Procon-SP acha problemas em estandes de vendas de imóveis

Fundação Procon-SP fiscaliza estandes e plantões de vendas de imóveis na planta e constata a cobrança de taxa que pode ser abusiva em certos casos

São Paulo - A Fundação Procon-SP, órgão vinculado à Secretaria de Justiça e Defesa da Cidadania, juntamente com o Conselho Regional de Corretores de Imóveis de São Paulo (Creci-SP) realizaram ações de fiscalização em estandes e plantões de vendas de empreendimentos imobiliários, e constataram alguns problemas, como a cobrança da taxa de Serviço de Assessoria Técnico Imobiliária (SATI), que pode ser considerada abusiva se for obrigatória, e problemas na oferta de imóveis do Programa Minha, Casa Minha Vida.

As ações de fiscalização foram feitas nos dias 4 de julho (domingo), 17 de agosto (sábado), 31 de agosto (sábado) e 5 de setembro (quinta-feira) e tiveram por objetivo verificar o cumprimento das normas de defesa do consumidor e aquelas que regem a atuação dos corretores de imóveis e imobiliárias.

Nos estandes foram verificados se estavam disponíveis a documentação do empreendimento, como o registro de incorporação, o memorial descritivo, a tabela de preço das unidades à venda, eventual publicidade enganosa indicando a participação no programa Minha Casa, Minha Vida, cobrança irregular de corretagem e eventuais cobranças indevidas de assessoria jurídica ou taxa SATI.

Oito das empresas fiscalizadas apresentaram cobrança da taxa SATI, que no entanto só pode ser considerada abusiva se for obrigatória. Foram elas: Habitcasa (Grupo Lopes, construtora e vendas), PDG (vendas), Tecnisa (construtora), Tecnisa (vendas), Lopes (vendas), Atua (construtora e vendas), Cyrela (construtora e vendas) e Avance Negócios Imobiliários.

A Fernandez Mera (construtora e vendas) ofertava apartamentos com o benefício do Programa Minha Casa, Minha Vida, mas não dispunha unidades à venda com esse benefício. A Gafisa (construtora e vendas) foi notificada para esclarecer a participação no Programa Minha, Casa Minha Vida. Contudo, em nota, a empresa esclareceu que a marca Gafisa não atua no segmento Minha Casa, Minha Vida, apenas a Tenda, que pertence ao mesmo grupo. E à PDG (vendas) foi exigida a comprovação de comercialização de unidades pelo programa.

*Matéria atualizada às 15h05.

Vídeo: Que cuidados tomar ao visitar um apartamento decorado?

[videos-abril id="57f924838c994b0d54229adfefb957a2" showtitle="false"]

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 3,90/mês
  • R$ 9,90 após o terceiro mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 99,00/ano
  • R$ 99,00 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 8,25 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.