Brasil

Tarcísio assina contrato para extensão da Linha 5-Lilás; veja quais serão as novas estações

O ramal será ampliado em 4,3 km com duas novas estações

André Martins
André Martins

Repórter de Brasil e Economia

Publicado em 21 de junho de 2024 às 16h06.

Última atualização em 21 de junho de 2024 às 18h46.

Tudo sobreMetrô de São Paulo
Saiba mais

O governador Tarcísio de Freitas (Republicanos) e a ViaMobilidade, concessionária da CCR responsável pela Linha 5-Lilás, assinaram nesta sexta-feira, 21, o 3º aditivo contratual da concessão, que permitirá a extensão do ramal até o Jardim Ângela. O evento contou com a presença do prefeito da cidade, Ricardo Nunes (MDB), e o presidente da Câmara Municipal, Milton Leite (União).

REVISTA EXAME: Concessão de trens e metrô avança e já atinge maioria das linhas do Brasil

O ramal será ampliado 4,3 km e com duas novas estações, Comendador Sant’Anna e Jardim Ângela. A estimativa é de que os investimentos cheguem a R$ 3,4 bilhões para a construção das estações, além de possíveis desapropriações.

A previsão é que as obras da Linha-5-Lilás comecem no primeiro semestre de 2025 e a entrega ocorra até 2028.

Em discurso após a assinatura, Tarcísio disse que o projeto saiu do papel por causa da “parceria” e entrosamento” com a prefeitura. Nunes é pré-candidato à reeleição, apoiado pelo governador.

"Se a gente não tivesse perfeitamente alinhado e entrosado um projeto como esse não seria possível", disse o governador.

As vias serão elevadas em sua maior parte, com um trecho subterrâneo na parte final. É esperado que 150 mil usuários por dia sejam atendidos com as novas estações.

A previsão é que a futura estação Jardim Ângela seja interligada com o terminal de mesmo nome. A reivindicação por uma estação de metrô na região é antiga.

A concessionária será responsável por realizar os estudos iniciais para a expansão da linha, reduzindo o prazo para a realização do empreendimento e os riscos relacionados à execução das obras. A análise contempla projeto executivo completo e estudos de licenciamento ambiental, de demanda e de utilização de áreas públicas e privadas.

Atualmente, a Linha 5-Lilás opera em 20,1 km de extensão com 17 estações: Capão Redondo, Campo Limpo, Vila das Belezas, Giovanni Gronchi, Santo Amaro, Largo Treze, Adolfo Pinheiro, Alto da Boa Vista, Borba Gato, Brooklin, Campo Belo, Eucaliptos, Moema, AACD-Servidor, Hospital São Paulo, Santa Cruz e Chácara Klabin.

O fluxo diário do ramal é de 500 mil passageiros.

Linha 4-Amarela também será ampliada

Na última semana, o governo do estado e a CCR anunciaram a extensão da linha 4-Amarela. O aditivo contratual que permitirá a extensão do ramal até Taboão da Serra, a primeira estação do metrô fora da capital. 

Acompanhe tudo sobre:Metrô de São PauloTarcísio Gomes de Freitas

Mais de Brasil

Apagão cibernético afeta bancos e laboratórios no Brasil; veja serviços prejudicados

Linha 4-Amarela opera com lentidão nesta sexta-feira, relatam usuários do metrô

PGR vai ao STF para se manifestar contra ação do PT que questiona privatização da Sabesp

Geadas podem atingir RJ, SP e MG, e Inmet alerta para baixa umidade em 13 estados; veja previsão

Mais na Exame