• AALR3 R$ 20,29 0.74
  • AAPL34 R$ 67,40 -2.05
  • ABCB4 R$ 16,73 -0.18
  • ABEV3 R$ 14,19 0.78
  • AERI3 R$ 3,63 -6.20
  • AESB3 R$ 10,65 -2.92
  • AGRO3 R$ 31,09 0.61
  • ALPA4 R$ 20,82 0.29
  • ALSO3 R$ 19,15 -1.64
  • ALUP11 R$ 27,31 0.52
  • AMAR3 R$ 2,40 -2.83
  • AMBP3 R$ 30,55 -1.99
  • AMER3 R$ 22,85 -5.07
  • AMZO34 R$ 63,86 -2.50
  • ANIM3 R$ 5,36 -3.42
  • ARZZ3 R$ 79,90 0.49
  • ASAI3 R$ 15,91 0.25
  • AZUL4 R$ 20,78 -5.37
  • B3SA3 R$ 12,02 -0.66
  • BBAS3 R$ 37,75 -0.57
  • AALR3 R$ 20,29 0.74
  • AAPL34 R$ 67,40 -2.05
  • ABCB4 R$ 16,73 -0.18
  • ABEV3 R$ 14,19 0.78
  • AERI3 R$ 3,63 -6.20
  • AESB3 R$ 10,65 -2.92
  • AGRO3 R$ 31,09 0.61
  • ALPA4 R$ 20,82 0.29
  • ALSO3 R$ 19,15 -1.64
  • ALUP11 R$ 27,31 0.52
  • AMAR3 R$ 2,40 -2.83
  • AMBP3 R$ 30,55 -1.99
  • AMER3 R$ 22,85 -5.07
  • AMZO34 R$ 63,86 -2.50
  • ANIM3 R$ 5,36 -3.42
  • ARZZ3 R$ 79,90 0.49
  • ASAI3 R$ 15,91 0.25
  • AZUL4 R$ 20,78 -5.37
  • B3SA3 R$ 12,02 -0.66
  • BBAS3 R$ 37,75 -0.57
Abra sua conta no BTG

PF investiga fraude em fiscalização do Inmetro a postos de Goiás

De acordo com investigações, fiscais do órgão recebiam propina durante a fiscalização feita em postos no estado
Posto: segundo a PF, funcionários também recebiam propina de proprietários de postos para fiscalizar concorrentes (Agência Brasil/Marcelo Camargo)
Posto: segundo a PF, funcionários também recebiam propina de proprietários de postos para fiscalizar concorrentes (Agência Brasil/Marcelo Camargo)
Por Agência BrasilPublicado em 17/10/2017 09:02 | Última atualização em 17/10/2017 09:02Tempo de Leitura: 1 min de leitura

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta terça-feira (17) a Operação Pesos e Medidas, com o objetivo de desarticular um grupo criminoso que atuava no Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) no estado de Goiás.

De acordo com investigações iniciadas em 2015, fiscais do órgão recebiam propina durante a fiscalização feita em postos no estado, por conta da realização de testes de volumetria nos bicos das bombas de combustível.

Ainda segundo a PF, os funcionários do Inmetro também recebiam propina para, a mando dos proprietários de alguns postos, fiscalizarem outros postos concorrentes.

Ao todo, 90 policiais participam da operação, para cumprir sete mandados de prisão preventiva e três mandados de prisão temporária nas cidades goianas de Anápolis e Goiânia. Os mandados foram expedidos pela Justiça Federal de Goiás.

Os investigados foram indiciados e responderão pela prática de crimes de corrupção passiva, corrupção ativa e alinhamento de preços. As penas podem chegar a 12 anos de reclusão. Eles serão encaminhados à Superintendência da PF em Goiás e, de lá, serão encaminhados para o sistema penitenciário, onde ficarão à disposição da Justiça Federal.

Compartilhar: Facebook Google Plus Twitter