A página inicial está de cara nova Experimentar close button

Professores fazem manifestação em frente à prefeitura do Rio

Os manifestantes tentavam uma audiência com o prefeito Eduardo Paes para negociar as reivindicações da categoria

Rio de Janeiro – Os professores da rede municipal de ensino da capital fluminense, em greve desde o dia 8 deste mês, fizeram uma manifestação hoje (20) em frente a sede administrativa da prefeitura carioca, na Cidade Nova, na região central da cidade. Eles tentavam uma audiência com o prefeito Eduardo Paes para negociar as reivindicações da categoria.

Dez representantes dos professores conseguiram, no entanto, se reunir com o secretário da Casa Civil, Pedro Paulo Teixeira, e com integrantes da Secretaria Municipal de Educação. Segundo o coordenador do Sindicado Estadual dos Profissionais de Educação (Sepe), Alex Trentino, a reunião reabriu o processo de negociação.

“A prefeitura disse na reunião que não tem dinheiro para o reajuste e para o plano de carreira ao mesmo tempo. Nós, da categoria, afirmamos que não abriremos mão das reivindicações. Para conseguir alguma conciliação, levantamos sete pontos que não têm impacto financeiro e que serão levadas ao prefeito. Prometeram que será marcada uma nova audiência amanhã [21] e esperamos que dessa vez o prefeito compareça e não esteja em viagem como hoje”, explicou.

De acordo com o Sepe, alguns dos sete pontos pautados e que serão negociados na nova audiência são direitos de origem, pelo qual os funcionários têm um local de trabalho permanente; participação do Sepe no plano de carreira; data-base para o reajuste; regularidade de audiência com a secretária de Educação Claudia Costin, e carteira funcional.

O secretário Pedro Paulo Carvalho Teixeira disse estar pessimista com a possibilidade de um acordo com o sindicato.

“Eu acho difícil avançar, por causa do desprezo do Sepe em relação ao Plano de Cargos e Salários apresentado pela prefeitura. Acredito que o plano poderia corrigir distorções e conduzir aumentos significativos aos funcionários, mas se o Sepe não compreende que essa é a pauta prioritária será difícil um acordo. Acredito que esses pontos levantados hoje não vão saciar a vontade da categoria. Deveríamos canalizar nossas energias no plano, que é a principal pauta. Em toda reunião sempre aparece um novo ponto a ser discutido, o que nos faz pensar que há o desejo da greve pela greve”, disse.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também