Acompanhe:

O grupo de trabalho formado pelo governo para tratar da regulação das empresas de aplicativos tem ao menos três propostas na mesa e poucos consensos.

Nesta terça-feira, em Brasília, os trabalhadores rejeitaram novas sugestões apresentadas pelas empresas sobre uma remuneração mínima à categoria, tema que tem dominado as discussões do comitê até aqui.

O governo espera que o grupo chegue em um acordo até o dia 12 de setembro. O objetivo é que o tema possa ser endereçado pelo presidente Lula durante discurso na Assembleia Geral da ONU, que começa em 19 de setembro, em Nova York.

O GT foi formado em maio e os debates já se arrastam há três meses. O tema foi uma das promessas de Lula durante a campanha.

— Fixamos o dia 12 como dia final para acordo entre trabalhadores, patrões e governo nos pontos essenciais, que são os ganhos, a questão da Previdência, saúde do trabalhadores, transparência algorítmica e jornada de trabalho — afirmou o secretário Nacional de Economia Popular e Solidária do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), Gilberto Carvalho.

Em vídeo divulgado nesta terça-feira pelo X, antigo Twitter, Gilberto Carvalho disse que a nova rodada de negociações “foi acalorada, muito clara e muito franca” mas manteve “clima democrático. O secretário lidera, pelo governo, as conversas do grupo tripartítide que reúne plataformas, trabalhadores e autoridades.

Os representantes de entregadores e motoristas de aplicativo rejeitaram as novas propostas apresentadas pela empresas nesta terça-feira.

As propostas de cada um

O Movimento Inovação Digital (MID), que representa Loggi e Rappi, além de 1.253 pequenas empresas regionais, apresentou a seguinte sugestão

Repasse mínimo de R$ 7 por hora trabalhada para os que usam bicicleta

Repasse mínimo de R$ 11 por hora trabalhada para entregadores com motociclistas.

Repasse mínimo de R$ 17 por hora trabalhada para motoristas de carros.

Repasse de R$ 12 por quilômetro rodado no caso das entregas do comércio eletrônico, são R$ 12 a cada 8 quilômetros rodados.

Os valores divergem dos que foram propostos pelas maiores empresas do setor. A Associação Brasileira de Mobilidade e Tecnologia (Amobitec), que representa Uber e iFood, entre outras, encaminhou uma nova sugestão nesta terça-feira, com alguns valores reajustados.

Valor mínimo de R$ 21,22 por hora trabalhada em transporte de passageiros

Repasse de R$ 6,54 para entregadores de bicicleta

E repasse de R$ 12 para entregadores em motocicletas

Tempo 'efetivamente' trabalhado

Os entregadores e motoristas consideram os valores baixos. Um documento das centrais sindicais sugere remuneração mínima de R$ 35,76, por hora, para motociclistas e R$ 29,63 por hora, para trabalhadores que usam bicicleta.

Eles também criticam o critério das empresas de pagamento por tempo “efetivamente trabalhado” que desconsidera o tempo em que o trabalhadores está logado no aplicativo.

Risco de concentração de mercado

O principal desafio do governo, até dia 12 de setembro, será encontrar uma convergências entre as diferentes propostas que estão na mesa, incluindo a falta de consenso entre as empresas. Mas há outras preocupações envolvidas na discussão.

Uma dos temores do MID é que o debate sobre a regulação inviabilize a operação de empresas regionais e gere uma concentração ainda maior no mercado. A associação também contesta o cálculo por hora trabalhada para todos os trabalhadores e diz que ele pode prejudicar plataformas que têm fluxo menor.

Contribuição à Previdência

Já a Amobitec, que tem protagonizado as discussões dentro do grupo, tem como principal ponto de atenção que o texto final garanta a segurança jurídica para operação, com uma nova legislação voltada para atividade dos aplicativos.

As plataformas também aguardam a definição, por parte do governo, de como será calculado o recolhimento da Previdência. Segundo apurou o GLOBO, o governo trabalha com uma alíquota de 20% para empresas e 11% para os trabalhadores, mas os valores dependerão da base de cálculo final da remuneração.

Receba as notícias mais relevantes do Brasil e do mundo em primeira mão. Inscreva-se no Telegram da Exame

Créditos

Últimas Notícias

Ver mais
Governo propõe pagamento de R$ 32,09 por hora trabalhada para motoristas de apps
Economia

Governo propõe pagamento de R$ 32,09 por hora trabalhada para motoristas de apps

Há 3 horas

Sem chatbot por aqui: apps de fotos estão atraindo investimentos milionários
Tecnologia

Sem chatbot por aqui: apps de fotos estão atraindo investimentos milionários

Há 5 dias

O futuro exponencial começa com elas: por que as mulheres devem liderar
Um conteúdo Esfera

O futuro exponencial começa com elas: por que as mulheres devem liderar

Há uma semana

Presidente do BoE vê mercado de trabalho britânico apertado, mas destaca resiliência do emprego
Economia

Presidente do BoE vê mercado de trabalho britânico apertado, mas destaca resiliência do emprego

Há uma semana

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais