Rio vai fechar Copacabana no Réveillon para evitar aglomerações

Somente moradores poderão ter acesso ao bairro. A decisão é do prefeito em exercício do Rio Jorge Felippe para evitar aglomerações
Rio: a prefeitura ainda estuda restringir a entrada de ônibus de excursão na cidade, mas a medida ainda será discutida com a Polícia Rodoviária Federal (Ricardo Moraes/Reuters)
Rio: a prefeitura ainda estuda restringir a entrada de ônibus de excursão na cidade, mas a medida ainda será discutida com a Polícia Rodoviária Federal (Ricardo Moraes/Reuters)
A
Agência O Globo

Publicado em 23/12/2020 às 19:35.

Última atualização em 23/12/2020 às 19:37.

A prefeitura do Rio decidiu nesta quarta-feira que o bairro de Copacabana será "fechado" durante a virada do ano. Somente moradores poderão ter acesso ao bairro. A decisão é do prefeito em exercício do Rio Jorge Felippe (DEM) para evitar aglomerações.

A informação foi antecipada pelo G1. A prefeitura ainda estuda restringir a entrada de ônibus de excursão na cidade, mas a medida ainda será discutida com a Polícia Rodoviária Federal.

Na última semana, Marcelo Crivella já havia cancelado a festa alternativa de réveillon do Rio. Na impossibilidade de realização do modelo tradicional, com shows e queima de fogos na Praia de Copacabana, a prefeitura havia decidido por uma opção sem aglomerações: transmissão virtual de apresentações em seis palcos espalhados pela cidade e shows de luzes. Mas o novo aumento de casos de Covid-19 influenciou para que esse projeto fosse abortado.

Dias depois, o município também proibiu as festas privadas de réveillon nos quiosques da orla da cidade. Estão proibidos cercadinhos, shows ou eventos com cobrança de ingressos ao longo da orla, seja na areia ou calçadão na virada do ano.