Brasil
Acompanhe:

PGR monitora articulações nas redes e atos diante de quartéis

Outro ponto de atenção são eventuais articulações de novas mobilizações, inclusive pelas redes sociais

 (AFP/AFP Photo)

(AFP/AFP Photo)

E
Estadão Conteúdo

4 de novembro de 2022, 07h23

A Procuradoria-Geral da República (PGR) informou nesta quinta-feira, 3, que analisa as ocorrências associadas aos bloqueios nas estradas por manifestantes bolsonaristas inconformados com o resultado da eleição para decidir se vai abrir investigações criminais.

O órgão também afirmou que monitora os atos antidemocráticos organizados próximo a quartéis do Exército, que segundo a PGR "ainda persistem em alguns Estados".

LEIA TAMBÉM: STF dá 48h para chefe da PRF informar veículos e pessoas multadas em bloqueios

Outro ponto de atenção são eventuais articulações de novas mobilizações, inclusive pelas redes sociais.

O procurador-geral da República, Augusto Aras, disse que o "monitoramento prossegue, com foco na preservação da ordem jurídica e da segurança pública".

Aras se reuniu nesta tarde com todos os procuradores-chefes das unidades do Ministério Público Federal (MPF) nos Estados para discutir a situação dos bloqueios.

O PGR voltou a dizer que conversou mais cedo com o ministro da Justiça e Segurança Pública, Anderson Torres, e que teria sido informado que às 13h desta quinta não havia mais nenhuma interdição nas rodovias federais.

O diretor-geral da Polícia Rodoviária Federal (PRF), Silvinei Vasques, disse que os manifestantes replicam a mesma tática dos atos antidemocráticos organizados no feriado de 7 de Setembro de 2021.

LEIA TAMBÉM: