PM do DF aposta em imagens para garantir segurança na Copa

Segundo chefe do departamento operacional, imagens feitas por policiais e pela população durante protestos violentos poderão servir para prisão de manifestantes

Brasília - A Polícia Militar do Distrito Federal (PM-DF) vai usar imagens de telefones celulares dos policiais, as câmeras de monitoramento da Secretaria de Segurança Pública e das plataformas de observação elevada (POEs) para garantir a segurança de turistas e torcedores durante a Copa do Mundo e prender manifestantes violentos.

Segundo o chefe do departamento operacional da PM-DF, coronel Jailson Braz, as imagens feitas por policiais militares e pela população durante protestos violentos poderão servir para a prisão posterior de manifestantes.

“A prisão irá acontecer durante a manifestação sempre que for possível. A tecnologia das câmeras já posicionadas, das plataformas de observação elevada e das imagens dos celulares dos policiais vai facilitar a identificação dessas pessoas. A própria população pode disponibilizar as imagens para a polícia. Vamos receber em tempo real essas imagens, que facilitarão a identificação e a responsabilização dessas pessoas posteriormente.”

As 200 câmeras da área central de Brasília e do Taguaparque, em Taguatinga, a cerca de 25 quilômetros da capital, onde ocorrerá a Fifa Fan Fest, e das duas plataformas de observação elevada - caminhões equipados com um mastro telescópico com 12 câmeras que atingem a altura de até 15 metros - vão gerar imagens em tempo real para o centros integrados de comando e controle regional e móvel.

Na Torre de TV, ficarão posicionados o Comando Móvel Geral, em que a alta cúpula da PM fará o monitoramento e a tomada de decisões, o Centro Integrado de Comando e Controle Móvel e uma Plataforma de Observação Elevada. Perto do Taguaparque, haverá uma plataforma de observação do Corpo de Bombeiros.

A operação de segurança da Copa vai contar ainda com 800 exoesqueletos, que são equipamentos de proteção individual de polipropileno, resistentes a pancadas.

A vestimenta de segurança de 3,8 quilos inclui capacete e colete, além de proteções nos braços e pernas.

Também serão usados três veículos blindados anti-tumulto que podem entrar nas manifestações e dispõem de jatos de água para dispersar os manifestantes, além de 3,4 mil armas de eletrochoque.

O reforço na segurança inclui 125 cavalos do Regimento de Polícia Montada, dez cães para varreduras anti-bombas e quatro helicópteros.

Cerca de 15 mil agentes das forças de segurança pública e das Forças Armadas estão mobilizados desde o dia 23 de maio para a Operação Copa no DF, que vai até o dia 18 de julho, cinco dias após a final do torneio, no dia 13.

São quase 11 mil homens das forças federais e do DF e cerca de 4 mil das Forças Armadas.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.