Brasil

Suíça autoriza envio de dados bancários ligados à Petrobras

A investigação está centrada na Petrobras e descobriu corrupção sistêmica em diversas empresas e em altos escalões de governo


	Petrobras: os promotores federais suíços já disseram que receberam informações sobre cerca de 340 relações bancárias suspeitas ligadas à investigação

Petrobras: os promotores federais suíços já disseram que receberam informações sobre cerca de 340 relações bancárias suspeitas ligadas à investigação

DR

Da Redação

Publicado em 18 de outubro de 2016 às 14h02.

Zurique - Uma corte de apelação da Suíça decidiu que promotores podem compartilhar com o Brasil documentos bancários que ajudariam a esclarecer alegações de corrupção na Petrobras.

A Corte Criminal Federal permitiu a transferência de dados após impedir um movimento semelhante em janeiro, sob o argumento de que os promotores públicos não haviam seguido os procedimentos corretos para garantir assistência jurídica mútua, segundo documentos publicados no site do tribunal nesta terça-feira.

Algumas das partes envolvidas entraram com um novo recurso na Corte Federal Suíça, portanto a decisão ainda não é definitiva, disse a Procuradoria-Geral suíça.

A investigação está centrada na Petrobras e descobriu corrupção sistêmica em diversas empresas e em altos escalões de governo.

Os promotores federais suíços já disseram que receberam informações sobre cerca de 340 relações bancárias suspeitas ligadas à investigação de corrupção, que abriram 60 inquéritos e congelaram cerca de 800 milhões de dólares desde 2014.

Autoridades suíças disseram que pediram este ano documentos relacionadas a mais de mil contas em cerca de 40 bancos.

Os donos das contas na Suíça são "altos executivos da Petrobras e de duas fornecedoras, intermediários financeiros, políticos brasileiros e empresa brasileiras e de outros países", disse a Procuradoria-Geral.

Acompanhe tudo sobre:Capitalização da PetrobrasCorrupçãoEmpresasEmpresas abertasEmpresas brasileirasEmpresas estataisEscândalosEstatais brasileirasEuropaFraudesGás e combustíveisIndústria do petróleoPaíses ricosPetrobrasPetróleoSuíça

Mais de Brasil

Roberto Jefferson paga R$ 40 mil à PF por conserto de viatura que atingiu com 42 tiros

Brasil inclui luta contra racismo pela 1ª vez na agenda do G20

AliExpress e Shopee antecipam data de taxação de compras de até US$ 50; veja quando passa a valer

PM impõe 100 anos de sigilo a processos disciplinares de Mello, candidato a vice de Nunes em SP

Mais na Exame