Exame logo 55 anos
Remy Sharp
Acompanhe:

Senado adia votação do marco dos games mais uma vez; PL será enviado à Comissão de Educação

Um dos motivos de resistência citados no plenário é a estimativa da Receita Federal de que cerca de R$ 800 milhões deixariam de ser arrecadados ao ano caso a proposta seja aprovada

Modo escuro

Continua após a publicidade
Rodrigo Pacheco sugeriu como alternativa a realização de um novo debate da proposta na Comissão de Educação (Jefferson Rudy/Agência Senado/Flickr)

Rodrigo Pacheco sugeriu como alternativa a realização de um novo debate da proposta na Comissão de Educação (Jefferson Rudy/Agência Senado/Flickr)

O Senado adiou mais uma vez a votação do projeto de lei que cria um marco legal dos jogos eletrônicos. Após consultar líderes partidários presentes no plenário nesta terça-feira, 26, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), decidiu, em acordo com os parlamentares, retirar a proposta da pauta e encaminhá-la para a Comissão de Educação para mais uma discussão.

Esta é a segunda vez que o marco legal dos games, como o projeto ficou conhecido, é retirado de pauta e reencaminhado às comissões do Senado. A proposta foi aprovada na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) em junho deste ano. Em agosto, a proposta foi incluída na pauta do plenário, mas, após críticas dos senadores, foi retirada e devolvida à CAE. O colegiado aprovou novamente o texto no fim de agosto e enviou novamente ao plenário. Desta vez, a proposta vai à Comissão de Educação para ser debatido.

Na sessão desta terça-feira, 26, o relator do projeto, Irajá (PSD-TO), tentou articular um acordo para viabilizar a votação, tentando levar adiante apenas parte do PL (o que regulamenta os fantasy games). A manobra não teve apoio dos líderes.

Demora para votação

Um dos motivos de resistência citados no plenário é a estimativa da Receita Federal de que cerca de R$ 800 milhões deixariam de ser arrecadados ao ano caso a proposta seja aprovada. Na semana passada, a coordenadora-geral de Apostas do Ministério da Fazenda, Simone Vicentini, apresentou essa estimativa aos senadores em um debate realizado no plenário do Senado.

"Eu tenho um ponto aqui para colocar, que é essencial, que é a manifestação da Receita Federal do Brasil com relação ao impacto orçamentário e financeiro da medida, que, com essas isenções, a estimativa de perda de arrecadação é em torno de R$ 800 milhões ao ano. Então, a Receita Federal é contrária sob esse aspecto", disse Simone.

Novo debate

Diante das críticas de senadores de diversos partidos (PL, Novo, PDT, Podemos, entre outros), o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, sugeriu como alternativa a realização de um novo debate da proposta na Comissão de Educação, com o compromisso de que o texto não seria engavetado no colegiado.

O líder do governo no Senado, Jaques Wagner (PT-BA), foi um dos que apoiaram a solução. "Está claro no plenário que há uma insegurança e um número muito, não sei se ampla maioria, com resistência ao texto. O tema gera paixões, já foi motivo de dogma, hoje não é mais, para alguns continua uma aversão pela questão de jogos", afirmou.

Créditos

Últimas Notícias

Ver mais
São Paulo lidera índice de resultados de inovação do Brasil; Santa Catarina é 2º

Brasil

São Paulo lidera índice de resultados de inovação do Brasil; Santa Catarina é 2º

Há 4 horas

Quais os estados onde é mais fácil inovar no Brasil? Ranking responde

Brasil

Quais os estados onde é mais fácil inovar no Brasil? Ranking responde

Há 4 horas

São Paulo é o estado mais inovador do Brasil; veja ranking

Brasil

São Paulo é o estado mais inovador do Brasil; veja ranking

Há 4 horas

Tarcísio diz que vai punir quem descumpriu escala de trabalho na greve no Metrô

Brasil

Tarcísio diz que vai punir quem descumpriu escala de trabalho na greve no Metrô

Há 5 horas

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Suvinil investe para criar embalagens e produtos mais sustentáveis

Suvinil investe para criar embalagens e produtos mais sustentáveis

Inovação em nuvem e IA: a aposta da Huawei Cloud para o Brasil

Inovação em nuvem e IA: a aposta da Huawei Cloud para o Brasil

Poupança, CDB ou conta que rende? O que especialistas dizem sobre as aplicações
Minhas Finanças

Poupança, CDB ou conta que rende? O que especialistas dizem sobre as aplicações

Veículo de luxo financiado? Entenda por que essa pode ser uma boa opção

Veículo de luxo financiado? Entenda por que essa pode ser uma boa opção

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais