Brasil
Acompanhe:

Rio deve ter pico de covid com festas de final de ano, diz Paes

Testes de covid positivos subiram de 0,7% para 5,5% na cidade nos últimos dias; prefeito diz que uso de máscara poderá voltar a ser obrigatório

Rio de Janeiro: festas de fim de ano devem provocar pico de covid, diz prefeito (BRUNO MARTINS/Estadão Conteúdo)

Rio de Janeiro: festas de fim de ano devem provocar pico de covid, diz prefeito (BRUNO MARTINS/Estadão Conteúdo)

E
Estadão Conteúdo

31 de dezembro de 2021, 15h33

O Rio de Janeiro deve ter um pico de Covid-19 após as festas de fim de ano, disse nesta sexta-feira o prefeito, Eduardo Paes (PSD), admitindo que e a cidade pode voltar a obrigar o uso de máscara de proteção em locais abertos.

Os testes positivos para Covid-19 subiram nos últimos dias e a taxa de positividade na capital subiu de 0,7% para 5,5%. O município tem quase 100 casos suspeitos da variante Ômicron.

EXAME lança e-book gratuito com 30 formas práticas de ter renda extra e sair do endividamento: baixe agora mesmo

"Temos um aumento de testes positivos para Covid e isso demanda mais atenção da gente e o foco é se vacinar", disse ele a jornalistas em Copacabana, onde ocorrerá uma queima de fogos para celebrar o Réveillon.

"A gente tem tudo mobilizado, estrutura, conhecimento e aprendizado e a gente tem certeza que vai ter um pico de casos e o que a gente espera é que quem se vacinou não vai ter os efeitos das outras ondas de Covid", adicionou ele.

Em Copacabana, onde os hotéis estão com lotação máxima e há muita gente circulando apesar do tempo chuvoso, foram montados três pontos de vacinação contra Covid-19. Em um dos postos, pessoas reclamaram da demora na fila.

Ma segundo Paes, "é muito mais inteligente e seguro celebrar ao ar livre que locais muito fechados".

Na cidade, cerca de 88% da população já tomou primeira dose da vacina contra Covid-19 e mais de 80% tem duas doses. Segundo a prefeitura, quase 23% do público recebeu a 3ª dose.

Desde o início da pandemia cerca de 69.500 pessoas morreram de Covid-19 no Estado, sendo aproximadamente metade na capital.

Na capital fluminense, o uso de máscara em locais abertos deixou de ser obrigatório desde o fim de outubro.

A prefeitura tentou a liberação da máscara em locais fechados, mas a medida foi barrada pelo governo estadual.

Diante a perspectiva de aumento de casos de Covid-19 e da circulação da Ômicron, a prefeitura cogita tornar novamente obrigatório o uso do equipamento de proteção.

"Vamos tomar essa decisões ao longo da semana que vem", disse Paes.