STF evita comentar nomes de políticos citados por Costa

Os ministros evitaram comentar os nomes de políticos citados pelo ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa

Brasília – Ao chegarem à última sessão plenária do ano, os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) evitaram comentar os nomes de políticos citados pelo ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa como beneficiários de um esquema de corrupção envolvendo a estatal.

Na edição de hoje (19), o Estado de S. Paulo publicou com exclusividade a lista com 28 nomes de políticos, entre eles, um ministro de Estado, ex-ministros, um governador reeleito, três governadores, deputados e senadores.

O ministro Marco Aurélio Mello foi o único a se pronunciar sobre os nomes revelados. “Estou curioso como todo o brasileiro para saber o conteúdo desse embrulho”, disse o ministro.

Ele afirmou ainda que é preciso aguardar a divulgação da delação premiada. O relator da Operação Lava Jato no STF, o ministro Teori Zavascki, não quis tecer comentários sobre a lista.

Os ministros Dias Toffoli, Rosa Weber e o presidente da Corte, Ricardo Lewandoswski, disseram não ter conhecimento dos nomes divulgados e que não comentariam a lista divulgada pelo jornal.

Os ministros Luís Roberto Barroso, Gilmar Mendes e Celso de Mello não compareceram à sessão plenária.

A lista divulgada pelo jornal O Estado de S. Paulo traz os nomes daqueles que foram beneficiados pela diretoria comandada com Costa, de Abastecimento.

Novos nomes são aguardados da delação do doleiro Alberto Youssef e da investigação envolvendo outras diretorias como de Nestor Cerveró (internacional) e Renato Duque (Serviços).

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.