SP decreta fim do uso de máscara em ambiente aberto; veja data e regras

O que motivou o governo de São Paulo a determinar o fim do uso de máscara é a baixa nos casos graves e mortes decorrentes da covid-19
 (Amanda Perobelli/Reuters)
(Amanda Perobelli/Reuters)
G
Gilson Garrett Jr

Publicado em 09/03/2022 às 12:46.

Última atualização em 09/03/2022 às 16:58.

O governo de São Paulo decretou o fim do uso de máscara, mas apenas ao ar livre. Em ambientes fechados, como o transporte público, a proteção facial continua obrigatória. A decisão foi anunciada pelo governador João Doria (PSDB) em coletiva de imprensa nesta quarta-feira, 9. A medida já tem validade a partir desta quarta-feira. O estado foi um dos primeiros a implementar a medida, em maio de 2020.

"Este decreto libera o uso de máscara em ambientes abertos em todo o estado de São Paulo. Isso se aplica em ruas, parques, praças, pátios de escolas, estádios de futebol, centro abertos de eventos, autódromos e outras áreas correlatas. O uso de máscara será obrigatório ainda para ambientes fechados, como salas de aula, transporte público, escritórios de trabalho, cinemas, teatros e correlatos", disse Doria em coletiva de imprensa, e logo depois tirou a máscara em um ato simbólico.

O governador ainda disse que no dia 23 de março o estado pode avaliar a retirada total da máscara. "Possivelmenre em duas semanas o estado pode avaliar a liberação completa do uso de máscara. Não estou anunciando, apenas antecipando aqui que os dados, as indicações, o caminho, está iluminado neste sentido", afirmou Doria.

O que motivou o governo de São Paulo a tomar tal atitude é a baixa nos casos graves e mortes decorrentes da covid-19. A ocupação dos leitos de UTI, que preocupou no começo do ano com a variante ômicron, está em 37,6% em todo o estado. "Eu, como alguém que está acompanha a pandemia, não posso dizer que está no fim, mas estamos em um momento extremamente favorável", disse o coordenador do Comitê Científico paulista, Paulo Menezes.

Há um consenso entre os especialistas em saúde pública de que neste momento há a possibilidade de retirar a obrigação de máscara em locais abertos, mas manter em locais fechados, como o transporte público. Eles ainda alertam que os números decorrentes de aglomerações registradas no Carnaval só serão percebidos na integralidade na próxima semana.

“Eu concordo com a flexibilização, mas deveria haver pelo menos uma indicação de que pessoas que são portadores de comorbidades, transplantados, obesos, idosos acima de 80 anos deveriam manter o uso de máscara por decisão própria”, opina Gonzalo Vecina, um dos maiores especialistas em saúde pública do país e fundador da Agência Nacional de Vigilância Sanitária.

Vacinação em SP

Com a vacinação mais avançada do país, o estado já imunizou com o esquema completo quase 90% da população com mais de 5 anos, em que a aplicação é permitida. Considerando a primeira dose, a aplicação supera os 98%. Quando se olha apenas o universo de crianças de 5 a 11 anos, a taxa supera os 70%, levando em conta apenas a primeira dose.

Máscara nas escolas

O estado decidiu liberar o uso de máscara nas escolas, mas apenas em ambientes abertos. A medida já foi determinada em outros estados, como Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Em entrevista exclusiva à EXAME, no fim de fevereiro, o secretário estadual da Saúde, Jean Gorinchteyn, disse que a meta do governo paulista é imunizar, com pelo menos a primeira dose, 90% das crianças até o fim de março.

O valor supera, e muito, a vacinação em países que começaram a imunização meses antes do Brasil. Segundo dados oficiais, os Estados Unidos têm uma taxa de 32,08% de imunizados na faixa entre 5 e 11 anos, considerando a aplicação de pelo menos a primeira dose. A Itália tem 36,92%, e Canadá está com 54,61% de vacinados.

No caso da cidade de São Paulo, por exemplo, a vacinação de primeira dose passou dos 100% na população entre 12 e 17 anos. Entre as crianças de 5 a 11 anos, a cobertura está em 80,2%, segundo o boletim divulgado na terça-feira, 8.

Regras do uso de máscara

Não obrigatório

  • Rua
  • Parques e praças
  • Shows, eventos e jogos de futebol
  • Áreas abertas de escolas

Obrigatório

  • Espaços fechados
  • Restaurantes e bares
  • Cinemas e teatros
  • Escritórios
  • Salas de aula
  • Transporte público

Rio retirou obrigatoriedade

A medida de São Paulo vem na esteira de outras cidades e estados que anunciaram o fim do uso obrigatório de máscaras. Na segunda-feira, 7, a cidade do Rio de Janeiro suspendeu a obrigatoriedade tanto em locais abertos quanto fechados, incluindo o transporte público. De acordo com o prefeito Eduardo Paes (PSD), a decisão foi baseada em um cenário melhor nos números da pandemia.

A cidade do Rio foi a primeira capital do país a retirar a obrigatoriedade do uso de máscaras. Santa Catarina já publicou um decreto desobrigando o uso do item, mas deixou a cargo das prefeituras seguirem ou não. O Distrito Federal já liberou a máscara apenas ao ar livre.