• AALR3 R$ 20,10 0.15
  • AAPL34 R$ 69,17 1.10
  • ABCB4 R$ 16,60 -0.36
  • ABEV3 R$ 14,07 -0.99
  • AERI3 R$ 3,83 1.32
  • AESB3 R$ 10,87 -0.46
  • AGRO3 R$ 31,46 0.06
  • ALPA4 R$ 22,11 -0.27
  • ALSO3 R$ 19,01 0.85
  • ALUP11 R$ 26,46 -0.15
  • AMAR3 R$ 2,61 0.77
  • AMBP3 R$ 32,23 -0.37
  • AMER3 R$ 21,62 0.56
  • AMZO34 R$ 3,46 2.37
  • ANIM3 R$ 5,53 -0.36
  • ARZZ3 R$ 80,86 -0.50
  • ASAI3 R$ 15,94 -0.93
  • AZUL4 R$ 21,02 0.33
  • B3SA3 R$ 12,40 -0.08
  • BBAS3 R$ 37,09 -0.99
  • AALR3 R$ 20,10 0.15
  • AAPL34 R$ 69,17 1.10
  • ABCB4 R$ 16,60 -0.36
  • ABEV3 R$ 14,07 -0.99
  • AERI3 R$ 3,83 1.32
  • AESB3 R$ 10,87 -0.46
  • AGRO3 R$ 31,46 0.06
  • ALPA4 R$ 22,11 -0.27
  • ALSO3 R$ 19,01 0.85
  • ALUP11 R$ 26,46 -0.15
  • AMAR3 R$ 2,61 0.77
  • AMBP3 R$ 32,23 -0.37
  • AMER3 R$ 21,62 0.56
  • AMZO34 R$ 3,46 2.37
  • ANIM3 R$ 5,53 -0.36
  • ARZZ3 R$ 80,86 -0.50
  • ASAI3 R$ 15,94 -0.93
  • AZUL4 R$ 21,02 0.33
  • B3SA3 R$ 12,40 -0.08
  • BBAS3 R$ 37,09 -0.99
Abra sua conta no BTG

SP regride para fase restritiva; lojas e parques fecham no fim de semana

Anúncio da mudança está programado para acontecer nesta sexta-feira, 22, em coletiva de imprensa no Palácio dos Bandeirantes; comércio, bares e restaurantes fecham nos finais de semana
 (Divulgação/Governo do Estado de São Paulo)
(Divulgação/Governo do Estado de São Paulo)
Por Da Redação, Estadão ConteúdoPublicado em 22/01/2021 07:05 | Última atualização em 22/01/2021 14:12Tempo de Leitura: 3 min de leitura

A partir da segunda-feira, 25, começam a valer regras mais restritas da quarentena em todo o estado de São Paulo. Durante a semana, das 20 horas até as 6 horas somente serviços essenciais podem funcionar, como mercados, farmácias e postos de gasolina. Aos finais de semana, shoppings, bares e restaurantes precisam ficar fechados, assim como os parques.

Durante o horário comercial, ficam em vigor as regras locais, por região. A Grande São Paulo, por exemplo, está na fase 2 laranja, em que o comércio pode funcionar com capacidade reduzida, de 40% (veja todas as regras). As novas regras têm validade até o dia 8 de fevereiro.

A reclassificação, feita de forma extraordinária, era tida como certa, por causa do aumento de internações em hospitais em todo o estado e foi confirmada pelo Centro de Contingência da Covid-19 em coletiva de imprensa nesta sexta-feira (22).

No início desta semana, o secretário estadual da Saúde, Jean Gorinchteyn, já havia ressaltado que a propagação da covid-19 segue em ritmo acelerado no Estado. "Tivemos a pior semana epidemiológica desde o início da pandemia", afirmou Gorinchteyn na segunda-feira passada, citando um aumento de 77% no número de novos casos ante a semana anterior e de mais de 50% no total de mortes. As internações tiveram um aumento na casa dos 30% até então.

O secretário afirmou ainda na oportunidade que, dado o aumento dos casos, o Estado mantém "no radar" a reativação de hospitais de campanha para atendimento da população. "Já estamos ampliando leitos dentro de hospitais e também a contratando hospitais privados. E nós não tiramos do radar os hospitais de campanha."

Diante do contínuo avanço da doença ao longo de dezembro e no começo de janeiro, o governo havia endurecido as restrições para oito regiões na semana passada. Sete passaram para a fase laranja e a região de Marília passou para a vermelha, a mais crítica. A medida já representou uma antecipação da reclassificação, já que uma nova avaliação estava prevista para ocorrer somente no próximo dia 5 de fevereiro. "A situação vem se agravando a cada semana", disse o governador João Doria (PSDB), em coletiva de imprensa na semana passada.