboradores. 

Mesmo dizendo respeito apenas às disciplinas práticas que ficaram pendentes, o anúncio sobre o retorno presencial foi recebido com preocupação pelos alunos da rede de educação privada. 

Para além da rede privada, em São Paulo, universidades públicas como Unesp e Unicamp já anunciaram que, nas condições epidemiológicas atuais, pretendem manter as aulas à distância no início do segundo semestre. Na USP, o retorno só deve acontecer em janeiro de 2021.