SP planeja vacinar todas as crianças de 5 a 11 anos em três semanas

A previsão foi feita nesta quarta-feira, 5, pelo governador João Doria (PSDB), que apresentou alguns pontos do plano de imunização para a faixa etária
SP: o governador voltou a criticar o governo federal por ainda não ter iniciado a vacinação deste público-alvo, mesmo com a autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) (Brendan McDermid/Reuters)
SP: o governador voltou a criticar o governo federal por ainda não ter iniciado a vacinação deste público-alvo, mesmo com a autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) (Brendan McDermid/Reuters)
Por Estadão ConteúdoPublicado em 05/01/2022 13:45 | Última atualização em 05/01/2022 14:02Tempo de Leitura: 2 min de leitura

O governo de São Paulo estima concluir em até três semanas a vacinação de crianças de 5 a 11 anos contra a covid-19, a partir do recebimento das doses encaminhadas pelo governo federal. A previsão foi feita nesta quarta-feira, 5, pelo governador João Doria (PSDB), que apresentou alguns pontos do plano de imunização para a faixa etária.

O tucano detalhou que o estado teria condições de vacinar 250 mil crianças por dia, em público total de 4,3 milhões com idades entre 5 e 11 anos. Ele afirmou também que São Paulo possui estrutura de 5,2 mil postos de vacinação e ainda lembrou que as escolas estaduais também funcionarão como ponto de aplicação — até o momento, 268 unidades se cadastraram para isso.

O governador voltou a criticar o governo federal por ainda não ter iniciado a vacinação deste público-alvo, mesmo com a autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

"Tendo a vacina aprovada há quase um mês pela Anvisa é entristecedor e revoltante que a aplicação não tenha começado. Isso revela a indiferença do governo federal com a vida, com a saúde, o que revolta mais porque se trata de crianças", reclamou o tucano, que é pré-candidato à Presidência da República em 2022.

Doria também disse que a gestão estadual aguarda aval da Anvisa para aplicação da Coronavac em crianças. Caso haja autorização do órgão, o Instituto Butantan teria 12 milhões de doses à disposição para uso.

Do total de crianças elegíveis para vacinação no estado, 850 mil possuem comorbidades e deficiências ou são indígenas e quilombolas. O governo paulista já adquiriu 4,5 milhões de seringas e agulhas de 1 ml para aplicar o imunizante e abriu processo de compra da mesma quantidade de material para a segunda dose.