PM e Metrô fecham parceria para reforçar segurança nas estações de SP

Com a parceria, haverá reforço de 180 policiais de folga atuando nas estações e linhas desse transporte na capital paulista
 (Victor Moriyama/Getty Images)
(Victor Moriyama/Getty Images)
A
Agência Brasil

Publicado em 28/09/2022 às 20:14.

Última atualização em 28/09/2022 às 21:18.

Após diversos episódios de violência e de roubos ocorridos nos últimos meses nos trens e estações do Metrô de São Paulo, a Polícia Militar fechou hoje, 28, um convênio com o Metrô para tentar coibir esses crimes. O convênio, segundo a Secretaria de Segurança Pública, prevê o reforço de 180 policiais de folga atuando nas estações e linhas desse transporte na capital paulista.

Esses policiais vão trabalhar em regime de diária especial por jornada extraordinária de trabalho militar (Dejem), que foi contratada pelo Metrô. De acordo com a secretaria, esse trabalho será feito por adesão voluntária, ou seja, os policiais militares que desejarem poderão concorrer às 180 vagas que foram abertas.

“Teremos policiais fardados, armados e com comunicação externa para solicitar apoio policial da área (externa), se necessário”, disse Álvaro Batista Camilo, secretário-executivo da Polícia Militar.

A cada semestre, uma comissão formada por membros do Departamento de Operações do Metrô e da Área Operacional da PM vão definir que estações devem receber maior reforço de segurança.

Quer receber os fatos mais relevantes do Brasil e do mundo direto no seu e-mail toda manhã? Clique aqui e cadastre-se na newsletter gratuita EXAME Desperta.

"A parceria com a PM vai trazer mais segurança ao nosso sistema. Nossos agentes vão poder atender ainda melhor os passageiros e os policiais militares vão auxiliar na coibição de crimes nas nossas 4 linhas", disse Silvani Pereira, diretor-presidente do Metrô.

O custo mensal do convênio poderá chegar a R$ 1,4 milhão por mês, de acordo com a quantidade de policiais que aderirem. A parceria começa a funcionar em outubro deste ano e valerá por 15 meses, podendo ser prorrogada até o limite de cinco anos.

LEIA TAMBÉM:

SP registra aumento de homicídios, estupros, furtos e roubos em agosto

SP retoma transporte público gratuito para idosos; veja como conseguir benefício